Nicolau da Grécia e Dinamarca

pintor grego

Nicolau da Grécia e Dinamarca (22 de janeiro de 1872 - 8 de fevereiro de 1938) foi um membro da Casa de Eslésvico-Holsácia-Sonderburgo-Glucksburgo e o terceiro filho de Jorge I da Grécia, rei dos Helenos, e de Olga Constantinovna da Rússia.

Nicolau
Príncipe da Grécia e Dinamarca
Nascimento 22 de janeiro de 1872
  Antigo Palácio Real, Atenas, Reino da Grécia
Morte 8 de fevereiro de 1938 (66 anos)
  Hotel Grande Bretagne, Atenas, Reino da Grécia
Sepultado em 15 de fevereiro de 1938, Cemitério Real de Tatoi, Atenas, Reino da Grécia
Esposa Helena Vladimirovna da Rússia
Descendência Olga da Grécia e Dinamarca
Isabel da Grécia e Dinamarca
Marina da Grécia e Dinamarca
Casa Eslésvico-Holsácia-Sonderburgo-Glucksburgo
Pai Jorge I da Grécia
Mãe Olga Constantinovna da Rússia
Religião Ortodoxa Grega
Brasão

Casamento e descendênciaEditar

Em 1902, Nicolau casou-se com a grã-duquesa Helena Vladimirovna da Rússia, filha do grão-duque Vladimir Alexandrovich da Rússia e da grã-duquesa Maria Pavlovna da Rússia. Eles tiveram três filhas:

  1. Olga da Grécia e Dinamarca (11 de junho de 1903 – 16 de outubro de 1997), casada com o príncipe Paulo da Jugoslávia; com descendência.
  2. Isabel da Grécia e Dinamarca (24 de maio de 1904 – 11 de janeiro de 1955), casada com o conde Carl Theodor de Toerring-Jettenbach; com descendência.
  3. Marina da Grécia e Dinamarca (13 de dezembro de 1906 – 27 de agosto de 1968), casada com o príncipe Jorge, Duque de Kent; com descendência.

As suas três filhas ficaram famosas por causa da sua beleza.

Vida públicaEditar

 
Nicolau com a filha Olga

Juntamente com os seus irmãos Constantino e Jorge, Nicolau ajudou a organizar os Jogos Olímpicos de Verão de 1896 em Atenas, os primeiros a ser realizados desde o ano 393. Nicolau prestou serviço como presidente do sub-comité para o tiro-ao-alvo.

Em 1913, o príncipe assumiu uma posição muito controversa após o assassinato do seu pai em Thessaloniki, declarando que o assassinato do rei tinha sido um instrumento dos serviços secretos alemães, uma teoria que teria ofendido a nova rainha da Grécia, a sua cunhada Sofia da Prússia, que era irmã do kaiser Guilherme II da Alemanha.

O seu pai ofereceu-lhe o Teatro Real da Grécia que Nicolau entregou ao estado grego em 1935. Era amigo de George Simitis e foi padrinho do seu filho, o futuro primeiro-ministro socialista Kostas Simitis.[1]

Morte e enterroEditar

O príncipe Nicolau morreu no Hotel Grande Bretagne em Atenas no dia 8 de fevereiro de 1938 e após uma procissão fúnebre na Catedral Metropoliana de Atenas que contou com a participação de vários membros de sua família, Nicolau foi enterrado no túmulo real no Palácio de Tatoi em 15 de fevereiro de 1938.

GenealogiaEditar

Os antepassados de Nicolau da Grécia e Dinamarca em três gerações
Nicolau da Grécia e Dinamarca Pai:
Jorge I da Grécia
Avô paterno:
Cristiano IX da Dinamarca
Bisavô paterno:
Frederico Guilherme, Duque de Schleswig-Holstein-Sonderburg-Glücksburg
Bisavó paterna:
Luísa Carolina de Hesse-Cassel
Avó paterna:
Luísa de Hesse-Cassel
Bisavô paterno:
Guilherme de Hesse-Cassel
Bisavó paterna:
Luísa Carlota da Dinamarca
Mãe:
Olga Constantinovna da Rússia
Avô materno:
Constantino Nikolaevich da Rússia
Bisavô materno:
Nicolau I da Rússia
Bisavó materna:
Alexandra Feodorovna
Avó materna:
Alexandra Iosifovna
Bisavô materno:
José, Duque de Saxe-Altemburgo
Bisavó materna:
Amélia de Württemberg

Referências

  1. Markezinis, Spyros (1994). Political History of Modern Greece
O Commons possui imagens e outros ficheiros sobre Nicolau da Grécia e Dinamarca