Nieuport 10

O Nieuport 10 foi um sesquiplano francês da Primeira Guerra Mundial que foi utilizado em uma grande variedade de tipos de missões incluindo reconhecimento aéreo, caça e treinamento.

Nieuport 10
Descrição
Tipo / Missão Aeronave de reconhecimento aéreo, caça e treinamento
País de origem  França
Fabricante Nieuport
Período de produção 1915-1918
Primeiro voo em 1914 (108 anos)
Introduzido em 1915
Variantes Nieuport 12
Tripulação 1, piloto
Especificações (Modelo: Nieuport 10 C.1 (caça))
Dimensões
Comprimento 7,09 m (23,3 ft)
Envergadura 8,20 m (26,9 ft)
Altura 2,7 m (8,86 ft)
Área das asas 18  (194 ft²)
Alongamento 3.7
Peso(s)
Peso vazio 411 kg (906 lb)
Peso carregado 658 kg (1 450 lb)
Propulsão
Motor(es) 1 x motor a pistão giratório Le Rhône 9C
Potência (por motor) 80 hp (59,7 kW)
Performance
Velocidade máxima 139 km/h (75,1 kn)
Alcance (MTOW) 249,49 km (155 mi)
Autonomia 2,5 h(s)
Teto máximo 4 572 m (15 000 ft)
Razão de subida 2,1 m/s
Armamentos
Metralhadoras / Canhões 1 x metralhadora Lewis montada acima da asa superior

Design e desenvolvimentoEditar

Em janeiro de 1914, o designer Gustave Delage ingressou na Société Anonyme des Etablissements Nieuport, e iniciou o trabalho em uma série de aeronaves que permaneceria em produção para o resto da Primeira Guerra Mundial. O Nieuport 10 foi um destes primeiros modelos e foi originalmente concebido para participar da corrida Gordon Bennett Trophy de 1914. Mas com o início da Primeira Guerra o concurso foi cancelado e o modelo passou para a designação militar para uma aeronave de reconhecimento, assim entrando em serviço em 1915.

O modelo possuía um distintivo "V" em seus montantes entre as asas. As asas inferiores eram menores em área que as asas superiores. O conceito foi intencionado para ter a força de um biplano com células de asas de corda com visibilidade boa como em um monoplano parasol.[nota 1]

Muitos modelos foram convertidos ou construídos como caças monopostos, onde cobria-se o cockpit dianteiro e adicionava-se uma metralhadora Lewis ou Vickers para disparo na parte de cima da asa superior, desta forma a aeronave era usada como um caça.

Dois maiores tipos foram produzidos a partir do Nieuport 10 – o Nieuport 11 Bébe – um pequeno avião, designado para iniciar como um monoposto, e o Nieuport 12 – um modelo mais potente biposto com asa superior mais larga. Em adição a produção foi focada na versão de treino sob a designação Nieuport 83 E.2 com mudança de detalhes. Uma única versão triplana, usando o airframe do Nieuport 10 foi construída para testes com asas escalonadas incomuns.

Detalhes de asas e ailerons do Nieuport 10

Uso operacionalEditar

Muitos dos ases da aviação franceses voarem no Nieuport 10, o mais conhecido deles foi Georges Guynemer que usou vários Nieuport 10, todos marcados "Vieux Charles". Jan Olieslagers foi o piloto de um Nieuport 10 que tornou-se o primeiro belga a abater outra aeronave, enquanto a primeira vitória aérea canadiana foi também realizada abordo de um Nieuport 10, pilotado pelo Subtenente Arthur Ince.

VariantesEditar

  • Nieuport X.B
Primeira designação distinguindo-o do antecessor não relacionado o monoplano Nieuport X.
  • Nieuport X.AV
Designação da companhia em que o artilheiro/observador sentava-se à frente do piloto.
  • Nieuport X.AR
Designação da companhia em que o artilheiro/observador sentava-se na traseira e o piloto à frente.
  • Nieuport 10 A.2
Monoposto de reconhecimento (Artillerie), similar ao Nieuport X.AR.
  • Nieuport 10 C.1
Variante monoposto de caça. Inspirou o desenvolvimento do Nieuport 11 C.1.
  • Nieuport 10 E.2
Nieuport 10 A.2s usado para treino.
  • Nieuport 83 E.2
Construído com finalidade de treinamento com modificações detalhadas
  • Nieuport 10 triplane
Plataforma de testes para um triplano com asas em escalonamento incomum.
  • Nieuport-Macchi 10.000
Versão italiana do Nieuport 10 com muitos detalhes de modificações.
  • Nieuport 18 ou 18 metros Nieuport
Descrição não oficial de um modelo básico baseado em uma asa nominal com área de 18 metros quadrados.
  • Nakajima Army Type Ko 2 Trainer
Nieuport 83 E.2 construído sob licença no Japão
  • Trainer Type 2
Designação do Nieuport 83 E.2. siamês importado.

OperadoresEditar

Componente Aérea do Exército Belga
Força Aérea Brasileira
Serviço Aéreo do Exército dos Estados Unidos da Forças Expedicionárias Americanas – usados apenas como treinadores.
Aéronautique Militaire
Aviação Naval Francesa
Força Aérea da Finlândia (ex-exemplares da Rússia).
Serviço Aéreo da Rússia Imperial
Serviço Aéreo do Exército Imperial Japonês
Força Aérea Portuguesa – 7 treinadores Nieuport Ni.83E-2 recebidos em 1917.[nota 2]
Corpo Aeronautico Militare
Royal Naval Air Service – primeiro usuário. Nota o Royal Flying Corps não utilizou o Nieuport 10.
Força Aérea da Sérvia[nota 3]
Força Aérea Real Tailandesa
Exército Popular da República Popular da Ucrânia
Frota aérea dos Trabalhadores e Camponeses (ex-exemplares da Rússia).

SobreviventesEditar

Dois Nieuport-Macchi 10,000 estão em exposição na Itália, um no Museo Storico Italiano della Guerra e um no Museo della Scienza e della Tecnologia "Leonardo da Vinci", e um original Nieuport 83 E.2 que foi pilotado por Charles Nungesser está exposto no Old Rhinebeck Aerodrome nos Estados Unidos.

GaleriaEditar

Ver tambémEditar

  •   Conteúdo relacionado com Nieuport 10 no Wikimedia Commons.
Lista relacionada

Notas

  1. Fitzsimons 1967/1969, p. 1989.
  2. Niccoli 1998, p. 20.
  3. Janić Č, Petrović O, Short History of Aviation in Serbia, Beograd, Aerokomunikacije, 2011. ISBN 978-86-913973-2-6

BibliografiaEditar

  • Apostolo, Giorgio (1991). Aermacchi - from Nieuports to AMX. Milan, Italy: Giorgio Apostolo Editore (GAE) 
  • Bruce, J.M. (1998). Nieuport 10~12 - Windsock Datafile 68. Herts, UK: Albatros Publications. ISBN 978-1902207018 
  • Cooksley, Peter (1997). Nieuport Fighters In Action. Col: In Action Aircraft Number 167. Carrollton, TX: Squadron/Signal Publications. ISBN 978-0897473774 
  • Davilla, Dr. James J.; Soltan, Arthur (1997). French Aircraft of the First World War. Mountain View, CA: Flying Machines Press. ISBN 978-1891268090 
  • Durkota, Alan; Darcey, Thomas; Kulikov, Victor (1995). The Imperial Russian Air Service — Famous Pilots and Aircraft of World War I. Mountain View, CA: Flying Machines Press. ISBN 0-9637110-2-4 
  • Nicolli, Riccardo (janeiro–fevereiro de 1998). «Atlantic Sentinels: The Portuguese Air Force Since 1912». Air Enthusiast (73). pp. 20–35. ISSN 0143-5450 
  • Rimmell, Ray (1990). World War One Survivors. Bucks: Aston Publications. ISBN 0-946627-44-4 
  • Rosenthal, Léonard; Marchand, Alain; Borget, Michel; Bénichou, Michel (1997). Nieuport 1909-1950 Collection Docavia Volume 38. Clichy Cedex, France: Editions Lariviere. ISBN 978-2848900711 
  • Sanger, Ray (2002). Nieuport Aircraft of World War One. Wiltshire: Crowood Press. ISBN 978-1861264473 
  • Taylor, John W. R.; Alexander, Jean (1969). Combat Aircraft of the World. New York: Putnam. pp. 112–113. LCCN 68-25459 

Ligações externasEditar