Nina (telenovela)

telenovela brasileira produzida e exibida pela Rede Globo

Nina é uma telenovela brasileira produzida e exibida pela Rede Globo, entre 27 de junho de 1977 a 13 de janeiro de 1978, às 22 horas, substituindo Saramandaia e sendo substituída por O Pulo do Gato, tendo 142 capítulos.[1] Foi a 24ª "novela das dez" exibida pela emissora. Escrita por Walter George Durst, com roteiro final de Walter Avancini, direção de Fábio Sabag e supervisão de Walter Avancini.

Nina
Informação geral
Formato Telenovela
Gênero Drama
Criador(es) Walter George Durst
País de origem  Brasil
Idioma original (em português)
Produção
Diretor(es) Walter Avancini
Elenco Regina Duarte
Antônio Fagundes
Rosamaria Murtinho
Mário Lago
Maria Cláudia
Isabela Garcia
Marcos Paulo
Maria Fernanda
Kátia D'Angelo
Mário Cardoso
(Ver mais)
Tema de abertura "Primeiro Amor", Altamiro Carrilho
Exibição
Emissora original Brasil Rede Globo
Transmissão original 27 de junho de 1977 - 13 de janeiro de 1978
Cronologia
Programas relacionados Despedida de Casado
Anarquistas, graças a Deus
Os ossos do barão

Contou com Regina Duarte, Antônio Fagundes, Rosamaria Murtinho, Mário Lago, Maria Cláudia, Isabela Garcia, Maria Fernanda e Marcos Paulo nos papéis principais.

EnredoEditar

Em 1920, Nina (Regina Duarte) é uma professora de um colégio conservador, onde a moral e os bons costumes regem e nada revolucionário entra. Ao saber que a matricula da menina Isadora (Isabela Garcia) havia sido rejeitada por ela ser filha de artistas circenses, a professora fica revoltada e decide matricula-la ela mesma, colocando-se contra a rígida diretora Doralda (Maria Cláudia). A partir daí a vida de Nina se torna impossível, uma vez que ela passa a ser perseguida por Doralda e pelo poderoso barão Antônio Torres Galba (Mário Lago), dono do colégio, que não quer liberalismos e ideias progressistas no local.

Em meio aos problemas profissionais ela se apaixona pelo italiano Bruno (Antonio Fagundes), porém passa a ser infernizada por Arlete (Rosamaria Murtinho), filha do barão que também se interessa pelo imigrante. Quando uma aluna é morta no colégio, a culpa cai em Nina, que precisa lutar por sua inocência e para mostrar que seus inimigos armaram para ela.

ProduçãoEditar

Em 1976, Walter George Durst preparava a novela Despedida de Casado, que já estava pronta para substituir Saramandaia a partir de janeiro de 1977. A novela estava com produção adiantada e capítulos gravados, quando no fim de 1976 foi vetada pela Censura, por julgar o tema - separação de casais - impróprio. Para tapar o buraco imposto pelo governo, a Globo reprisou um compacto de O Bem Amado enquanto Durst preparava uma nova novela substituta. Então ele começou a escrever Nina, aproveitando o elenco original de Despedida de Casado[2].

Porém a telenovela não caiu no gosto do público. Para tentar aumentar a audiência, ocorreu uma mudança na história a partir do capítulo 73, com o assassinato de uma aluna no colégio, que motivou uma sequência - Nina, A La Garçonne, assim intitulada devido ao corte de cabelo que a personagem é obrigada a fazer. Muito prejudicada pela Censura, que quase deixava impraticável o seguimento da ação[2].

As cenas externas de época foram gravadas na Estação da Luz, na capital paulista; em Bananal, divisa dos estados do Rio de Janeiro e de São Paulo; e em Santa Teresa, Praça Mauá, Centro e Alto da Boa Vista, no Rio de Janeiro.

Marcou a estreia, na Rede Globo, do cantor e ator Fábio Júnior[2].

ElencoEditar

Trilha sonoraEditar

NacionalEditar

  1. "Vamos Deixar de Intimidade" - João Nogueira
  2. "Paciente" - César Costa Filho
  3. "Brejeiro" - A Cor do Som
  4. "Eu Dei" - Marília Barbosa
  5. "Nêgo Véio Quando Morre" - Os Originais do Samba
  6. "Apanhando Papel" - Luiz Ayrão
  7. "Primeiro Amor" - Altamiro Carrilho
  8. "Quem É" - Sônia Santos e Grande Otelo
  9. "Atraente" - Os Turunas da Pauliceia
  10. "Há Uma Forte Corrente Contra Você" - Os Frajolas
  11. "Choro e Poesia" - Altemar Dutra
  12. "Urubu Malandro" - Betinho e Seu Conjunto
  13. "Flor Amorosa" - Maria Martha
  14. "O Almofadinha" - Ivon Cury

InternacionalEditar

  1. "Charleston" - Enoch Light & The Light Brigade
  2. "Whispering" - Bing Crosby
  3. "Yes Sir, That's My Baby" - The Good Old Times
  4. "Swanee" - Al Jolson
  5. "12th. Street Rag" - Jerry Smith
  6. "Marie" - Enoch Light & The Light Brigade
  7. "Baby Face" - The Gatsby Brothers
  8. "Edelweiss" - Myron Floren
  9. "Blue Skies" - Frank Sinatra & Tommy Dorsey Orchestra
  10. "Sweet Georgia Brown" - Traditional Jazz Band
  11. "It Had To Be You" - Sammy Kaye
  12. "On The Sunny Side Of The Street" - Louis Armstrong
  13. " '29" - Ralph Richardson
  14. "Mala Femenna" - Giacomo Rondinella
  15. "I'm Alone" - Fleming
  16. "Come Back Please" - Danny Davis

Referências

  1. «Nina». Teledramaturgia. Consultado em 19 de dezembro de 2015 
  2. a b c Thell de Castro (27 de junho de 2021). «Feita às pressas, primeira novela de Fábio Jr. estreava em 1977 na Globo». TV História. Consultado em 22 de novembro de 2021 

Ligações externasEditar

  Este artigo sobre telenovelas é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.