Abrir menu principal

NorteShopping (Senhora da Hora)

(Redirecionado de Norte Shopping (Porto))

O NorteShopping é um centro comercial localizado na cidade da Senhora da Hora, em Matosinhos, Portugal, o segundo maior do Norte do País em ABL, apenas atrás do Mar Shopping. É detido, em partes iguais, pela Sonae Sierra, empresa do Grupo Sonae, e pela TIAA, fundo de pensões norte-americano.

Breve introduçãoEditar

É um dos centros comerciais mais modernos da Europa, com 73 275m² de área bruta locável, 285 lojas, um centro de diversões e 4.400 lugares de estacionamento.

O NorteShopping foi, também, o primeiro centro comercial português onde temas como a gestão de resíduos, a minimização dos consumos energéticos, o combate ao ruído, o cuidado com a qualidade do ar e da água e a sensibilização ambiental, mereceram particular atenção.

LocalizaçãoEditar

Situa-se entre a zona urbana da Srª da Hora e a zona Industrial do Porto, sendo assim muito favorecido pelas várias vias de comunicação que se cruzam na rotunda da AEP. Os clientes têm ligação directa entre o shopping e o hipermercado Continente, também pertencente ao Grupo Sonae, através de ascensores e escadas rolantes.

Caracterização e arquitecturaEditar

Com uma decoração alusiva ao património industrial, o NorteShopping introduz no universo dos centros comerciais uma dinâmica de lazer, centrada na valorização do património industrial, como valor cultural.

Tem as suas raízes na indústria do passado, protegendo os seus valores técnicos, oferecendo-os à comunidade e aos consumidores que o frequentam.

Com a escolha deste tema pretende-se invocar a antiga fábrica Efanor, uma das fábricas têxteis mais importantes para o contributo do desenvolvimento industrial de Portugal. Esta homenagem tem uma razão fácil ser apreendida: o NorteShopping está implantado no terreno onde se situava a antiga fábrica.

A força da tematização está bem patente na Praça da Restauração. Aqui o visitante encontrará uma grande identificação com a arquitectura da Revolução Industrial. As fachadas reproduzem as tipologias arquitectónicas mais significativas nos diversos ambientes recriados. Procurou-se formar um cenário de grande potencial lúdico e cultural associado ao carácter de “rua” que o próprio conceito do centro comercial tenta reproduzir.

Máquina a vaporEditar

Numa das praças do NorteShopping, foi instalada uma máquina a vapor que foi recuperada da antiga fábrica de Paleão. É uma máquina do fim do século XVIII, bastante rara e directamente relacionada com a transformação da energia a vapor em energia mecânica.

A propósito da recuperação desta máquina foi editada uma monografia sobre o seu estudo histórico e técnico. A máquina a vapor assume-se assim como uma referência monumental e evocativa à fruição pública, alundindo a outros tempos e outras memórias.

HistóriaEditar

Aproveitando uma área já existente, renovada e expandida, o NorteShopping surge no contexto português com características altamente inovadoras, tendo-se tornado num espaço de referência.

Depois de uma operação de re-styling significativa, o espaço até então denominado Centro Comercial Continente de Matosinhos, tornou-se em 1998 o maior Centro Comercial do Norte de Portugal e um dos mais modernos da Europa mudando o seu nome para NorteShopping. O centro ficou com 71.738 mil m² de área bruta locável, 285 lojas, um centro de diversões, um conjunto de serviços ao Cliente alargado e 4400 lugares de estacionamento.

O NorteShopping está fortemente conotado com um tema – a industrialização – numa homenagem ao local onde o centro foi construído. Onde hoje existe o NorteShopping, funcionou a antiga fábrica Efanor, uma das fábricas textéis mais importantes no contributo para o desenvolvimento industrial de Portugal.

O NorteShopping assume verdadeiras preocupações ambientais que o colocam na linha da frente dos centros comerciais da geração verde. Foi o primeiro Centro Comercial onde temas como a gestão de resíduos, a minimização dos consumos energéticos, o combate ao ruído, o cuidado com a qualidade do ar e da água e a sensibilização ambiental, estão em permanente actualização e merecem toda a atenção.

O maior Centro Comercial do Norte reúne todas as características para ser entendido como um pólo dinamizador das relações sócio culturais do Grande Porto. O NorteShopping promove frequentemente exposições na sua área comercial e tem um espaço privilegiado, inteiramente dedicado à arte, o SILO-Espaço Cultural, um local concebido de raiz pelo conceituado arquitecto Eduardo Souto Moura e onde estão patentes exposições desenvolvidas em parceria com o Centro Português de Fotografia e com o Museu de Arte Contemporânea de Serralves durante todo o ano.

FuturoEditar

Em 2012, o NorteShopping quer ocupar o parque de estacionamento exterior com lojas e ficar com uma área equivalente a oito campos de futebol.

O que o centro comercial propõe à Câmara de Matosinhos é uma permuta de terrenos e uma troca de capacidade construtiva. Isto é, o NorteShopping quer alargar-se, ocupando o parque de estacionamento exterior junto às bombas de gasolina, que é de domínio público e tem oito mil metros quadrados. Em troca, oferece à Autarquia um terreno, com cinco mil metros quadrados e 21 mil metros de capacidade construtiva, junto ao cemitério da Senhora da Hora[1].

A proposta foi analisada pela Câmara Municipal de Matosinhos em 17 de abril de 2015.[2]

A ampliação para sul do atual edifício traduz-se num aumento de 16.990 metros quadrados de área bruta acima do solo e destina-se a comércio, serviços, restauração e atividades complementares próprias de um centro comercial.

PrémiosEditar

  • Award of Excellence da The Wordshipful Company of Chartered Surveyors;
  • The International Concil of Shopping Centers award for Sonae SgPS for NORTESHOPPING for the best extension.

BibliografiaEditar

  • CUSTÓDIO, Jorge – A máquina a vapor de Soure. Porto, Fundação Belmiro de Azevedo, 1998.

Ligações externasEditar

Referências