Abrir menu principal

Nossa Senhora da Caridade do Cobre

Text document with red question mark.svg
Este artigo ou secção contém fontes no fim do texto, mas que não são citadas no corpo do artigo, o que compromete a confiabilidade das informações (desde março de 2015). Ajude a melhorar este artigo inserindo fontes.
Nossa Senhora da Caridade do Cobre
Nossa Senhora da Caridade do Cobre, Rainha e Padroeira de Cuba
Instituição da festa 1916
Venerada pela Igreja Católica
Principal igreja Santuário Basílica de Nossa Senhora da Caridade do Cobre, Santiago de Cuba, Cuba
Festa litúrgica 08 de setembro
Padroeira de de Cuba, das grávidas e recém-nascidos, rios e mares, do ouro, do mel e da beleza.
Polêmicas Proibir cultos e procissões

Nossa Senhora da Caridade do Cobre, popularmente chamada de Nossa Senhora da Caridade, é a padroeira do Cuba. Venerada na Igreja Católica.

Sua festa litúrgica é celebrada em 08 de setembro, desde 1916, quando o Papa Bento XV consagrou a Basílica.

A Sagrada imagem da Virgem da Caridade do Cobre, sempre ocupou o coração do povo cubano, a ponto de ser proclamada padroeira ilha no ano de 1916.

Até os dias de hoje persiste o debate sobre a origem da imagem. O que se sabe é que naquela época em que foi encontrada a imagem, não havia, no Caribe, alguém que tivesse a capacidade de esculpir com tanta categoria e beleza.

HistóriaEditar

ApariçãoEditar

Nas magníficas histórias da colonização da ilhas do Caribe e de Cuba, encontramos uma do ano de 1509, que nos diz que um certo soldado espanhol, estando muito doente foi levado para a região da macaca para ser tratado pelos curandeiros da tribo indígena. Durante sua longa recuperação, o soldado aprendeu a língua dos nativos e em troca lhes ensinou o evangelho.

Os nativos se sentiram estimulados pelo testemunho do soldado, e ergueram uma pequena capela, e lá colocaram o crucifixo e a pequena imagem da Virgem Maria, que o soldado lhes dera. Ao redor da capela nasceu a vila, hoje El Cobre.

A Vila do Cobre encontra-se a 18 Km de Santiago de Cuba, e ao sul dessa região encontra-se o Santuário Basílica de Nossa Senhora da Caridade do Cobre.

Conta-nos, também a tradição que em uma manhã do ano de 1612, os dois irmãos índios, Juan Rodrigo e Juan Diego Hoyos e o negro Juan Moreno, depois de terem passado 3 dias e 3 noites em alto mar enfrentando terrível tempestade, e depois também, de terem clamado o auxílio do alto, vêem despertar um novo dia, com um sol esplendoroso e um mar sereno.

Decidem partir, e lá se vão os três em busca do sal que se encontra bem distante do golfo. Já com certa distância avistaram um feixe de ramos secos flutuando; Ó grata surpresa! Um dos irmãos exclama que se trata de uma estátua da Virgem Maria com o menino Jesus nos Braços.

Cheios de emoção e alegria aproximam-se do achado e ao apanhá-la percebem que, apesar de estar flutuando, o seu manto, que era de tecido não estava molhado, e no pedestal da imagem estava escrito: "EU SOU A VIRGEM DA CARIDADE".

A emoção foi tão grande, que recolheram tão somente um terço do sal que precisavam e partiram para Barajagua.

A EstátuaEditar

A pequena imagem, de 15 polegadas de altura (mais ou menos 40 cm), tem o rosto redondo e sustenta em seu braço esquerdo o menino Jesus, que trás em suas mãos o globo. Em poucos dias foi construída em pequena ermida, e também em muito pouco tempo centenas de pessoas, diariamente visitavam a Virgem da Caridade do Cobre.

O SantuárioEditar

O atual santuário foi construído em 1703, no exato lugar indicado pela virgem, por revelação. Na sala do milagres encontra-se a tábua em que a imagem foi achada flutuando, a medalha do prêmio Nobel de 1954, Emingway e também há um ex-voto da Sra. Lina Ruz, mãe de Fidel Castro.

No ano de 1899 o santuário foi profanado, além de saquearem todos os objetos de valor, cortaram a cabeça da Virgem para retirar um diamante.

A Virgem da Caridade do Cobre foi declarada oficialmente Padroeira de Cuba no ano de 1916, pelo papa Bento XV e sua festa, datada em 08 de setembro.

Proibição dos Cultos e ProcissõesEditar

No ano de 1960, o regime comunista proibiu as procissões e manifestações públicas de fé, o que fez aumentar sempre mais a fé e devoção do povo cubano. Contrariando Fidel Castro, o papa Paulo VI elevou o santuário à categoria de basílica.

Foi graças à intervenção do papa São João Paulo II, durante sua visita apostólica a Cuba, que foi revogada a antiga proibição dos cultos públicos e procissões em todo o país.

A imagem peregrina passará por todos os campos, povoados, cidades e vilas da ilha de Cuba, convocando o seu povo à unidade e ao amor. Este mesmo trajeto foi feito entre os anos de 1951-1952 para celebrar os 50 anos da independência de Cuba.

Oração a Virgem da CaridadeEditar

Peçamos a Virgem da Caridade que proteja seus filhos cubanos e que a Liberdade possa acontecer em sua plenitude; cívica, moral, intelectual, de expressão e religiosa. "Pois um país que perde a devoção a sua padroeira entra em agonia".

Nossa Senhora da Caridade, rogai por nós!

Ver tambémEditar

Ligações externasEditar