Abrir menu principal

Nossa Senhora das Lágrimas

Título da aparição mariana ocorrida em Campinas, no Brasil, na década de 1930.
Disambig grey.svg Nota: Se procura o fenómeno das lacrimações miraculosas ocorridas em Siracusa, veja Virgem das Lágrimas.
Nossa Senhora das Lágrimas
Pintura com a aparição de Nossa Senhora das Lágrimas à Irmã Amália de Jesus Flagelado em Campinas
Virgem das Lágrimas / Virgem Dolorosíssima
Instituição da festa 1932
Venerada pela Igreja Católica
Principal igreja Santuário de Nossa Senhora das Lágrimas (Campinas, Brasil)
Festa litúrgica 8 de março
Atribuições Devoção da Coroa (ou Terço) de Nossa Senhora das Lágrimas
Padroeira de Campinas, Brasil
«Esse novo nome, significando as virtudes, os méritos e a compaixão de Maria, em união com os méritos e a paixão de Jesus, vem apenas confirmar a devoção à Nossa Senhora das Dores, já secular aprovada na Igreja, da qual as lágrimas são a sua máxima expressão.»
D. Francisco de Campos Barreto, Bispo de Campinas

Nossa Senhora das Lágrimas é uma das invocações marianas atribuídas à Virgem Maria e que surgiu com base nos relatos das aparições reportadas pela Irmã Amália de Jesus Flagelado na capela do convento do Instituto das Missionárias de Jesus Crucificado, situado na cidade de Campinas, no estado de São Paulo, no Brasil.[1]

Índice

HistóriaEditar

De Espanha para o BrasilEditar

 
Irmã Amália, a vidente de Nossa Senhora das Lágrimas.

De seu nome de batismo Amália Aguirre, a futura religiosa missionária nasceu em Riós, junto à fronteira Espanha-Portugal, na comunidade autónoma da Galiza, a 22 de julho de 1901. Pertenceu a uma família antiga, de longa tradição cristã, e seus pais eram admirados pela santidade de costumes, fervorosa piedade e sua inesgotável caridade para com o próximo. Contudo, as circunstâncias econômicas e os desígnios de Deus obrigaram-nos a deixar a Espanha e rumar para o Brasil, cuja língua (o português) lhes era conhecida e permitia comunicar e trabalhar sem dificuldades. Primeiramente estiveram no Estado da Bahia, mas pouco depois eles se mudaram para o Estado de São Paulo tendo fixado residência na cidade de Campinas.[2]

Amália Aguirre, inicialmente, não foi com seus pais para o Brasil, tendo ficado a cuidar de sua avó, já bastante idosa e doente, e que precisava de companhia. Somente após a morte de sua avó é que Amália atravessou o oceano Atlântico, tendo chegado a Campinas no dia 16 de junho de 1919. A jovem estava longe de imaginar que nessa sua nova pátria ocorreriam tão prodigiosas manifestações de Jesus e Maria Santíssima.

As aparições em CampinasEditar

Foi no Instituto das Irmãs Missionárias de Jesus Crucificado, fundado por Dom Francisco de Campos Barreto, Bispo de Campinas, que viveu a Irmã Amália de Jesus Flagelado, a freira espanhola agraciada com o fenômeno dos sagrados estigmas de Nosso Senhor Jesus Cristo e com inúmeras aparições marianas. Esta religiosa fez parte das oito primeiras irmãs e foi cofundadora do Instituto, tendo feito os seus votos perpétuos no dia 8 de dezembro de 1931.

 
Estátua original de Nossa Senhora das Lágrimas em Campinas, no Brasil.

Na década de 1930, na cidade de Campinas, do estado de São Paulo, no Brasil, a Virgem Maria e o Seu próprio filho, Jesus Cristo, terão aparecido várias vezes à Serva de Deus Irmã Amália de Jesus Flagelado (nome de batismo, Amália Aguirre), comunicando-lhe muitas mensagens com apelos de oração, de sacrifício e de penitência. A Santíssima Virgem Maria apresentou-se como Nossa Senhora das Lágrimas e ensinou-lhe as jaculatórias da Coroa (ou Rosário) das Lágrimas.[3]

No dia 8 de abril de 1930, Nossa Senhora revelou também à Irmã Amália uma nova medalha miraculosa, a medalha da evocação às Suas lágrimas, e pediu-lhe que, conjuntamente com a Coroa (ou Rosário), a difundisse pelo mundo inteiro, pois através dessa mesma medalha dar-se-iam muitos prodígios, um grande número de conversões e muitas almas seriam salvas.[4][5] Por ordem da Mãe de Deus, a medalha traz na frente a imagem de Nossa Senhora das Lágrimas entregando a Coroa (ou Terço) das Lágrimas à Irmã Amália, exatamente como aconteceu na aparição de 8 de março de 1930, com as palavras ao redor: '"Ó Virgem Dolorosíssima, as Vossas Lágrimas derrubaram o império infernal!", e no verso, a medalha traz a imagem de Jesus Manietado (ou seja, amarrado durante a Sua Paixão) com as seguintes palavras: "Por Vossa Mansidão Divina, ó Jesus Manietado, salvai o mundo do erro que o ameaça!".[6][7]

Embora a Irmã Amália de Jesus Flagelado, mesmo no ano de 1930, tenha conseguido divulgar a Medalha e a Coroa das Lágrimas, e essa devoção até tenha chegado a alguns países estrangeiros, essa obra de salvação da Mãe de Deus é ainda muito desconhecida.

Reconhecimento canônicoEditar

 

Série de artigos sobre
Mariologia católica
 

Maria, mãe de Jesus
Devoção

HiperduliaImaculado CoraçãoSete AlegriasSete DoresCoroa das LágrimasSanto RosárioEscapulário do Carmo

Orações marianas famosas

Ave MariaMagnificatAngelusInfinitas graças vos damosLembrai-vosSalve-rainha

Dogmas e Doutrinas

Mãe de DeusPerpétua VirgindadeImaculada ConceiçãoAssunçãoMãe da IgrejaMedianeiraCorredentoraRainha do Céu

Aparições marianas

Crenças reconhecidas ou dignas de culto
GuadalupeMedalha Milagrosa
La SaletteLourdesFátimaCampinasCaravaggioProuille


Títulos da Virgem Maria


Virgem Maria na arte

Em 8 de março de 1932, o Bispo de Campinas, Dom Francisco de Campos Barreto, reconheceu a veracidade das aparições marianas à Irmã Amália de Jesus Flagelado e concedeu as devidas autorizações (entre elas, o Imprimatur) para a publicação dos seus escritos (que incluíam as mensagens de Jesus e de Nossa Senhora) e das orações da Coroa (ou Rosário) de Nossa Senhora das Lágrimas.

Em 20 de fevereiro de 1934, o mesmo prelado publicou uma carta episcopal e reforçou a importância da devoção a Nossa Senhora das Lágrimas.

Apostolado InternacionalEditar

Depois de dez anos de investigação, de recolha de informação e de testemunhos pessoais, Renato Carrasquinho compilou integralmente todos os escritos originais e mensagens ditadas pelo Céu, e ainda reconstituiu biograficamente a vida da Irmã Amália de Jesus Flagelado com pleno rigor.[8] Em 2017, para assinalar o centenário das aparições marianas decorridas em Portugal e que antecederam as aparições de Campinas, no Brasil, e ainda como resposta efetiva aos apelos da Virgem Maria, o autor fundou na Cova da Iria, em Fátima, o Apostolado Internacional de Nossa Senhora das Lágrimas, com atual representação para todo o mundo.

Referências

  1. Coroa de Nossa Senhora das Lágrimas – História in TearLove.org
  2. Renato Carrasquinho; Nossa Senhora das Lágrimas: Aparições, Mensagem e Devoção. Edição: Apostolado Internacional de Nossa Senhora das Lágrimas.
  3. Coroa das Lágrimas de Nossa Senhora in TearLove.org
  4. Revelação e promessas das Lágrimas de Nossa Senhora in TearLove.org
  5. As Aparições, a Coroa e a Medalha das Lágrimas de Maria in Apostolado Internacional de Nossa Senhora das Lágrimas – Site oficial
  6. As Aparições, a Coroa e a Medalha das Lágrimas de Maria in Apostolado Internacional de Nossa Senhora das Lágrimas – Site oficial
  7. Nossa Senhora das Lágrimas. Edições Rainha Vitoriosa do Mundo, 2012. 114 pp.
  8. Livro de Nossa Senhora das Lágrimas in Apostolado Internacional de Nossa Senhora das Lágrimas – Site oficial

BibliografiaEditar

  • Renato Carrasquinho; Nossa Senhora das Lágrimas: Aparições, Mensagem e Devoção. Edição: Apostolado Internacional de Nossa Senhora das Lágrimas.
  • Renato Carrasquinho; Devocionário a Nossa Senhora das Lágrimas. Edição: Apostolado Internacional de Nossa Senhora das Lágrimas.
  • Nossa Senhora das Lágrimas. Edições Rainha Vitoriosa do Mundo, 2012. 114 pp.

Ver tambémEditar

Ligações externasEditar

 
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Nossa Senhora das Lágrimas