Novo Horizonte Futebol Clube

Novo Horizonte Futebol Clube é um clube de futebol brasileiro sediado na cidade de Ipameri, no estado de Goiás. Atualmente disputa a Terceira Divisão do Campeonato Goiano.

Novo Horizonte
Novo Horizonte Futebol Clube
Nome Novo Horizonte Futebol Clube
Alcunhas Fantasma
Zonte
Mascote Fantasma
Fundação 27 de fevereiro de 1968 (56 anos) [1]
Estádio Durval Ferreira Franco
Capacidade 3.100
Localização Ipameri, GO
Presidente Rodrigo Lisboa Albernaz
Patrocinador(a) W GO
Material (d)esportivo Super Bolla
Competição Goianão - Série C
Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
titular
Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
alternativo
Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
alternativo

História

editar
  • Meados da década de 1960 – É fundado no Bairro Novo Horizonte, em Ipameri, um clube amador com o nome de Horizonte Futebol Clube.
  • 1967 – Chega a Ipameri, vindo de Araguari, o Sr. Durval Ferreira Franco, grande abnegado do esporte e líder visionário.
  • 1972 – É inaugurado o estádio Durval Ferreira Franco com um torneio entre Novo Horizonte, Fluminense de Araguari, Botafogo de Ribeirão Preto e Goiânia. Neste mesmo ano, o clube conseguiu o acesso à primeira divisão do futebol goiano pela primeira vez.
  • 1973 – Disputando pela primeira vez o Goianão, o Novo Horizonte faz campanha muito má e é rebaixado à segunda divisão.
  • 1973 a 1986 – O clube se volta ao amadorismo.
  • 1986 a 1987 – Com muito sofrimento e com vários jogadores da própria cidade, o Novo Horizonte disputa a Segunda Divisão do Campeonato Goiano, tendo conseguido finalmente em 1987 ser vice-campeão da Segunda Divisão e o acesso à Primeira Divisão.
  • 1988 – O Novo Horizonte reestreia na primeira divisão do Campeonato Goiano com uma equipe razoável e fica na oitava colocação.
  • 1989 – O Novo Horizonte faz novamente uma campanha regular, desta vez a classificação final foi a 9ª colocação.
  • 1990 – Neste ano, sob o comando do treinador Nivaldo Lancuna, o Novo Horizonte fez uma campanha muito boa no Goianão, tendo conquistado um 6º lugar na classificação final, embora tenha ficado entre os quatro melhores da fase final.
  • 1991 – Outra campanha apenas razoável, 9ª colocação.
  • 1992 – O Novo Horizonte se classificou entre as oito melhores equipes das 16 que disputaram o campeonato daquele ano, para disputar a segunda fase - a classificação final foi um 7º lugar. Neste ano, o Novo Horizonte formou uma das melhores equipes de sua história, por muito pouco não chegando à final do campeonato.
  • 1993 – Em um campeonato inchado pela presença de 18 clubes, o Novo Horizonte conseguiu uma campanha razoável, ficando em 11º lugar.
  • 1994 a 2000 – Com a promessa de uma total reformulação no estádio Durval Ferreira Franco por parte do Governo Estadual, a diretoria do clube resolve pedir licença do campeonato estadual de 1994, o resultado disso foi a parcial demolição do estádio com o início das obras e a interrupção logo em seguida, por esse motivo o clube se ausentou do futebol profissional por 7 longos anos (não há outro estádio em Ipameri).
  • 2000 – Cansados de esperar por uma definição com relação ao prosseguimento das obras, o Novo Horizonte reconstrói a parte demolida do estádio, além de uma sede administrativa e acomodações para os departamentos técnicos, imprensa e alojamento para atletas.
  • 2001 – Com muita ansiedade e alegria, o Novo Horizonte volta a disputar o campeonato Goiano. O direito do clube em disputar a Primeira Divisão foi reconhecido pela Federação Goiana de Futebol, pois o clube estava licenciado e não era culpado pela situação do estádio. A campanha deste ano foi novamente razoável, um 7º lugar, mas a empolgação pelo retorno já antecipava a sensação de que o clube teria muitas glórias por vir.
  • 2002 – Com um trabalho sério e bem planejado, novamente sob o comando de Nivaldo Lancuna, o Novo Horizonte mostrou força e chegou com méritos à final do campeonato contra o Goiás. Neste campeonato, o clube não pôde disputar as partidas da final em casa, pois o regulamento não permitia que a final fosse disputada em um estádio com capacidade de público menor que 15.000 torcedores. Mesmo assim, o vice-campeonato goiano levou Ipameri e o Novo Horizonte a um lugar de destaque no cenário goiano e até nacional. O clube disputou também em 2002, a Terceira Divisão do Campeonato Brasileiro, onde chegou à segunda fase.
  • 2003 – Desta vez sob o comando do técnico Marcius Fleury, o Novo Horizonte reforçou a base da mesma equipe de 2002. Era uma equipe muito temida pelos adversários e chegou com brilhantismo à final do campeonato, onde perdeu somente nas cobranças de pênaltis.[2]
  • 2004 – Faz campanha razoável no Campeonato Goiano, terminando em 8° na classificação geral, empatado em pontos com o Goiatuba (19), ficando à frente no número de vitórias (6 contra 4).
  • 2005 – Pede licença da disputa do campeonato goiano da primeira divisão, sendo automaticamente rebaixado à segunda divisão.
  • 2007 – Disputa a segunda divisão do Goiano, sendo campeão da mesma.
  • 2010 – Depois de uma campanha fraca na Segunda Divisão goiana, o Fantasma (que chegou a escalar um jogador suspenso) viu o seu pior momento desde o afastamento das competições, com a queda para a Terceira Divisão estadual.
  • 2013 – Após 3 anos inativo, o Novo Horizonte volta na disputa da Terceira Divisão, faz bela campanha e volta a Divisão de Acesso (Segunda Divisão) do Campeonato Goiano.
  • 2016 – Neste ano, o Novo Horizonte faz uma campanha boa mas acaba sendo eliminado para o Iporá nas semifinais com a derrota de 1-0 em casa e o empate de 1-1 fora, ficando com o 3° lugar.
  • 2017 – Joga novamente a Divisão de Acesso (Segunda Divisão) do Campeonato Goiano. O time começou o campeonato muito bem, sendo líder de seu grupo nas duas primeiras rodadas, mas o time vacila com empates. Com isso, ficou em 3° lugar do grupo B sendo que só classificariam duas equipes, cujas são de Anápolis (Anapolina e Grêmio Anápolis). Com incríveis 9 pontos fora de casa, teve um dos melhores aproveitamentos como visitante. Na última rodada, o Fantasma precisava ganhar do Grêmio em Anápolis, mas só empata em 3-3 após ficar 2 vezes na frente do time da casa, ficando somente no 5° lugar do campeonato.
  • 2018 – Sob o comando do treinador Luan Carlos, o Novo Horizonte consegue o acesso para a Primeira Divisão do Campeonato Goiano após 10 anos, ficando com o vice-campeonato com apenas uma derrota no campeonato, tendo o melhor ataque e a terceira melhor defesa.
  • 2019 – De volta à primeira divisão, o clube obtém apenas uma vitória, 3 empates e 8 derrotas no Grupo B, sob o comando de 3 técnicos durante a campanha (Silmar Simão, Coutinho e Wladimir Araújo), sendo rebaixado com o pior desempenho no geral.
  • 2020 – Em decorrência da pandemia de COVID-19, o Novo Horizonte opta em não disputar a Divisão de Acesso juntamente com Aparecida, Goiatuba e Morrinhos, não sofrendo nenhuma punição.
  • 2021 - Desiste de disputar a Divisão de Acesso de 2021, sendo rebaixado diretamente para a Terceira Divisão.[3]

Títulos

editar
Estaduais
Competição Títulos Temporadas
  Campeonato Goiano - Divisão de Acesso 1 2007
  Campeonato Goiano da Terceira Divisão 1 2013

Estatísticas

editar
 Ver artigo principal: Temporadas do Novo Horizonte

Participações

editar
Participações em 2020
Competição Temporadas Melhor campanha Estreia Última P   R  
  Campeonato Goiano 13 Vice-campeão (2002 e 2003) 1973 2019 4
2ª Divisão 17 Campeão (2007) 1980 2020 3 1
3ª Divisão 1 Campeão (2013) 2013 2
  Série C 1 31º colocado (2002) 2002
Copa do Brasil 1 1ª fase (2004) 2004

Ídolos do clube

editar
  • Adrianinho Caveira
  • Alexandre Goiano
  • Anderson
  • Gabriel
  • Maurício K
  • Peçanha
  • Rômulo
  • Zezé
  • Neto
  • Kayto

Treinadores famosos

editar
  • Nivaldo Lancuna
  • Marcius Fleury
  • Luan Carlos

Ranking atualizado em dezembro de 2014

  • Posição: s/p (no ranking oficial da CBF de 2014, não esta relacionado entre os 222 clubes da lista)
  • Pontuação: s/p[4]

Ranking criado pela Confederação Brasileira de Futebol para pontuar todos os clubes do Brasil[5].

Referências

  1. Novo Horizonte Futebol Clube - Federação Goiana de Futebol; acessado em 24 de julho de 2021
  2. «Goiás vence nos pênaltis e é campeão - Estadão». estadao.com.br. 23 de março de 2003. Consultado em 5 de agosto de 2023 
  3. «Novo Horizonte oficializa desistência da Divisão de Aceso e sofre penalidades da FGF». zapcatalao.com.br. 23 de setembro de 2021. Consultado em 5 de agosto de 2023 
  4. RNC - RANKING NACIONAL DOS CLUBES 2015 Confederação Brasileira de Futebol - acessado em 11 de dezembro de 2014
  5. Cruzeiro lidera o Ranking Nacional de Clubes 2015 Arquivado em 22 de dezembro de 2014, no Wayback Machine. CBF
   Este artigo sobre clubes brasileiros de futebol é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.