Nunilo e Alódia

Santas Nunilo e Alódia
Relevo de Nunilo e Alódia no Colegiata de Alquézar. Na base se lê Nonila, mas o nome de sua irmã se quebrou.
Mártires
Morte 22 de outubro de 851
Veneração por Igreja Católica; Igreja Ortodoxa
Festa litúrgica 22 de outubro
Gloriole.svg Portal dos Santos

Nunilo e Alódia foram duas meninas mártires de Huesca. Nascidas de um casamento entre cristãos e muçulmanos, elas rejeitaram o islamismo do pai em favor do cristianismo de sua mãe. Por isso, foram executadas pelas autoridades muçulmanas de Huesca conforme o que comanda a xaria (lei muçulmana) em relação aos apóstatas. Elas fazem parte do grupo conhecido como Mártires de Córdoba.

Vida e obrasEditar

As garotas foram presas durante as perseguições de Abderramão II, o emir de Córdoba. Elas se recusaram a abjurar a sua fé e foram colocadas num bordel antes de serem decapitadas. Suas relíquias foram reverenciadas em Leyre nos séculos X e XI, quando um portão foi criado representando a imagem das meninas e que chegou aos nossos dias.

A Translatio sanctarum Nunilonis et Alodiae, um breve relato do traslado das relíquias das santas para o Mosteiro de Leyre em 851, sobreviveu também em dois manuscritos do século X. O translado das relíquias se deu por ordem de Oneca, a esposa de Íñigo Arista, o rei de Navarra. Há, contudo, algumas discrepâncias entre o relato do martírio no Translatio e no de Eulógio de Córdoba.

BibliografiaEditar

 
Igreja de Santas Nunilo e Alódia em Betorz, nas redondezas de Huesca, na Espanha.
 
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Santas Nunilo e Alódia
  • Catlos, Brian A. The Victors and the Vanquished: Christians and Muslims of Catalonia and Aragon, 1050–1300. Cambridge: Cambridge University Press, 2004. ISBN 0-521-82234-3. (em inglês)
  • Collins, Roger. The Basques. London: Blackwell Publishing, 1990. ISBN 0-631-13478-6. (em inglês)