O Camelô da Rua Larga

filme de 1958 dirigido por Eurides Ramos
O Camelô da Rua Larga
 Brasil
1958 •  pb •  81 min 
Direção Eurides Ramos
Hélio Barrozo Netto (números musicais)
Roteiro Victor Lima (roteiro)
Francisco Anysio (argumento)
Zé Trindade (argumento)
Elenco Zé Trindade
Maria Vidal
Renato Restier
Género comédia
Idioma português
Página no IMDb (em inglês)

O Camelô da Rua Larga é um filme brasileiro de comédia no estilo "chanchada", dirigido por Eurides Ramos para a Cinedistri. Números musicais dirigidos por Hélio Barrozo Netto (também Diretor de Fotografia e Montagem) com Nelson Gonçalves (canta "Escultura"), Maysa (canta "Ouça"), Eloína e Julie Joy. Orquestração de Radamés Gnatalli.[1]

ElencoEditar

SinopseEditar

No Rio de Janeiro em época de inflação e falta d'água, Vicente é um camelô de mercadorias contrabandeadas que vive perseguido pela polícia (o "rapa"), o que atrapalha suas vendas e o deixa sempre em dificuldades financeiras. Dona Bebé, a viúva dona da pensão, lhe cobra oito meses de aluguel atrasado e a noiva há dez anos, a costureira Aurora, quer que ele mude de emprego. Ela trabalha na boate do vigarista Rafael e tenta arrumar emprego para Vicente com o namorado da vedete Virgínia, o Geraldão. Mas Vicente e Aurora não sabem que Geradão é um perigoso bandido que espalha milhões em dinheiro falso com a ajuda de Rafael. O camelô acaba sendo confundido com o falsário e tanto os bandidos como a polícia começam a persegui-lo.

Referências