Abrir menu principal

O Martelo de Vulcano

filme de 2003 dirigido por Eliana Fonseca
Ilha Rá-Tim-Bum - O Martelo de Vulcano
Pôster promocional do filme.
 Brasil
2003 •  cor •  85 min 
Direção Eliana Fonseca
Produção Roberto D' Avila
Roteiro Flávio de Souza
Baseado em Ilha Rá-Tim-Bum
de Flávio de Souza
Elenco Paulo Nigro
Greta Antoine
Thuanny Costa
Rafael Chagas
Abayomi de Oliveira
Graziella Moretto
Ernani Moraes
Gênero infantil, aventura e fantasia
Companhia(s) produtora(s) Moonshot Pictures
Tv Cultura
Tele Image
Álamo
Scenica
Distribuição Warner Bros. Pictures
Lançamento 10 de outubro de 2003
Idioma português
Orçamento R$ 2,500.000
Cronologia
Castelo Rá-Tim-Bum, o Filme (1999)
Página no IMDb (em inglês)

Ilha Rá-Tim-Bum - O Martelo de Vulcano é um longa-metragem infanto-juvenil baseado na série de televisão Ilha Rá-Tim-Bum. Foi lançado em 10 de outubro de 2003 sob a direção de Eliana Fonseca. O filme não é uma continuação do seriado, sendo descrita como uma das histórias acontecidas no decorrer da história original[1]

SinopseEditar

Cinco jovens sobrevivem a um naufrágio e são levados a uma ilha desconhecida, Na ilha vivem diversas criaturas e sobreviventes de grandes mistérios da humanidade e de mistérios ancestrais. Lá, os amigos Gigante, Micróbio, Rouxinol, Majestade e Raio terão de enfrentar o vilão Nefasto (uma bactéria com tamanho de um ser humano adulto criada num acidente científico), que, ajudado por seus assistentes Zabumba (um zangão-homem) e Polca (uma libélula-mulher), fará de tudo para tomar posse do objeto mágico que o tornará praticamente invencível - O Martelo de Vulcano.

Nefasto descobre que se ele encontrar o martelo será o ser mais poderoso do universo, por isso, as crianças precisam encontrar o martelo antes dele, decifrando enigmas. A única a saber o paradeiro do objeto mágico, a feiticeira Hipácia (uma feiticeira egípcia de mais de 2.000 anos de idade que serve de guru e protetora dos garotos), recebe uma bola de energia e perde a memória, o que obriga as crianças a assumir a missão. Além de capacidades especiais, os jovens contam com a ajuda de Solek, o lagarto, e Nhã-nhã-nhã, a aranha-mulher.

 ElencoEditar

ProduçãoEditar

Liliana Castro, que originalmente interpretou Polca no seriado, não retornou para o filme, uma vez que estava gravando a novela Sabor da Paixão, na Rede Globo, e a emissora não liberou-a para o trabalho. Em seu lugar foi escalada Bárbara Paz para o personagem, que já havia feito os testes para o seriado sem passar.[2] Além de Liliana, Luiz de Abreu, que interpretou Solek no seriado, não retornou para o filme por motivos desconhecidos. Em seu lugar, foi escalado o ator Henrique Stroeter, que interpretava o Coiso na série. O filme foi o primeiro no Brasil à utilizar modelagem e efeitos em 3D, além de ser um dos pioneiros em alta definição no cinema brasileiro.[3]

CronologiaEditar

O filme não é uma continuação do seriado, sendo descrita como uma das histórias acontecidas no decorrer da história original. O filme se passa em algum momento entre os episódios 27 (Sorria, você está sendo filmado!) e 34 (Salve a Rainha) da série, já que no filme as crianças sabem da existência das câmeras vigilantes de Nefasto (passaram a saber no episódio 27), e também pois é no episódio 34 que Majestade assume o posto de rainha da ilha e passa a viver na torre de Nefasto, o que ainda não havia acontecido no filme. Entretanto, o filme possui um paradoxo, no filme, Raio sabe sobre a história de Arielibã e a origem de Nefasto, e também sabe o que é e para que serve o Moftaá Shabaáb, coisa que ele e as outras crianças só descobriram nos últimos episódios da série.

Referências

  1. «MARTELO DO VULCANO». Geocities. Consultado em 18 de dezembro de 2010 
  2. «Filmagens de "Ilha Rá-Tim-Bum" é concluída e longa tem mais aventura e humor do que a série da TV». Revista Quem. Consultado em 18 de dezembro de 2010 
  3. «Ilha ra tim bum ganha ação na telona». Estadão. Consultado em 18 de dezembro de 2010 

Ligações externasEditar