Abrir menu principal
O lapis do carpinteiro
Castelo de San Antón A Coruña.JPG

Forte de San Antón, na Corunha. Um dos principais lugares onde se desenvolve o argumento.
Autor(es) Manuel Rivas
Idioma Galego
País Espanha
Assunto História de amor na época de guerra
Série Narrativa
Linha temporal 1936
Ilustrador José L. de Dios
Arte de capa Miguel Vigo
Editora Edições Xerais de Galicia
Lançamento 1998
Páginas 148
ISBN ISBN 84-8302-261-3

‘‘O lápis do carpinteiro’’ é um dos romances de maior sucesso do escritor galego Manuel Rivas, foi publicado em 1998, em galego por Edições Xerais e traduzida para o castelhano por Editorial Alfaguara.

ArgumentoEditar

Na prisão de Santiago de Compostela, em plena Guerra Civil, um pintor desenha o Pórtico da Glória com um lápis de carpinteiro, refletindo os rostos e a desesperação dos seus companheiros de presídio. O guardião Herbal, o seu futuro assassino, observa-o tudo. A partir desta cena, o ‘‘Lápis’’ de Manuel Rivas conta uma história onde o amor entre o médico republicano Daniel da Barca e Marisa Mallo logra ganhar à desesperação.

Adaptações do romanceEditar

Ao cineEditar

O filme baseado no livro, dirigido por Antón Reixa e protagonizado por Tristán Ulloa, María Adánez e Luis Tosar foi estreado em 2003 e selecionado para os Prêmios Goya da Academia Espanhola do Cine.

O filme foi ganhador do Premio Mestre Mateo 2003 à melhor longa-metragem, e alguns dos seus protagonistas como Luis Tosar e María Pujalte receberam os Prêmios Mestre Mateo 2003 à melhor interpretação masculina e à melhor atriz de reparto.[1]

Ao teatroEditar

Também foi adaptada ao teatro pelo grupo Sarabela que a estreou em Ourense em 2000,[2] e que continuaram com uma bem-sucedida gira por toda Galiza[3] e fora dela, superando os 25.000 espectadores, e pela qual receberam 8 Prêmios María Casares.

PrêmiosEditar

CuriosidadesEditar

 
Se(c)ções de curiosidades são desencorajadas pelas políticas da Wikipédia.
Ajude a melhorar este artigo, integrando ao corpo do texto os itens relevantes e removendo os supérfluos ou impróprios.

‘‘O lápis do carpinteiro’’ é a obra em galego mais traduzida, estando atualmente traduzida para mais de 20 idiomas entre os que podemos encontrar o francês, italiano, inglês, alemão, grego, turco, russo, finês, holandês, croata e japonês[4]

Segundo Edições Xerais, na ocasião da publicação neste ano de uma edição especial de: ‘‘O Lapis do carpinteiro (Ed. XXV aniversário)’’

Referências

Ver tambémEditar

BibliografiaEditar

  • Araguas, Vicente; et al. (2003). Gran Enciclopedia Gallega, Tomo 38, pp. 236, 237. [S.l.: s.n.] ISBN 84-87804-40-3 

Ligações externasEditar