Oberdan Magalhães

Oberdan Magalhães
Informação geral
Nome completo Oberdan Pinto Magalhães
Nascimento 31 de março de 1945
Local de nascimento Rio de Janeiro, RJ
Brasil
Morte 9 de janeiro de 1984 (38 anos)
Local de morte Rio de Janeiro
Nacionalidade Brasileira
Gênero(s)
Ocupação(ões) arranjador, compositor e multi-instrumentista
Instrumento(s)
Período em atividade 1960 - 1984
Gravadora(s)
Afiliação(ões)

Oberdan Pinto Magalhães (Rio de Janeiro, 31 de março de 1945 - Rio de Janeiro, 09 de janeiro de 1984) foi um arranjador, compositor, saxofonista e multi-instrumentista de funk, samba-funk, soul, jazz fusion e samba jazz brasileiro. Tocou com diversos artistas, como Dom Salvador, Tim Maia, Luiz Melodia e Caetano Veloso, tendo ficado famoso por ser o fundador da Banda Black Rio. É sobrinho do sambista Silas de Oliveira.[1]

CarreiraEditar

Em 1960, iniciou a carreira apresentando-se em bandas de baile em shows e na televisão. Nos anos seguintes acompanhou diversos artistas, como Tim Maia, Cassiano, Raul Seixas e Caetano Veloso. No final da década de 1960, fez parte de diversos grupos instrumentais, nos quais conheceu os músicos que formariam a sua banda, a Banda Black Rio. Os principais foram: o grupo Impacto 8, que acompanhava o trombonista Raul de Souza (no disco International Hot, de 1968); a banda Cry Babies (que lançou um disco autointitulado em 1969); o grupo Abolição, que acompanhava Dom Salvador (no V Festival Internacional da Canção, com a canção "Abolição 1860 - 1980", e no disco Som, Sangue e Raça, de 1971); e o grupo de Osmar Milito (no álbum E Deixa o Relógio Andar, de 1971). Em 1975, fez os arranjos da canção "Ébano" com a qual Luiz Melodia ganhou o Festival Abertura.[2]

Em 1977, juntamente com Jamil Joanes, Barrosinho, Cristovão Bastos, Lúcio Trombone, Cláudio Stevenson e Luiz Carlos Batera fundou a Banda Black Rio, com a qual gravou 3 discos e obteve moderado sucesso.[2] Morreu em 9 de janeiro de 1984 em um acidente de carro próximo à Lagoa Rodrigo de Freitas, após participar de uma apresentação com o seu grupo.[3]

Referências

  1. «Oberdan biografia». Dicionário Cravo Albin da Música Popular Brasileira. N.d. Consultado em 4 de outubro de 2018 
  2. a b «Oberdan dados artísticos». Dicionário Cravo Albin da Música Popular Brasileira. N.d. Consultado em 4 de outubro de 2018 
  3. Mauro Almeida (10 de janeiro de 1984). Oberdan Magalhães, um sopro de coração. [S.l.]: Folha de S.Paulo. p. 34.