Abrir menu principal
Como ler uma infocaixa de taxonomiaManjericão
Ocimum gratissimum florido
Ocimum gratissimum florido
Classificação científica
Reino: Plantae
Divisão: Magnoliophyta
Classe: Magnoliopsida
Ordem: Lamiales
Família: Lamiaceae
Género: Ocimum
Espécie: O. gratissimum
Nome binomial
Ocimum gratissimum
L.

Ocimum gratissimum, popularmente conhecida como alfavacão, alfavaca-cravo, manjericão-cheiroso ou simplesmente alfavaca ou manjericão, é uma espécie do gênero Ocimum,[1] provavelmente originária da Índia e subespontânea em todo o Brasil.[2]

Índice

Usos medicinaisEditar

O óleo essencial de Ocimum gratissimum contém 70-80% de eugenol (Gupta, 1994; Lorenzi & Matos, 2002), sendo importante a para a produção comercial de eugenol na Índia, onde vem sendo cultivada. A planta mostra alguma evidência de atividade antibacteriana, sendo bastante utilizada na medicina, indústria e agricultura em função das propriedades antifúngica, antibacteriana, antidiarreica, hipoglicemiante e antiinflamatória. Apresenta ainda, ação antisséptica local, sendo utilizada como aromatizante bucal.[3]

Testes em cobaias provaram que o óleo essencial relaxa os músculos do intestino delgado, de acordo com o uso tradicional da planta para o tratamento de distúrbios gastrointestinais[4] e do trato urinário.[5] O banho preparado com as folhas é usado externamente para combater qualquer tipo de micose. O xarope das folhas com mel é usado contra tosses, dores de cabeça e bronquites. A decocção das raízes é usada contra diarreias, distúrbios do estômago, dores de cabeça e como sedativo para crianças. O xarope preparado com as raízes é indicado contra tosses e dores de cabeça.[6]

Uso culinárioEditar

É uma planta com diversas aplicações na área da culinária, é utilizada em molhos de macarrão, pizzas e temperos para churrascos. Os ramos ainda verdes são usados em saladas, ou, secos, como condimento.

Ver tambémEditar

Referências

  1. "Antidiarrhoeal effects of Ocimum gratissimum leaf extract in experimental animals". Veronica N. Offiah, Unoma A. Chikwendu,Journal of Ethnopharmacology, Vol. 68, No. 1-3, Dec. 15, 1999, pp. 327-330.
  2. Enraizamento de Estacas de Alfavaca (Ocimum gratissimum L.) Arquivado em 22 de novembro de 2010, no Wayback Machine., por Marçal Henrique Amici Jorge, Flávio da Silva Emery e Alessandra Moraes e Silva.
  3. Detecção de Aethalion reticulatum (L., 1767) (Hemiptera: Aethalionidae) em alfavaca-cravo (Ocimum gratissimum L.) e observações sobre sua ocorrência, por Rando, J.S.S e Lima, C.B. Revista Brasileira de Plantas Medicinais, vol.12, nº2. Botucatu, abr.- jun. 2010. ISSN 1516-0572.
  4. "Antibacterial Activity of Ocimum gratissimum L. Essential Oil", por Celso Vataru Nakamura, Tania Ueda-Nakamura, Erika Bando, Abrahão Fernandes Negrão Melo, Díogenes Aparício Garcia Cortez, Benedito Prado Dias Filho. Memórias do Instituto Oswaldo Cruz, Vol. 94(5): 675-678.]
  5. Justification for the use of Ocimum gratissimum L in herbal medicine and its interaction with disc antibiotics por Emeka I Nweze e Elizabeth E Eze. BMC Complementary and Alternative Medicine 2009, 9:37
  6. DI STASI, Luiz Claudio e HIRUMA-LIMA, Clélia Akiko. Plantas medicinais na Amazônia e na Mata Atlântica. São Paulo: Unesp, 2002.
  Este artigo sobre a ordem Lamiales, integrado no Projeto Plantas é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.