Oclusiva labiodental sonora

Oclusiva labiodental sonora ou plosiva labiodental sonora é um tipo de fone consonantal produzido como um /b/[1] feito com o lábio inferior tocando o dente superior, como um /v/.[2][3] Não possui sinal no Alfabeto Fonético Internacional,[4] mas hoje seu símbolo é o /b̪/.[5]

Oclusiva labiodental sonora
IPA 102 408
Codificação
Entidade (decimal) b​̪
Unicode (hex) U+0062 U+032A
X-SAMPA b_d
Kirshenbaum b[
Símbolo demonstrativo da Oclusiva labiodental sonora.

A plosiva labiodental sonora não é conhecida por ser fonêmica em nenhuma língua. No entanto, ocorre alofonicamente: No idioma austronésio Sika, este som ocorre como um alofone do flepe labiodental em pronúncia cuidadosa. O dialeto XiNkuna de Tsonga tem africadas, [p̪͡f] (africado labiodental surdo) e [b̪͡v] (africado labiodental expresso) (isto é, [ȹ͡f] e [ȸ͡v]), que ao contrário do africado bilabial-labiodental [p͡f] do alemão são puramente labiodentais.

CaracterísticasEditar

  • Sua modo de articulação é oclusiva, ou seja, produzida pela obstrução do fluxo de ar no trato vocal.
  • Como a consoante também é oral, sem saída nasal, o fluxo de ar é totalmente bloqueado e a consoante é uma plosiva.
  • Seu ponto de articulação é labiodental, ou seja, está articulado com o lábio inferior e os dentes superiores.
  • Sua fonação é sonora, o que significa que as cordas vocais vibram durante a articulação.
  • É uma consoante oral, o que significa que o ar só pode escapar pela boca.
  • O mecanismo da corrente de ar é pulmonar, o que significa que é articulado empurrando o ar apenas com os pulmões e o diafragma, como na maioria dos sons.

OcorrênciaEditar

Língua Palavra AFI Significado Notas
Dinamarquês[6] véd [b̪̆e̝ːˀð̠˕ˠ] Saber também descrita como aproximante /ʋ/ e raramente como africada /v/.[7]
Ibanag bavi [bab̪ᵛiː] Porco Ligeiramente africado; variante alofônica de /v/ para alguns falantes idosos, especialmente aqueles que não possuem os dentes da frente. Pode ser uma aba /ⱱ/ em vez disso.
Sika [exemplo necessário] Alofone de /ⱱ/ em pronúncia cuidadosa.

Referências

  1. Schramm 1964, p. 16.
  2. Massaro 2014, p. 44.
  3. Newmark 1957, p. 16.
  4. Pullum 2013, p. 23.
  5. Ball 2014, p. 193.
  6. Basbøll 2005, p. 27.
  7. Basbøll 2005, p. 27, 66.

BibliografiaEditar

  • Ball, Martin J.; Müller, Nicole (2014). Phonetics for Communication Disorders. Londres e Nova Iorque: Imprensa de Psicologia, Grupo Taylor & Francis 
  • Basbøll, Hans (2005). The Phonology of Danish. Oxônia: Imprensa da Universidade de Oxônia 
  • Massaro, Dominic W. (2014). Understanding Language: An Information-Processing Analysis of Speech Perception, Reading, and Psycholinguistics. São Francisco, Nova Iorque e Londres: Imprensa Acadêmica 
  • Newmark, Leonard (1957). Structural Grammar of Albanian. Bloomington, Indiana: Imprensa da Universidade de Indiana 
  • Pullum, Geoffrey K.; Ladusaw, William A. (2013). Phonetic Symbol Guide. Chicago: Imprensa da Universidade de Chicago 
  • Schramm, Gene Moshe (1964). The Graphemes of Tiberian Hebrew. Berkeley: Imprensa da Universidade da Califórnia