Olga Novo

Olga Novo
Nascimento 29 de janeiro de 1975 (45 anos)
Cidadania Espanha
Alma mater Universidade de Santiago de Compostela
Ocupação poetisa, pintora, escritora, ensaísta

Olga Novo (Vilarmao, A Pobra do Brollón, Lugo, 1975) é uma poeta e ensaísta galega[1]. Licenciada em Filologia Galego-Portuguesa pela Universidade de Santiago de Compostela, sendo também professora numerária de Ensino Secundário e leitora na Universidade da Alta Bretanha em Roazhon (Rennes), além de professora de literatura na Universidade da Bretanha Sur em Lorient.

BiografiaEditar

Como poeta, deu-se a conhecer precocemente com três poemários de grande autenticidade vivencial, força expressiva, profundidade telúrica e sensualidade erótica, A teta sobre o sol (1996), Nós nus (1997) e A cousa vermella (2004). Nesta linha telúrica, destaca-se também a poesia de denúncia ligada a temas ecológicos[2].

Também publicou um livro de arte compartilhado com Alexandra Domínguez e Juan Abeleira, intitulado Magnalia, e poemas em antologias, livros colectivos, revistas (Festa da Palabra Silenciada, Dorna, Xistral) e jornais (El País, ABC). Fez parte dos conselhos de redacção das revistas Ólisbos, Animal, Unión Libre e Valdeleite. Traduziu, do galego, El contradiscurso de las mujeres. Historia del proceso feminista, de Carmen Blanco.

Publicou também livros como analista e ensaísta.

Participou com estudos em congressos e revistas (Ínsula, Moenia, Boletín Galego de Literatura, Anuario de Estudios Literarios Galegos, Revista Galega do Ensino, A Nosa Terra, La Torre. Revista de la Universidad de Puerto Rico, etc.)

Focou-se sobretudo em propostas ligadas ao Surrealismo: escreveu sobre o escritor André Breton, o cantautor Léo Ferré e o pintor Eugenio Granell, e com a temática erótica, como reflecte o seu ensaio "Tratado da pel", publicado no monográfico "Erotismos" de Unión Libre (1999), por ela mesma coordenado.

O Patronato da Cultura Galega de Montevideu dedicou-lhe o Dia da Poesia Galega em 2004.

PrêmiosEditar

ObrasEditar

PoesiaEditar

  • A teta sobre o sol (1996)
  • Nós nus (1997)
  • A cousa vermella (2004)

Análises e ensaiosEditar

Ligações externasEditar

Referências