Abrir menu principal
Opérculo córneo da espécie Tegula viridula (Gmelin, 1791).
Concha do caramujo de água doce do gênero Pomacea sobre a terra, com seu opérculo córneo cerrando a abertura. No destaque, em branco, o opérculo, que se posiciona como uma vírgula invertida, quando a espiral está para cima.
Detalhe do opérculo no destaque da imagem acima.

Em moluscos da classe Gastropoda[1], o opérculo (do latim: operculum; na tradução para o português, "cobertura" ou "tampa")[2] é uma estrutura anatômica do seu , podendo ser de natureza córnea ou calcária, e que funciona como um encaixe protetor, em sua abertura, como um alçapão, encerrando o animal na concha de maneira mais ou menos eficaz contra a predação; também servindo para proteger o molusco em condições momentâneas de estiagem.[1] Está presente em caramujos marinhos e de água doce (não incluindo todas as espécies), e ainda em alguns grupos de caracóis terrestres, incluindo, entre outras, as famílias Helicinidae, Cyclophoridae, Aciculidae, Maizaniidae e Pomatiidae. Nos Strombidae, marinhos, o opérculo, em forma de garra, é usado para empurrar o substrato de uma forma saltitante, realizando sua locomoção. Muitas famílias os possuem reduzidos em seu tamanho, tornando-se estruturas vestigiais e não sendo mais capazes de fechar a abertura da concha.[3]

PulmonataEditar

Praticamente todos os caracóis terrestres Pulmonata não têm um opérculo; no entanto, algumas espécies são capazes de segregar uma estrutura temporária que pode, em alguns casos, servir-se das mesmas funções que um opérculo. Esta estrutura pode ser distinguida do verdadeiro opérculo pela sua homogeneidade ou falta de marcas de crescimento.[3]

Galeria de imagensEditar

Referências

  1. a b RAWAT, Rita (2010). Atonomy of Mollusca (em inglês). New Delhi / India: ISPA - Google Books. p. 187. ISBN 81-8293-028-6. Consultado em 21 de março de 2019 
  2. «operculum (n.)» (em inglês). Online Etymology Dictionary. 1 páginas. Consultado em 21 de março de 2019 
  3. a b Fonte: Wikipédia inglesa.
  4. «Turbo jourdani» (em inglês). World Register of Marine Species. 1 páginas. Consultado em 21 de março de 2019 
  5. LINDNER, Gert (1983). Moluscos y Caracoles de los Mares del Mundo (em espanhol). Barcelona, Espanha: Omega. p. 42. 256 páginas. ISBN 84-282-0308-3 
  6. «Rapana venosa» (em inglês). World Register of Marine Species. 1 páginas. Consultado em 21 de março de 2019 
  7. a b ABBOTT, R. Tucker; DANCE, S. Peter (1982). Compendium of Seashells. A color Guide to More than 4.200 of the World's Marine Shells (em inglês). New York: E. P. Dutton. p. 46. 412 páginas. ISBN 0-525-93269-0 
  8. «Conus gloriamaris» (em inglês). World Register of Marine Species. 1 páginas. Consultado em 21 de março de 2019 
  Este artigo sobre animais é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.