Abrir menu principal

Operação Crátons é uma operação da Polícia Federal do Brasil, deflagrada em 8 de dezembro de 2015, como um desdobramento da Operação Lava Jato que investiga a exploração ilegal de diamantes.[1][2][3] A Operação Crátons tem como objetivo combater a prática de crimes ambientais ligados à extração e comercialização ilegal de diamantes das terras dos índios Cinta-Larga.[4] A investigação é um desdobramento direto da Operação Lava Jato.[1]

Índice

MandadosEditar

Foram cumpridos 90 mandados por 220 policiais federais, sendo 11 de prisão preventiva, 41 de busca e apreensão, 35 de condução coercitiva, e 3 intimações para oitivas.[1]

HistóricoEditar

A operação demandou quase dois anos de investigação da Polícia Federal (PF) e do Ministério Público Federal (MPF). Apesar de ser um desmembramento da Lava Jato, a Crátons surgiu no início de 2014 quando a Funai apresentou indícios de garimpo ilegal em Rondônia, na região conhecida como garimpo Roosevelt, considerado um dos locais mais importantes de exploração de diamantes do mundo.[3]

A investigação é conduzida pela PF e pelo MPF em Rondônia, a partir de informações sobre a atuação do doleiro Carlos Habib Chater, o primeiro preso da Operação Lava Jato, em março de 2014.[4]

As investigações, segundo a PF, revelaram a existência de uma organização criminosa formada por empresários, comerciantes, garimpeiros, advogados e indígenas acusados de financiar, gerir e promover a exploração de diamantes no chamado "Garimpo Lage", localizado na reserva indígena Parque do Aripuanã, dos índios cinta-larga.[4]

Ver tambémEditar

Referências

  1. a b c Camila Bomfim e Ana Paula Andreolla (8 de dezembro de 2015). «Polícia Federal realiza no DF e 9 estados operação ligada à Lava Jato». G1. Consultado em 9 de março de 2016 
  2. Agencia Brasil. «PF faz operação de combate a crimes ambientais em nove estados e no DF». EBC. Consultado em 9 de março de 2016 
  3. a b Letícia Casado. «PF deflagra operação que investiga comércio ilegal de diamantes». Valor Econômico. Consultado em 9 de março de 2016 
  4. a b c «PF combate exploração ilegal de diamante em desdobramento da Lava-Jato». Zero Hora. 8 de dezembro de 2015. Consultado em 9 de março de 2016