Abrir menu principal

Operação Infinite Reach

Operação Infinite Reach
Operation Infinite Reach.jpg
Uma fábrica no Sudão bombardeada durante a operação.
Data 20 de agosto de 1998
Local Afeganistão e Sudão
Desfecho
  • Ataques infligem baixas e danificam instalações da Al-Qaeda, mas não conseguem matar líderes da Al-Qaeda.
  • Fábrica farmacêutica de Al-Shifa destruída.
Combatentes
 Estados Unidos al-Qaeda
Harkat-ul-Mujahideen
 Sudão
Líderes e comandantes
Estados Unidos Bill Clinton
Estados Unidos Anthony Zinni
Osama Bin Laden
Sudão Omar al-Bashir
Fazlur Rehman Khalil
Forças
Cerca de 6 navios e 1 submarinos ~ 600 militantes
Vítimas
Não houve Flag of Jihad.svg 6 a 50 militantes mortos
Flag of Sudan.svg 1 morto, 10 feridos

Os bombardeios do Afeganistão e do Sudão em agosto de 1998, de codinome Operação Alcance Infinito[1] pelos Estados Unidos (em inglês: Operation Infinite Reach), foram ataques de mísseis Tomahawk de um cruzador da Marinha dos Estados Unidos, em 20 de agosto de 1998, sobre as bases terroristas e campos de treinamento da Al-Qaeda no Afeganistão e a uma fábrica farmacêutica no Sudão, na sequência de suspeitas de que a fábrica de al-Shifa estava produzindo armas químicas e era controlada pelo terrorista árabe Osama bin Laden. O ataque foi em retaliação pelos atentados às embaixadas americanas no Quênia e na Tanzânia que mataram 224 pessoas (incluindo 12 americanos) e feriram 5.000.[2]

Referências