Abrir menu principal

Operação Que País é esse

A Operação "Que País é esse?" foi o nome dado pela Polícia Federal do Brasil à 10.ª fase da Operação Lava Jato, deflagrada em 16 de março de 2015. A operação contou com a participação de 40 policiais federais que cumpriram 18 mandados judiciais, no Rio de Janeiro e em São Paulo.[1] O nome da operação faz referência a uma frase dita pelo ex-diretor de serviços da Petrobras Renato Duque ao ser preso em novembro de 2014 pela PF, após seu nome estar envolvido e ser investigado pela força-tarefa da Lava Jato, por participar do esquema de desvios de recursos da Petrobras.[1]

InvestigaçãoEditar

A operação investigou Renato Duque; o empresário paulista Adir Assad, investigado na CPMI do Cachoeira; e Lucélio Góes, filho de Mário Góes, apontado como um dos operadores.[1] Renato Duque tentava ocultar patrimônio não declarado mantido na Suíça.[2] Para os investigadores, Duque é o elo do PT com o esquema de desvio da estatal.[3]

Prisão preventivaEditar

O ex-diretor da Petrobras, Renato Duque, foi preso em casa no Rio de Janeiro, Adir Assad foi preso em São Paulo. Os presos foram levados para Curitiba.[1] Duque já havia sido preso anteriormente na operação, mas havia sido solto por um habeas corpus aceito pelo ministro do Supremo Tribunal Federal, Teori Zavascki.[3]

Prisão temporáriaEditar

Os mandados de prisão temporária foram contra Sônia Marisa Branco e Dario Teixeira Alves, que foram levados para Superintendência da PF, em Curitiba.[1]

Ver tambémEditar

Referências

  1. a b c d e G1 (16 de março de 2015). «10ª fase da Operação Lava Jato cumpre 18 mandados no RJ e SP». Globo Parana. Consultado em 10 de setembro de 2015 
  2. «Inografico Operação Lava Jato». Estadão. Consultado em 10 de setembro de 2015 
  3. a b «PF deflagra 10º fase da Lava Jato e Renato Duque é preso». Estadão Política. 16 de março de 2015. Consultado em 10 de setembro de 2015 

Ligações externasEditar