Operação Vinhas da Ira

Operação Vinhas da Ira (em hebraico: מבצע ענבי זעם) é o nome usado pelas forças armadas israelenses para se referir à campanha de dezesseis dias contra o Líbano em 1996 em uma tentativa de acabar com os ataques pelo Hezbollah ao norte de Israel.[3][4] Israel realizou mais de 1 100 ataques aéreos e bombardeios extensivos (cerca de 25 000 projeteis). O Hezbollah, a partir de suas bases no sul do Líbano, lançou 639 foguetes contra o norte de Israel, especialmente na cidade de Qiryat-Chemoná. As forças do Hezbollah também participaram de numerosos confrontos com as forças israelenses e do Exército do Sul do Líbano.

Operação Vinhas da Ira
Conflito no sul do Líbano (1982–2000)
Data 11–27 de Abril de 1996
Local Líbano, norte de Israel
Desfecho Cessar-fogo sobre alvos civis[1]; grande parte da infra-estrutura libanesa destruída.
Beligerantes
Israel Israel
Exército do Sul do Líbano
InfoboxHez.PNG Hezbollah
 Síria
Comandantes
Israel Shimon Peres
Israel Amnon Lipkin-Shahak
InfoboxHez.PNG Hassan Nasrallah
Síria Mustafa Tlass
Baixas
3 soldados israelenses mortos 14 combatentes do Hezbollah mortos
Cerca de uma dezena de soldados sírios mortos[2]


Um cessar-fogo foi alcançado em 27 de abril para evitar mais vítimas civis. Esta ofensiva resultou em 175 mortos e 351 feridos, a maioria civis,[1] e mais de 300 000 refugiados.

Um dos episódios mais significativos deste conflito foi o bombardeio de Caná, uma instalação das Nações Unidas atingida por bombas israelenses, o que provocou a morte de 118 civis libaneses.

Referências