Abrir menu principal
Merge-arrow 2.svg
Este artigo ou secção deverá ser fundido com Opsonina. (desde maio de 2019)
(por favor crie o espaço de discussão sobre essa fusão e justifique o motivo aqui; não é necessário criar o espaço em ambas as páginas, crie-o somente uma vez. Perceba que para casos antigos é provável que já haja uma discussão acontecendo na página de discussão de um dos artigos. Verifique ambas (1, 2) e não esqueça de levar toda a discussão quando levar o caso para a central.)

Opsonização, em imunologia, é o processo que consiste em fixar opsoninas, e.g. imunoglobulinas, em epítopes do antígeno, permitindo a fagocitose.[1] Opson (ὄψον) é a transliteração de uma palavra grega que significa condimento, tempero, molho, ou seja, algo que facilite a digestão. Uma das mais importantes opsoninas provém do sistema complemento: a C3b.[2]

Se for feita uma analogia, este processo seria como passar mel em uma pessoa e colocá-la em um quarto fechado cheio de ursos. Neste caso, os ursos seriam os macrófagos e granulócitos e a pessoa, o invasor do organismo, que seria fagocitado (devorado) pelos ursos (representando as células de defesa do organismo).[3]

Referências

  1. ABBAS, Abul K. et. al. Imunologia Celular e Molecular. 6. ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2008 ISBN 978-85-352-2244-9
  2. PEAKMAN, Mark. VERGANI, Diego. Imunologia Básica e Clínica. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1999.
  3. LEVY, Elinor. MONTE, Tom. Os Dez Mandamentos do Sistema Imunológico. 2. ed. São Paulo: Ground, 2008 ISBN 978-85-7187-135-9
  Este artigo sobre Biologia celular é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.