Abrir menu principal
Orbe
Vocalista da banda Orbe em ensaio fotográfico em 2014
Márcio Marques Vocalista da banda Orbe em ensaio fotográfico em 2014.
Informação geral
Origem Porto Velho, Rondônia
País  Brasil
Gênero(s) Rock alternativo, Grunge
Período em atividade 19962001
2007
2012
2018 – atualmente
Gravadora(s) Estúdio Verde (selo independente)
Studio L.R
Integrantes Márcio Marques
Alex Marques
Rafael Oliveira
Liam Mojalott
Ex-integrantes Giancarlo
Giuliano
Jr.
Walter
Inaldo Alencar
Átila Barros
John Silva
Robson Almeida

Orbe, é uma banda de rock alternativo brasileira, fundada em 1996 por Márcio Marques (Guitarra e voz) em Porto Velho, estado de Rondônia. A banda gravou o seu 1º álbum no ano 2000

Encarte do álbum ABORTO

intitulado, Aborto.[1] Cada faixa trazia temas instigantes: "Na infância", "Drogas na escola", "Mendicidade", "Adolescência", "Na periferia", "Sempre esteve só", "Meu piedoso Deus", "Trabalhadores noturnos", "Não experimente", "Delírio em uma prisão", "Patrícios" e "Opressor".[2]

HistóriaEditar

InícioEditar

Após ter ganho um violão de um de seus irmãos em seu aniversário de 15 anos em abril 1994, Márcio passou a compor, pois com este objetivo buscava aprender o instrumento. Formou sua primeira banda de rock naquele mesmo ano, a qual chamou de "Os jovens guardas". Nos fins de semana ensaiava e se influenciava pelas músicas das bandas Engenheiros do Hawaii, Beatles e Nirvana; essas coisas aconteciam nos últimos meses do ano de 1994, ano em que também foi composta uma de suas primeiras músicas, “Adolescência”, música que falava de prostituição, porte de armas e suicídio de adolescentes por imitarem Kurt Cobain. Em 1996 Márcio conhece um adolescente chamado Jr., o qual era seu vizinho e se aproximou por saber que era envolvido com música, o som da bateria na vizinhança deixava claro o fato. O garoto disse ter também uma banda com dois amigos. Márcio procurando pessoas que entendessem o estilo de música que pretendia tocar, pediu que o jovem lhe apresentasse os rapazes. Certo dia chegou em sua casa Jr. e mais dois adolescentes, Giuliano e Giancarlo; Marques mostrou a eles algumas demos; foi quando também declarou que não pretendia tocar músicas de outras bandas por preferir criar suas próprias canções: “Não tenho prazer em tocar as músicas dos outros, elas não falam o que eu quero dizer”, alegava. Então passaram a tocar juntos usando um nome sem significado: "Huailler". Com a saída de Jr. e Giuliano e a entrada de um novo integrante o nome da banda é mudado para “Orbe” e aconteceu a primeira apresentação da banda em uma escola. Enquanto tentava inscrever o grupo num festival de rock em 1998, Márcio conheceu Inaldo Alencar, que assumiria o baixo e também financiaria o 1° álbum da banda.[3]

Formação Original (1998 - 2000)Editar

  • Márcio Marques - Voz e guitarra.
  • Giancarlo - Bateria.
  • Inaldo Alencar - Baixo.

As atividades da bandaEditar

Do período de 1996 a 2000 quando gravou o seu 1° álbum, a banda fez várias apresentações, incentivando bandas locais a comporem suas próprias músicas, influenciando muitas delas. E cantaram em suas letras mensagens contra o uso de drogas, fanatismo de jovens, abuso do poder de autoridades e sobre prostituição de adolescentes. Devido a problemas com integrantes e com a saúde, Marques decidiu, por tempo indeterminado, dar uma pausa nas atividades da banda em julho de 2001. O baixista tentou carreira com outras bandas, o baterista mudou-se de país e Márcio entregou-se ao cristianismo por alguns anos. Em setembro de 2007, a banda com novos integrantes liderada por Marques, fez uma grande apresentação na UNIR em Porto Velho, o vocalista, porém, não prosseguiria com a banda. Em maio de 2011, uniu-se a Liam Mojalott, um dos ex - baixistas da mesma e iniciaram um projeto chamado RadioApache, o que seria uma nova banda.[4] Mas o tal projeto não durou muito tempo. Em outubro de 2011 Com a entrada dos integrantes Átila Barros, John Silva e Robson Almeida, Marques anunciou o retorno definitivo do grupo.[5]

 
Orbe band in 2011

Após envolver-se em atividades com a comunidade acadêmica visando a expansão do movimento musical e artístico através da Pró-Reitoria de Cultura, Extensão e Assuntos Estudantis (PROCEA),[6] para outros estados do Brasil, a banda Recebeu da Fundação Universidade Federal de Rondônia (UNIR), um ofício de agradecimento pelos shows artísticos realizados em sua sede central.[7] Entrevistada por um estúdio de sua capital, entrevista esta que falava sobre o retorno da banda e os novos projetos da mesma, após o lançamento da entrevista no youtube, chegou a aparecer na página da consagrada revista britânica NME.[8] Depois do retorno da banda em 11 de outubro de 2011 e do show em 3 de março de 2012, houve a saída de dois dos músicos convidados para o show de retorno.[9]

PolêmicaEditar

Tendo dado uma entrevista a um jornal local no dia 3 de outubro de 2012, o vocalista desabafou e demonstrou toda sua frustração por viver, segundo ele, num Estado onde "o movimento de rock" é "inexistente", o que levou a revolta de uns poucos que se consideravam roqueiros, e se manifestaram através de uma rede social, chegando estes a criticarem o vocalista em baixo calão. O que o músico dissera ao jornal foi que: - "Viver num "movimento de rock" local não é viver a vida real (...)" E ainda que 90% das pessoas da capital eram ecléticas, isto é, ouvem tudo o que a mídia expõe. E também: - "Nem a Ordem dos Músicos do Brasil (OMB)"existe" em Porto Velho, pois não funciona". E fez um apelo, pedindo para que as "bandas" da cidade não fizessem covers de sua banda, mas criassem suas próprias canções. A respeito da mudança de integrantes na banda ele declarou: "A banda nunca teve membros fixos, Orbe sempre foi uns caras tocando comigo".[10]Em 2012 Orbe encontrava-se em estúdio gravando seu 2° álbum.[11]

Fim da bandaEditar

O vocalista anunciou o fim da banda em 15 de fevereiro de 2013, após sofrer um acidente em que lesionou os cotovelos. Recuperado, voltou ao seu projeto solo iniciado em 2011. Não chegando lançar o que seria o segundo álbum da banda Orbe.[12]

O incentivo ao retornoEditar

Após receber o convite para participar de um documentário próximo ao final do ano de 2017, sobre o movimento grunge no Brasil, documentário este produzido pela criadora da revista online MAQUINÁRIA DO GRUNGE, Cíntia da Hora Paz da Silva (Cin da Hora) de São Paulo , que reuniu pelo menos oito bandas grunges brasileiras, sendo elas: The Dirty Boyz Rollercoaster e Kepes de São Paulo, Innoperantes de GuarulhosSP, Inkognita de Porto AlegreRS, Frogslake do Rio de JaneiroRJ, Alice Anne de ManhuaçuMG, Zerbiny de São LuísMA e Orbe que representou o grunge na região norte do país, o vocalista aproveitou a ocasião para lançar música e vídeo intitulados Ego Star . [13]

O retorno da bandaEditar

Após o lançamento do documentário, Márcio Marques em reunião com Alex Marques, novo baixista, anunciaram através da fanpage da banda o retorno oficial da mesma no dia 7 de janeiro de 2018. [14]

Participação em coletânea a nível nacionalEditar

Após o retorno da banda, que teve influência direta da revista eletrônica MAQUINÁRIA DO GRUNGE, a mesma foi convidada à participar de uma coletânea a nível nacional, lançada no período do último carnaval (2018), intitulada “Maquinária do Grunge BR Collection Edição I”, a qual reuniu 17 bandas de todo o Brasil em 41 faixas e uma faixa bônus. Todas as bandas que participaram da coletânea são bandas grunges brasileiras e autorais, movimento chamado de “Grunge BR”. [15]

Uma das bandas mais importantes da região norte do BrasilEditar

Em artigo publicado pela wiki amino que trata do gênero indie rock ao redor do mundo, antes do retorno da banda, a mesma foi considerada como uma das bandas mais importantes do gênero na região norte do Brasil. [16]

DiscografiaEditar

Álbuns de estúdioEditar

  • Aborto (2000, Estúdio verde)

SinglesEditar

Referências

  1. News Rondônia. «SHOW DO RETORNO DA BANDA ORBE DIA 3 DE MARÇO DE 2012 NA ESCADARIA DA UNIR». News Rondônia. Consultado em 27 de janeiro de 2012 
  2. News Rondônia. «BANDA ORBE FAZ UMA APRESENTAÇÃO MARCANTE NAS ESCADARIAS DA UNIR EM PORTO VELHO». News Rondônia. Consultado em 5 de março de 2012 
  3. Rondoniaovivo. «Banda Orbe faz pré-lançamento de CD na escadaria da Unir no próximo sábado». Rondoniaovivo. Consultado em 29 de fevereiro de 2012 
  4. News Rondônia. «BANDA RADIOAPACHE VAI GRAVAR EM SÃO PAULO». News Rondônia. Consultado em 3 de Maio de 2011 
  5. News Rondônia. «BANDA ORBE VOLTA PARA PORTO VELHO». News Rondônia. Consultado em 26 de novembro de 2011 
  6. «Universidade Federal de Rondônia». Unir.br. Consultado em 4 de maio de 2012 
  7. News Rondônia. «BANDA ORBE RECEBE OFÍCIO DE AGRADECIMENTO DA FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA - UNIR». News Rondônia. Consultado em 4 de maio de 2012 
  8. «[DESENGAVETANDO] ENTREVISTA COM A BANDA ORBE | Video Youtube - NMETV Latest Music Videos and Clips». Nme.Com. Consultado em 26 de maio de 2012 
  9. ImagemNews. «Banda de rock alternativo Orbe é convidada para abrir os shows de Calouros realizados pela SECEL». ImagemNews. Consultado em 11 de setembro de 2012 
  10. Assessoria. «Banda Orbe não se apresenta mais em Porto Velho». Imagemnews. Consultado em 3 de outubro de 2012 
  11. Universidade Federal de Rondônia. «Banda Orbe faz pré-lançamento de CD na escadaria da Unir no próximo sábado». Universidade Federal de Rondônia. Consultado em 29 de fevereiro de 2012 
  12. News Rondônia. «CANTOR MARCIO MARQUES LANÇA CD NA CASA DE CULTURA IVAN MARROCOS». News Rondônia. Consultado em 2 de julho de 2013 
  13. News Rondônia. «GRUNGE 2018 – O ANO DO MOVIMENTO GRUNGE BRASILEIRO». News Rondônia. Consultado em 9 de janeiro de 2018 
  14. O Observador. «`Quem somos Grunges – A Era Atual Pós – 90´». O Observador. Consultado em 15 de janeiro de 2018 
  15. O Observador. «O carnaval do Grunge BR». O Observador. Consultado em 14 de fevereiro 2018 
  16. O Observador. «O carnaval do Grunge BR». O Observador. Consultado em 14 de fevereiro 2018