Abrir menu principal
Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde Janeiro de 2013). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Os Mirins
Informação geral
Origem São Francisco de Paula
País Brasil Brasil
Gênero(s) música regionalista gaúcha
Período em atividade 1957 - atualmente

Os Mirins, é um grupo de musica tradicional do estado brasileiro do Rio Grande do Sul, criado no ano de 1958 por Albino Manique e Francisco Castilhos.

Chico Castilhos (14 anos) e Albino Manique (12 anos) se apresentavam num concurso musical de uma igreja em São Francisco de Paula, no Rio Grande do Sul. Como a dupla não tinha nome ainda, o animador Jair Teixeira disse que iria apresentá-los como Dupla Mirim. Em 1977, Oscar Soares, mais conhecido como Oscarzinho, integra-se ao grupo. (Fonte: Jornal Zero Hora - 16/05/1998 -)

EtimologiaEditar

"Mirim" é um termo de origem tupi que significa "pequeno"[1].

HistóriaEditar

Seus primeiros LPs foram "Barbaridade" e "Outra Barbaridade".

Em 1962 Chico se afasta da dupla e entra para o Grupo Os Araganos.

Em 63 entra para fazer parte da dupla o grande Antoninho Duarte. Gravam os LPs: Festa na Querência, Rodeio de Emoções, Máguas de Trovador e Dupla Mirim.

Em 71 Chico retorna dando o nome de Os Mirins e gravam os álbuns Os Mirins e Suas Canções Vol: 1, 2 e 3

Em 77 sai Antoninho e entra Oscar Soares.

Nos anos 1980 a música Baile de candieiro, uma das mais conhecidas do grupo, torna-se música tema de abertura do programa Galpão Crioulo. Nessa década também, são contratados pela gravadora acit.

No início da década de 1990, Oscarzinho deixa os Mirins para integrar o Grupo Som Campeiro juntamente com Beto Caetano.

Eram conhecidos por um dos poucos grupos que lançava um LP a cada ano e desde ai vieram vários, entre eles "Fandango dos Mirins", "Tchê de Bombacha", "Mate de Esperança" e "O Canto do Povo", que também saiu em CD.

Em 1997, comemoram 40 Anos de Carreira e lançam uma coletânea com três CDS, o primeiro traz regravações de grandes músicas, o segundo foi o CD daquele ano chamado "Meu Nome é Tchê!", e o terceiro é um CD instrumental de Albino Manique.

1999 faz com o que grupo passasse por reformulações, Chico Castilhos pausava suas funções de baixista pra virar apenas cantor e Leandro Ramos entra para acessorar e essa formação lança três CDS, "O Rio Grande Me Conhece", "De Todos os Tempos" e "Procurando Horizonte".

Membros da bandaEditar

Integrantes atuais
  • Albino Manique (Acordeom)
  • Tonho Júnior (Acordeom, voz solo e vocal)
  • Carlinhos Steiner (Acordeom)
  • João Kerber (Voz Solo e vocal)
  • Guilherme Otto Lopes (Bateria e vocal)
  • Adilson Rocha (Baixo, voz solo e vocal)
  • Jorge Henrique (Guitarra e vocal)
Ex-Integrantes
  • Antoninho Duarte (Violão e voz solo)
  • Francisco Castilhos (Baixo, voz solo e vocal)
  • Carlos Adenir (Bateria)
  • Pedro Neves (Voz Solo e vocal)
  • Oscar Soares (Guitarra, voz solo e vocal)
  • Lincon Ramos (Acordeão, voz solo e vocal)
  • Rodrigo Pires (Gaita Ponto)
  • Rodrigo Lucena (Acordeão, voz solo e vocal)
  • Orlando Rocha (Gaita ponto)
  • Humberto Machado (Zulú)/(Acordeon)
  • Leandro Ramos (Baixo, voz solo e vocal)
  • Luis Carlos Borges da Luz "Kaito" (guitarra e voz)
  • Clai Soares (acordeão)
  • Juliano Santos (bateria)
  • Paulinho (guitarra e vocal)
  • Ivo Soares (bateria)
  • Rafael Feijó (bateria)
  • Luciano Carvalho (voz solo, baixo e vocal)
  • Maikel Fernando (vocal)
  • Luciano Flores da Rosa "Tubarão" (guitarra e vocal)
  • Maikel Ivan (guitarra e voz)
  • Pedro dos Santos (voz solo e vocal)
  • Kaco (bateria)
  • Rafael Santos (bateria e voz)
  • Erico Darci (acordeon)
  • Galo véio (primeiro baterista do grupo)

DiscografiaEditar

Esses ainda quando eram chamados de Dupla Mirim
  • 1961: Barbaridade!
  • 1962: Outra Barbaridade
  • 1963: Dupla Mirim
  • 1964: Festa na Querência
  • 1965: Rodeio de Emoções
  • 1969: Máguas de Trovador
  • 1970: Dupla Mirim

Álbuns de estúdioEditar

  • 1972: Os Mirins e suas Canções
  • 1974: Os Mirins e suas Canções Vol 2
  • 1975: Os Mirins e suas Canções Vol 3
  • 1977: Pra Mais de Metro
  • 1979: Imagens do Sul
  • 1981: Recanto da Natureza
  • 1982: Roda de Chimarrão
  • 1983: Posta Sul
  • 1985: Bom de Dança
  • 1986: 25 Anos
  • 1987: Som Campeiro
  • 1988: Fandango dos Mirins
  • 1989: Dançando com Os Mirins
  • 1991: Tchê de Bombacha
  • 1993: Mate da Esperança
  • 1994: O Canto do Povo
  • 1996: Festa Campeira
  • 1997: 40 Anos - 15 Grandes Sucessos Regravados
  • 1997: Meu Nome é Tchê!
  • 2000: O Rio Grande Me Conhece
  • 2002: De Todos os Tempos
  • 2003: Procurando Horizontes
  • 2012: Campo Aberto
  • 2016: "Clareando o Dia"

Prêmios e indicaçõesEditar

Prêmio AçorianosEditar

Ano Categoria Indicação Resultado
1999[2] Grupo Regional Os Mirins Indicado

Referências

  1. NAVARRO, E. A. Método moderno de tupi antigo: a língua do Brasil dos primeiros séculos. 3ª edição. São Paulo. Global. 2005. 463 p.
  2. Prefeitura Municipal de Porto Alegre. «Indicados ao Prêmio Açorianos de Música - 1999». Consultado em 17 de abril de 2018