Abrir menu principal

Os Ossos do Barão (1973)

Disambig grey.svg Nota: Se procura a novela de 1997, veja Os Ossos do Barão (1997).
Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde outubro de 2019). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Os Ossos do Barão
Informação geral
Formato Telenovela
Duração 50 min
Criador(es) Jorge Andrade
País de origem  Brasil
Idioma original português
Produção
Diretor(es) Régis Cardoso
Elenco Paulo Gracindo
Lima Duarte
Dina Sfat
José Wilker
Leonardo Villar
Carmem Silva (atriz)
Bibi Vogel
ver mais
Tema de abertura "Os Ossos do Barão" (Marcos Valle)
Exibição
Emissora de televisão original Brasil Rede Globo
Formato de exibição 480i (SD)
Transmissão original 8 de outubro de 1973
31 de março de 1974
N.º de episódios 120
Cronologia
O Bem-Amado
O Espigão

Os Ossos do Barão é uma telenovela brasileira produzida pela Rede Globo e exibida às 22h, de 8 de outubro de 1973 a 31 de março de 1974, substituindo O Bem-Amado e sendo substituída por O Espigão. [1] Foi a 18ª "novela das dez" exibida pela emissora.

Escrita por Jorge Andrade e dirigida por Régis Cardoso, contou com 120 capítulos.

Contou com Paulo Gracindo,José Wilker, Dina Sfat,Leonardo Villar,Lima Duarte e Renata Sorrah nos papéis principais da trama.

TramaEditar

Egisto Ghirotto (Lima Duarte), um descendente de italianos, foi criado como empregado na fazenda do Barão de Jaraguá. Acabou fazendo fortuna durante a Revolução Industrial, em São Paulo, diferente do ocorrido com as famílias tradicionais locais, que empobreceram devido à queda do comércio cafeeiro. Ele tem tudo que pertencera ao barão, inclusive seus ossos, que adquirira ao comprar a urna funerária deste. Apesar de ter tudo, ele não está feliz, pois, em sua inveja, sonha em adquirir um título de nobreza. Mas pensa que isso só poderá ser alcançado se seu filho, Martino (José Wilker), se casar com Isabel (Dina Sfat), a bisneta do barão. Ledo engano, pois os títulos eram pessoais e outorgados durante o período imperial, pelo imperador, a pessoas de elevada colaboração pessoal, como construção de hospitais, catedrais, estradas de ferro, escolas e outras importantes benfeitorias para o país.

Entre os quatrocentões, os mais conservadores, como Antenor (Paulo Gracindo), o filho do barão, vivem de lembranças e de aparências, e os mais jovens tentam adaptar-se à nova realidade. A situação acaba causando conflitos, especialmente entre pais e filhos.

ElencoEditar

Ator Personagem
Lima Duarte Egisto Ghirotto
Paulo Gracindo Antenor Camargo Parente de Rendon Pompeo e Taques
Dina Sfat Isabel
José Wilker Martino Ghirotto
Renata Sorrah Lourdes Camargo Parente
Leonardo Villar Miguel
Carmem Silva Melica
Lélia Abramo Bianca
Maria Luiza Castelli Verônica
Edney Giovenazzi Vicente
Bibi Vogel Lavínia
José Augusto Branco Luigi
Jorge Botelho Rogério
Neuza Amaral Maria Clara
Sandra Bréa Zilda
Gracindo Júnior Omar
Elza Gomes Ismália
Antônio Pitanga Misael
Rachel Martins Virgínia
Ruth de Souza Elisa
Chica Xavier Rosa
Otávio Augusto

Trilha sonoraEditar

NacionalEditar

  1. "Qual É" - Djavan
  2. "Meu Velho Pai" - Djalma Dias
  3. "Chega de Enganar a Nega" - Betinho
  4. "Tenha Juízo" - Márcio Lott
  5. "E Tem Mais" - Estáquio Sena
  6. "Os Ossos do Barão" - Marcos Valle (tema de abertura)
  7. "Tango" - Cláudia Regina
  8. "Mundo Em Festa" - Bibi Vogel
  9. "Ebó, Exu" - Coral Som Livre
  10. "Cafezinho" - Trama
  11. "Canto da Sereia" - Cláudia Regina
  12. "Tu, Ca Non Chiagne" - Paulo Fortes

InternacionalEditar

  1. "Tu Nella Mia Vita" - Wess & Dori Ghezzi
  2. "Love's Theme" - Barry White & The Love Unlimited Orchestra
  3. "Jungle Boogie" - Kool & The Gang
  4. "Gaye" - Tony Clifford
  5. "New Bell (Hard Pulsation)" - Manu Dibango
  6. "When a Man Loves a Woman" - Reuben Howell
  7. "No Broken Heart" - Chrystian
  8. "You Make Me Feel Brand New" - The Stylistics
  9. "Don't You Worry 'Bout a Thing" - Stevie Wonder
  10. "Me And You" - Dave Maclean
  11. "Matinade" - Alain Patrick
  12. "Dormi Amore Mio" - Tony Cucchiara
  13. "Forgotten Tears" - Free Sound Orchestra
  14. "People Try" - Joe Russell


Referências

  1. «Os ossos do Barão - 1973». Teledramaturgia. Consultado em 15 de dezembro de 2015 

Ligações externasEditar