Os Três Porquinhos

Disambig grey.svg Nota: Este artigo é sobre a fábula. Para o desenho da Disney, veja Three Little Pigs.

Os Três Porquinhos é uma fábula cujos personagens são exclusivamente animais. As primeiras edições do conto datam do século XVIII, porém, imagina-se que a história seja muito mais antiga.

Os três porquinhos com sua mãe

OrigemEditar

O conto foi divulgado por Joseph Jacobs, escritor nascido em Sydney, Austrália, em 1853. Morou nos Estados Unidos e Inglaterra. Estudou e publicou contos do folclore inglês durante sua permanência naquele país, sendo mais conhecido por sua grande contribuição para a literatura infantil. Entre seus livros estão: "A História dos Três. Porquinhos" (um dos mais populares), "Contos de Fadas Celtas", "Contos de Fadas Indianos", "Fábulas do Esopo", "Contos de Fadas Ingleses" e outros.

A história dos Três Porquinhos já era conhecida na Inglaterra e Jacobs, como folclorista, resgatou contos tradicionais e transformou em livros. O sucesso para Jacobs foi a utilização de uma linguagem clara e feita para a literatura infantil.

HistóriaEditar

Os personagens do conto são três porquinhos - Prático, Heitor e Cícero. Cícero, o mais preguiçoso, não se queria cansar e construiu uma cabana de Bambu e pilhas de lama. Heitor, decidiu construir uma cabana de madeira sem usar os devidos pregos de aço, enquanto Prático optou por construir uma casa melhor estruturada, com cimento, tijolos, Pedra e vidro. Como a sua casa demorou mais tempo para ser construída, Prático muitas vezes via os irmãos se divertindo enquanto se esforçava para terminar o trabalho.

Um dia, o lobo surgiu e bateu na porta da casa de Cícero na cabana de palha, que se escondeu. Mas o lobo, com um sopro forte, desfez a casa. Enquanto Cícero fugia, o lobo então sai e foi bater na porta de Heitor o da casa de madeira e, com dois sopros fortes, destruiu também a cabana de madeira.

Heitor fugiu para a casa de Prático, onde Cícero se encontrou com o dono. O lobo então foi à casa de Prático e soprou, soprou, soprou, mas não conseguiu derrubá-la. Após muitas tentativas, o lobo decidiu esperar a chegada da noite.

Quando anoiteceu, o lobo foi tentar entrar na casa descendo pela chaminé, mas começou a sentir cheiro de queimado. Com uma panela, que estava a queimar a cauda do lobo. O lobo então fugiu assustado e nunca mais voltou, e eles viveram felizes para sempre.

Outras mídiasEditar

  • O conto se tornou mais conhecido graças à versão em animação feita pela Disney em 1933. De acordo com essa versão, os porquinhos são chamados de Fifer Pig, Fiddler Pig e Practical Pig que no Brasil receberam os nomes de Cícero, Heitor e Prático.
  • Na série espanhola Sandra, detective de cuentos, Sandra e Fo salvam os três porquinhos do lobo mau em plena noite.
  • No epísódio do Pica-Pau chamado de Os Três Pica-Paus, Toquinho mora numa árvore de palha, Lasquita mora numa árvore de madeira e Pica-Pau numa árvore petrificada. Mas de repente, um lobo muito malandro planeja comer os pica-paus.
  • No seriado As Aventuras de Miau, no episódio Os 3 Amiguinhos, Miau, Bu e Lalá saíram para acampar perto de um lago nos campos floridos, mas o lobo quer expulsá-los de lá. No final, ele aprende a lição e deixa todo mundo brincar no lago.
  • Um dos três porquinhos aparece no jogo The Wolf Among Us, como um personagem coadjuvante
  • Uma versão relacionada à educação financeira aparece no livro O lobo milionário e os três porquinhos de Eduardo Coelho Pacheco. Os porquinhos na verdade são cofrinhos feitos com o mesmo material das casas construídas pelos porquinhos da história original, palha, madeira e concreto.
  • Há uma das animações baseadas em contos feitas pela Vídeo Brinquedo baseada nesse conto, onde os Três porquinhos são chamados de Palhares, Carvalho e Pedro ao invés dos nomes originais.

Ver tambémEditar

  Este artigo sobre literatura é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.