Otozō Yamada

militar japonês

Otozō Yamada (em japonês: 山田 乙三, Yamada Otozō, Prefeitura de Nagano, 6 de novembro de 1881Tóquio, 7 de julho de 1965), foi um oficial militar do Exército Imperial Japonês, que serviu na Guerra Soviético-Japanesa até o fim da Segunda Guerra Mundial.

Otozō Yamada
山田 乙三
Yamada em 1939.
18° General Governador de Kwantung
Período 18 de julho de 1946 à 25 de agosto de 1945
Antecessor(a) Yoshijirō Umezu
Sucessor(a)
Dados pessoais
Nascimento 6 de Novembro de 1881
Prefeitura de Nagano, Japão
Morte 18 de julho de 1965 (83 anos)
Tóquio, Japão
Nacionalidade japonês
Alma mater Acadêmica do Exército Imperial Japonês (1903)
Colégio do Estado-Maior do Exército (1912)
Profissão Militar
Ocupação
  • Tenente (1905–1912)
  • Capitão (1912–1918)
  • Tenente Coronel (1918–1922)
  • Coronel e comandante do 26º Regimento de Cavalaria do IJA (1925–1926)
  • Chefe do Estado-Maior no 3º Bureau (1927–1930)
  • Major-general (1930)

– Comandante da Escola de Cavalaria do Exército (1930)

  • 1931 a 1932 4ª Brigada de Cavalaria do IJA
  • Tenente-general (1934–1937)

– Comandante da 12ª Divisão da IJA (1937

  • Comandante do 3º Exército (1938)

– Exército Expedicionário da China Central de (1938 a 1939)

  • General (1940)

– Inspetor Geral de Treinamento Militar (1940–1944)

Serviço militar
Lealdade Império Japonês
Anos de serviço 1902–1945
Unidade Exército Imperial Japonês
Comandos
Conflitos
Condecorações JPN Zuiho-sho (WW2) 2Class BAR.svg Ordem do Tesouro Sagrado

BiografiaEditar

Início de carreiraEditar

FormaçãoEditar

Yamada nasceu em Nagano, sendo o 3° filho de Ichikawa Katashi, um contador do Exército Imperial Japonês, e foi adotado pela família Yamada quando criança. Ele se formou na 14ª turma da Acadêmia do Exército Imperial Japonês em 1902, e seus colegas, eram os futuros generais Motoo Furushō e Toshizō Nishio. Foi promovido a tenente em fevereiro de 1905 e deu aulas como instrutor na Academia do Exército, sendo promovido a capitão em setembro de 1912. Se formou na 24ª turma do Colégio do Estado-Maior do Exército em novembro, onde seus colegas eram Kenji Doihara, Kiyoshi Katsuki, Hisao Tani e Yanagawa Heisuke.[1]

Serviço militarEditar

Como oficial de cavalaria, subiu na hierarquia rapidamente. Foi promovido a major em junho de 1918 e nomeado instrutor da Escola de Cavalaria do Exército, sendo promovido à tenente-coronel em agosto de 1922. Em agosto de 1925, foi promovido a coronel e nomeado comandante do 26º Regimento de Cavalaria do IJA. Em 1926, foi Chefe do Estado-Maior do Exército Escolhido. Ele serviu na seção de comunicações do 3º Bureau do Estado-Maior do Exército Imperial Japonês de 1927 a 1930.[1]

Foi promovido à major-general em agosto de 1930 e nomeado comandante da Escola de Cavalaria do Exército. De 1931 a 1932, ele retornou ao campo como comandante da 4ª Brigada de Cavalaria do IJA, antes de reassumir uma série de cargos administrativos (incluindo o de comandante da Academia do Exército Imperial Japonês) em 1937. Ele foi condecorado com a Ordem do Tesouro Sagrado, 2ª classe em fevereiro de 1934 e promovido a tenente-general em agosto de 1934.[2]

Segunda Guerra MundialEditar

Com o início da Segunda Guerra Sino-Japonesa em 1937, Yamada foi nomeado comandante da 12ª Divisão da IJA, mantendo uma base em Manchukuo. Durante esse período, a 12ª Divisão era uma unidade de elite, com uma quantidade enorme de poder de fogo e equipamentos pesados. Se tornou comandante do 3º Exército do IJA em 1938 e do Exército Expedicionário da China Central de 1938 a 1939.[1]

 
Yamada (centro) e o político Wang Jingwei (esquerda), na China. Foto de aproximadamente 1939.

Foi promovido a general em agosto de 1940 e foi chamado para voltar ao Japão e assumir o cargo de Inspetor Geral de Treinamento Militar de 1940 à 1944. Também serviu como membro do Conselho Supremo de Guerra neste período. Em maio de 1943, ele foi promovido ao título honorífico de 3° Grau.[3]

Em 1944, com a renúncia do primeiro-ministro Hideki Tojo, Yamada caiu em desgraça na política e em julho, voltou para Manchukuo como comandante final do Exército de Guangdong,[4] e, ao mesmo tempo, ocupou os cargos de embaixador japonês em Manchukuo e Governador-geral do Território Alugado de Kwantung. Ele rapidamente informou ao Quartel General Imperial que seria impossível manter a fronteira com a União Soviética se as forças japonesas ficassem em um só local, já que o Exército Guangdong havia sido amplamente desmembrado com a redistribuição de tropas experientes (com a maior parte de seu equipamento) para o teatro do Pacífic na guerra. Sem ajuda do Japão, Yamada tentou organizar um grande número de recrutas e voluntários mal-treinados em 8 novas divisões de infantaria e 7 novas brigadas de infantaria, e se retirar das áreas da fronteira para proteger o núcleo estratégico da nação.[5] No entanto, quando o Exército Soviético invadiu a Manchúria em 9 de agosto de 1945, muitas das forças improvisadas de Yamada não estavam mais do que 15% prontas para combater e foram rapidamente derrotadas.

Julgamento, vida pós-guerra e morteEditar

 
Yamada em seu julgamento. Foto de 1949.

Com a rendição do Japão, Yamada foi levado como prisioneiro de guerra para a cidade de Khabarovsk em 1949, na União Soviética. Foi réu nos Julgamentos de Crimes de Guerra de Khabarovsk e foi sentenciado a 25 anos em um campo de trabalho soviético por crimes de guerra.[6] Durante seu julgamento, admitiu autorizar o uso de "bombas Ishii", granadas de porcelana frágeis com bactérias do tifo e de peste bubônica, desenvolvidas pela Unidade 731 para uso em guerras biológicas.[7]

Yamada foi libertado com a Declaração Conjunta Soviético-Japonesa de 1956, renormalizando as relações diplomáticas entre o Japão e a União Soviética, e foi mandado de volta ao Japão, onde morreu em 1965, aos 83 anos, em Tóquio.[8]

CargosEditar

Antecessor Período Sucessor
Governador-General de Guandong
1944–1945 Yoshijirō Umezu
Comandante da 12° Divisão
Yoshishige Shimizu Março de 1937 –Janeiro de 1938 Uemura Seitaro
Comandante da 3° Divisão
Nogi Maresuke Janeiro – Dezembro de 1938 Hayao Tada
Comandante do Exército Expedicionário Central Chinês
Shuroku Hata Dezembro de 1938 – Setembro de 1939
Inspetor-Geral de treinamento militar
Toshizō Nishio Outubro de 1940 – Julho de 1944 Hashime Sugiyama
Comanadante Comando Geral de Defesa
Julho – Dezembro de 1941 Naruhiko Higashikuni
Comandante do Exército de Guandong
Yoshijirō

Umezu

Julho de 1944 – Setembro de 1945

Referências

  1. a b c Tucker, Spencer C.; Roberts, Priscilla Mary (23 de fevereiro de 2005). World War II: A Student Encyclopedia [5 volumes] (em inglês). [S.l.]: ABC-CLIO 
  2. Ammenthorp, The Generals of World War II
  3. 『官報』第3215号「叙任及辞令」April 21, 1923
  4. Wendel, Axis History Database
  5. «JAPAN: End of Compromise». Time (em inglês). 27 de outubro de 1941. ISSN 0040-781X. Consultado em 13 de março de 2021 
  6. «Foreign Relations of the United States, 1946, The Far East, Volume VIII - Office of the Historian». history.state.gov. Consultado em 13 de março de 2021 
  7. Hamblin, Jacob Darwin (2013). Arming Mother Nature: The Birth of Catastrophic Environmentalism. [S.l.]: Oxford University Press. ISBN 9780199740055 
  8. «Gen. Otozo Yamada Dies at 83; i Led Japan's Manchurian Army (Published 1965)». The New York Times (em inglês). 19 de julho de 1965. ISSN 0362-4331. Consultado em 13 de março de 2021 

BibliografiaEditar

  • Hata, Ikuhiko (2005). (日本陸海軍総合事典) Japanese Army and Navy General Encyclopedia (em inglês). Tokyo: St. Martin's Press. ISBN 4130301357 
  • Wells, Anne Sharp (2009). The A to Z of World War II: The War Against Japan (em inglês). [S.l.]: Scarecrow Press. ISBN 0810868636