Otozō Yamada

militar japonês

Otozō Yamada (em japonês: 山田 乙三, Yamada Otozō, Prefeitura de Nagano, 6 de novembro de 1881Tóquio, 7 de julho de 1965), foi um oficial militar do Exército Imperial Japonês, que serviu na Guerra Soviético-Japanesa até o fim da Segunda Guerra Mundial.

Otozō Yamada
山田 乙三
Otozō Yamada
Yamada em 1939.
18° General Governador de Kwantung
Período 18 de julho de 1946 à 25 de agosto de 1945
Antecessor(a) Yoshijirō Umezu
Sucessor(a)
Dados pessoais
Nascimento 6 de Novembro de 1881
Prefeitura de Nagano, Japão
Morte 18 de julho de 1965 (83 anos)
Tóquio, Japão
Nacionalidade japonês
Alma mater Acadêmica do Exército Imperial Japonês (1903)
Colégio do Estado-Maior do Exército (1912)
Profissão Militar
Ocupação
  • Tenente (1905–1912)
  • Capitão (1912–1918)
  • Tenente Coronel (1918–1922)
  • Coronel e comandante do 26º Regimento de Cavalaria do IJA (1925–1926)
  • Chefe do Estado-Maior no 3º Bureau (1927–1930)
  • Major-general (1930)

– Comandante da Escola de Cavalaria do Exército (1930)

  • 1931 a 1932 4ª Brigada de Cavalaria do IJA
  • Tenente-general (1934–1937)

– Comandante da 12ª Divisão da IJA (1937

  • Comandante do 3º Exército (1938)

– Exército Expedicionário da China Central de (1938 a 1939)

  • General (1940)

– Inspetor Geral de Treinamento Militar (1940–1944)

Serviço militar
Lealdade Império Japonês
Anos de serviço 1902–1945
Unidade Exército Imperial Japonês
Comandos
Conflitos
Condecorações Ordem do Tesouro Sagrado

Biografia Editar

Início de carreira Editar

Formação Editar

Yamada nasceu em Nagano, sendo o 3° filho de Ichikawa Katashi, um contador do Exército Imperial Japonês, e foi adotado pela família Yamada quando criança. Ele se formou na 14ª turma da Acadêmia do Exército Imperial Japonês em 1902, e seus colegas, eram os futuros generais Motoo Furushō e Toshizō Nishio. Foi promovido a tenente em fevereiro de 1905 e deu aulas como instrutor na Academia do Exército, sendo promovido a capitão em setembro de 1912. Se formou na 24ª turma do Colégio do Estado-Maior do Exército em novembro, onde seus colegas eram Kenji Doihara, Kiyoshi Katsuki, Hisao Tani e Yanagawa Heisuke.[1]

Serviço militar Editar

Como oficial de cavalaria, subiu na hierarquia rapidamente. Foi promovido a major em junho de 1918 e nomeado instrutor da Escola de Cavalaria do Exército, sendo promovido à tenente-coronel em agosto de 1922. Em agosto de 1925, foi promovido a coronel e nomeado comandante do 26º Regimento de Cavalaria do IJA. Em 1926, foi Chefe do Estado-Maior do Exército Escolhido. Ele serviu na seção de comunicações do 3º Bureau do Estado-Maior do Exército Imperial Japonês de 1927 a 1930.[1]

Foi promovido à major-general em agosto de 1930 e nomeado comandante da Escola de Cavalaria do Exército. De 1931 a 1932, ele retornou ao campo como comandante da 4ª Brigada de Cavalaria do IJA, antes de reassumir uma série de cargos administrativos (incluindo o de comandante da Academia do Exército Imperial Japonês) em 1937. Ele foi condecorado com a Ordem do Tesouro Sagrado, 2ª classe em fevereiro de 1934 e promovido a tenente-general em agosto de 1934.[2]

Segunda Guerra Mundial Editar

Com o início da Segunda Guerra Sino-Japonesa em 1937, Yamada foi nomeado comandante da 12ª Divisão da IJA, mantendo uma base em Manchukuo. Durante esse período, a 12ª Divisão era uma unidade de elite, com uma quantidade enorme de poder de fogo e equipamentos pesados. Se tornou comandante do 3º Exército do IJA em 1938 e do Exército Expedicionário da China Central de 1938 a 1939.[1]

 
Yamada (centro) e o político Wang Jingwei (esquerda), na China. Foto de aproximadamente 1939.

Foi promovido a general em agosto de 1940 e foi chamado para voltar ao Japão e assumir o cargo de Inspetor Geral de Treinamento Militar de 1940 à 1944. Também serviu como membro do Conselho Supremo de Guerra neste período. Em maio de 1943, ele foi promovido ao título honorífico de 3° Grau.[3]

Em 1944, com a renúncia do primeiro-ministro Hideki Tojo, Yamada caiu em desgraça na política e em julho, voltou para Manchukuo como comandante final do Exército de Guangdong,[4] e, ao mesmo tempo, ocupou os cargos de embaixador japonês em Manchukuo e Governador-geral do Território Alugado de Kwantung. Ele rapidamente informou ao Quartel General Imperial que seria impossível manter a fronteira com a União Soviética se as forças japonesas ficassem em um só local, já que o Exército Guangdong havia sido amplamente desmembrado com a redistribuição de tropas experientes (com a maior parte de seu equipamento) para o teatro do Pacífic na guerra. Sem ajuda do Japão, Yamada tentou organizar um grande número de recrutas e voluntários mal-treinados em 8 novas divisões de infantaria e 7 novas brigadas de infantaria, e se retirar das áreas da fronteira para proteger o núcleo estratégico da nação.[5] No entanto, quando o Exército Soviético invadiu a Manchúria em 9 de agosto de 1945, muitas das forças improvisadas de Yamada não estavam mais do que 15% prontas para combater e foram rapidamente derrotadas.

Julgamento, vida pós-guerra e morte Editar

 
Yamada em seu julgamento. Foto de 1949.

Com a rendição do Japão, Yamada foi levado como prisioneiro de guerra para a cidade de Khabarovsk em 1949, na União Soviética. Foi réu nos Julgamentos de Crimes de Guerra de Khabarovsk e foi sentenciado a 25 anos em um campo de trabalho soviético por crimes de guerra.[6] Durante seu julgamento, admitiu autorizar o uso de "bombas Ishii", granadas de porcelana frágeis com bactérias do tifo e de peste bubônica, desenvolvidas pela Unidade 731 para uso em guerras biológicas.[7]

Yamada foi libertado com a Declaração Conjunta Soviético-Japonesa de 1956, renormalizando as relações diplomáticas entre o Japão e a União Soviética, e foi mandado de volta ao Japão, onde morreu em 1965, aos 83 anos, em Tóquio.[8]

Cargos Editar

Antecessor Período Sucessor
Governador-General de Guandong
1944–1945 Yoshijirō Umezu
Comandante da 12° Divisão
Yoshishige Shimizu Março de 1937 –Janeiro de 1938 Uemura Seitaro
Comandante da 3° Divisão
Nogi Maresuke Janeiro – Dezembro de 1938 Hayao Tada
Comandante do Exército Expedicionário Central Chinês
Shuroku Hata Dezembro de 1938 – Setembro de 1939
Inspetor-Geral de treinamento militar
Toshizō Nishio Outubro de 1940 – Julho de 1944 Hashime Sugiyama
Comanadante Comando Geral de Defesa
Julho – Dezembro de 1941 Naruhiko Higashikuni
Comandante do Exército de Guandong
Yoshijirō

Umezu

Julho de 1944 – Setembro de 1945

Referências

  1. a b c Tucker, Spencer C.; Roberts, Priscilla Mary (23 de fevereiro de 2005). World War II: A Student Encyclopedia [5 volumes] (em inglês). [S.l.]: ABC-CLIO 
  2. Ammenthorp, The Generals of World War II
  3. 『官報』第3215号「叙任及辞令」April 21, 1923
  4. Wendel, Axis History Database
  5. «JAPAN: End of Compromise». Time (em inglês). 27 de outubro de 1941. ISSN 0040-781X. Consultado em 13 de março de 2021 
  6. «Foreign Relations of the United States, 1946, The Far East, Volume VIII - Office of the Historian». history.state.gov. Consultado em 13 de março de 2021 
  7. Hamblin, Jacob Darwin (2013). Arming Mother Nature: The Birth of Catastrophic Environmentalism. [S.l.]: Oxford University Press. ISBN 9780199740055 
  8. «Gen. Otozo Yamada Dies at 83; i Led Japan's Manchurian Army (Published 1965)». The New York Times (em inglês). 19 de julho de 1965. ISSN 0362-4331. Consultado em 13 de março de 2021 

Bibliografia Editar

  • Hata, Ikuhiko (2005). (日本陸海軍総合事典) Japanese Army and Navy General Encyclopedia (em inglês). Tokyo: St. Martin's Press. ISBN 4130301357 
  • Wells, Anne Sharp (2009). The A to Z of World War II: The War Against Japan (em inglês). [S.l.]: Scarecrow Press. ISBN 0810868636