Abrir menu principal
Ottorino Barassi
Comissário extraordinário da FIGC
Período 1944–1946
Presidente da FIGC
Período 1946–1958
Comitê Executivo da FIFA
Período 1952–1971
Dados pessoais
Nascimento 05 de outubro de 1898
Itália
Morte 24 de novembro de 1971 (73 anos)
Roma

Ottorino Barassi (Nápoles, 5 de outubro de 1898Roma, 24 de novembro de 1971) foi um dirigente esportivo italiano.[1][2]

Dirigente e organizador da Copa do Mundo de 1934.[3] É um dos membros-fundadores da União das Associações Europeias de Futebol (UEFA).[4][5] E um dos idealizadores de um torneio de clubes da Europa, a Taça UEFA (atual Liga Europa).[6] Foi comissário da Federação Italiana de Futebol (FIGC) de 1944 a 1946 e seu presidente de 1946 a 1958.[2]

CarreiraEditar

DirigenteEditar

Em 1925, Ottorino Barassi foi vice-presidente da Associação Italiana de Árbitros (do italiano: Associazione Italiana Arbitri; abreviada como AIA); em 1926, ocupou o cargo de secretário do Direttorio Divisioni Superiori; em 1927, tornou-se comissário, e depois, presidente do Direttorio da Federação Italiana de Futebol (FIGC), onde permaneceu até 1933.[1][3]

Em 1933, assumiu o cargo de secretário-geral da FIGC, e a regência da entidade entre 1944 e 1946, e por fim, o cargo de presidente do órgão máximo do futebol italiano entre os anos de 1946 e 1958.[1][3] Barassi é responsável por uma das mais longas e complexas presidências da história da FIGC, durante a qual toda a organização dos campeonatos foi reestruturada. Durante sua gestão na FIGC nasceu em 1946 a Lega Nazionale, com sede em Milão, que organizava os campeonatos da Serie A e Serie B. Em 1958, após doze anos de presidência, foi substituído pelo comissário extraordinário Bruno Zauli.[2]

Durante a Segunda Guerra Mundial (1939–1945), período em que as competições esportivas foram paralisadas pelo conflito, Ottorino Barassi evitou que a taça de ouro maciço que a Itália conquistara na Copa de 1938 não caísse nas mãos dos nazistas. Barassi teria — segunda uma romântica história — colocado a taça dentro de uma caixa de sapatos, que ficara escondido sob sua cama durante toda a guerra.[7][8][9][10] Uma versão mais crível foi publicada pelo jornal La Stampa de Turim, em 4 de junho de 1950, dia em que Barasi embarcava com a taça para o Brasil: de 1940 a 1945, o troféu havia ficado sob a guarda da delegação suíça no Vaticano.[10] Em homenagem ao presidente da FIFA, Jules Rimet, que não mediu esforços para manter vivo o espírito do futebol durante os anos da guerra, o troféu passou a ser chamado Taça Jules Rimet.[11][12]

Além de cargos de dirigente na Itália, em 1952, Barassi fez parte do Comitê Executivo da Federação Internacional de Futebol (FIFA), como vice-presidente da entidade. Em 1959, foi eleito o primeiro presidente da recém-criada Lega Nazionale Dilettanti, com sede em Roma e responsável pelos campeonatos amadores do futebol italiano, permaneceu no cargo até e 1971.[1][3][2]

ReconhecimentoEditar

Entre 1968 e 1976 foi disputada a Copa Ottorino Barassi, entre clubes da Itália e Inglaterra.[13]

IndividualEditar

Em 2011, Ottorino Barassi foi inserido no Hall da Fama do futebol italiano.[1][14]

Notas e referências

Notas

Referências

  1. a b c d e «Ottorino Barassi» (PDF). www.figc.it (em italiano). Consultado em 10 de janeiro de 2019 
  2. a b c d «BARASSI, Ottorino in "Enciclopedia dello Sport"». www.treccani.it (em italiano). Consultado em 11 de janeiro de 2019 
  3. a b c d «FIGC». www.figc.it. Consultado em 11 de janeiro de 2019 
  4. «Forza Azzurri Statistics, Officials: Presidents». forza_azzurri.homestead.com. Consultado em 11 de janeiro de 2019 
  5. uefa.com (2 de janeiro de 2014). «1954-80 - História - A UEFA - Por dentro da UEFA». UEFA.com. Consultado em 11 de janeiro de 2019 
  6. «A História da Liga Europa - Copa da Uefa». www.campeoesdofutebol.com.br. Consultado em 11 de janeiro de 2019 
  7. «A trágica história da taça Jules Rimet». esporte.uol.com.br. Consultado em 11 de janeiro de 2019 
  8. Paulo, Hugo Bachega Da BBC Brasil em São. «Jules Rimet, a taça da Copa que foi roubada duas vezes». BBC News Brasil. Consultado em 11 de janeiro de 2019 
  9. «A trágica história da taça Jules Rimet». BOL Notícias. Consultado em 11 de janeiro de 2019 
  10. a b Gehringer, Max (2018). A grande história dos mundiais 1950, 1954, 1958. [S.l.]: e-galáxia. 490 páginas. ISBN 9788567080215 
  11. «FIFA.com - Copa Mundial de la FIFA Brasil 1950». FIFA (em espanhol). Consultado em 10 de janeiro de 2019. Arquivado do original em 4 de maio de 2010 
  12. «Quando o troféu da Copa passou a se chamar Taça Jules Rimet, e até quando esse nome foi usado?». treinamento.folha.com.br. 29 de junho de 2010. Consultado em 11 de janeiro de 2019 
  13. «Anglo-Italian Cups». www.rsssf.com. Consultado em 11 de janeiro de 2019 
  14. «FIGC». www.figc.it. Consultado em 11 de janeiro de 2019 
  Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.