Abrir menu principal

Our Man in Havana (filme)

filme de 1959 baseado no romance homónimo de Graham Greene
Our Man in Havana
O nosso agente em Havana (PRT)
O nosso homem em Havana (BRA)
 Reino Unido
1959 •  pb •  111 min 
Direção Carol Reed
Roteiro Graham Greene (roteiro e livro)
Elenco Alec Guinness
Burl Ives
Ralph Richardson
Noël Coward
Maureen O'Hara
Ernie Kovacs
Gênero espionagem
comédia
suspense
Idioma inglês
Página no IMDb (em inglês)

Our Man in Havana (br.: O nosso homem em Havana / pt. O nosso agente em Havana) é um filme britânico de comédia e suspense de 1959, produzido e dirigido por Carol Reed. O roteiro é uma adaptação do livro homônimo de 1958 feito pelo próprio autor, Graham Greene[1][2][3]. O filme mantém a ação do livro mas lhe dá um toque mais humorístico. Foi a terceira colaboração entre Carol Reed e Graham Greene. Realizado em CinemaScope.

ElencoEditar

SinopseEditar

Na Cuba pré-revolução, James Wormold é um vendedor de aspiradores de pó inglês que após ser abandonado pela esposa está preocupado com a filha adolescente, Milly, que sonha com uma vida melhor e é assediada pelo Capitão Secura, um militar com o apelido de "Abutre Vermelho" por sua de fama de torturar seus prisioneiros. Certo dia, Wormold recebe a visita de um idoso agente inglês, Hawthorne, que lhe recruta para trabalhar como espião e enviar informações em código ao Serviço Secreto sobre a situação do país e formar uma equipe de agentes. Wormold aceita o serviço pelo dinheiro mas não tem a menor ideia de como conseguir informações secretas e não é bem sucedido em recrutar outros agentes. Conversando com seu melhor amigo, o médico alemão Dr. Hasselbacher, esse lhe aconselha a inventar informações e Wormold concorda. Ele cria uma história fantasiosa de uma construção secreta nas montanhas e os seus superiores ingleses acham que é uma coisa importante e mandam agentes mais experientes para ajudá-lo, dentre eles a esperta Beatrice. Mas o Capitão Secura descobre sobre as tentativas de espionagem e passa a ameaçar Wormold e Milly.

ProduçãoEditar

O filme teve locações em Havana, apenas dois meses após a queda do regime de Fulgêncio Batista, em 13 de maio de 1959. Fidel Castro visitou a equipe de filmagem quando eles trabalhavam em cenas na Praça da Catedral em Havana[4].

Prêmios e indicaçõesEditar

Referências

  1. Revista Variety resenha de 13 de janeiro de 1960, pg 7
  2. Monthly Film Bulletin resenha 1960, pg 4
  3. Harrison's Reports resenha; 30 de janeiro de 1960, pg. 18
  4. Picture from Castro's visit, on Flickr Recuperado em 04-01-2011

Ligações externasEditar