Abrir menu principal


Pável Rôtmistrov
Nascimento 6 de julho de 1901
Morte 6 de abril de 1982 (80 anos)
Moscou
Sepultamento Cemitério Novodevichy
Cidadania Império Russo, União Soviética
Alma mater M.V. Academia Militar de Frunze
Ocupação oficial
Prêmios Ordem do Estandarte Vermelho, Ordem de Lenin, Herói da União Soviética, Ordem da Revolução de Outubro, Ordem de Kutuzov, 1.ª classe, Ordem da Estrela Vermelha, Medalha "Pela defesa de Stalingrado", Medalha "Pela Defesa de Moscou", Medalha "Pela vitória sobre a Alemanha na Grande Guerra Patriótica 1941-1945", Ordem de Serviço à Pátria nas Forças Armadas da URSS, 3ª classe

Pável Alexêievitch Rôtmistrov (em russo: Павел Алексеевич Ротмистров; Skovorovo, 6 de julho de 1901 - Moscou, 6 de abril de 1982) foi um comandante militar de tropas blindadas do Exército Vermelho, durante e após a Segunda Guerra Mundial, e mais notávelmente na Batalha de Prokhorovka, onde combateu a Waffen SS em confronto de proximidade.

Anteriormente à guerraEditar

Filho de camponeses, Rotmistrov juntou-se ao Exército Vermelho em 1919, e serviu durante a Guerra Civil Russa, durante a qual esteve envolvido na repressão da Rebelião de Kronstadt e na Guerra Soviético-Polonesa.[1] Ele comandou um pelotão e mais tarde uma companhia de fuzileiros no 31º Regimento de Infantaria da 11ª Divisão de Infantaria. Em 1928 ele entrou na Academia Militar de Frunze, e de 1937 a 1940 ele tornou-se instrutor da Academia Militar Superior de Moscou. Em maio de 1941, tornou-se chefe de gabinete do 3º Corpo Mecanizado.[2]

Segunda Guerra MundialEditar

Ele comandou o 5º Exército Blindado da Guarda na Batalha de Prokhorovka, durante a Batalha de Kursk e na Operação Bagration. A unidade sob seu comando, o 5º Exército Blindado da Guarda, se envolveu em uma brutal batalha de tanques perto de Prokhorovka, contra as divisões Waffen SS Leibstandarte SS Adolf Hitler, Das Reich e Totenkopf a uma distância de 100 a 200 metros. A distância entre as forças era tão próxima que a maioria dos tiros eram golpes diretos. Os tanques do 5º Exército de Guardas avançaram sobre tanques alemães, montando sobre eles e assim desativando suas torres.

Após essa brutal batalha, que custou baixas significativas mas interrompeu o avanço alemão, ele foi retirado do comando em seguida à Operação Bagration, tornando-se vice-chefe de tropas blindadas no Estado-Maior. É possível que as altas perdas sofridas pelo 5º Exército Blindado da Guarda na Batalha de Minsk tenham levado à sua remoção do comando. Ele nunca mais comandou uma unidade ativa, embora tenha sido promovido a coronel-geral, em outubro de 1943, e se tornado o primeiro marechal de tropas blindadas, em fevereiro de 1944.

Pós-guerraEditar

Após a guerra, ele comandou as forças mecanizadas do Grupo das Forças Soviéticas na Alemanha, e tornou-se ministro adjunto da Defesa. Ele se tornou o primeiro marechal-chefe de tropas blindadas, em 28 de abril de 1962. Ao longe do seu carreira ele foi condecorado com seis Ordens de Lenin e feito Herói da União Soviética.[1]

Referências

  1. a b «Pavel Rotmistrov, 80, Marshal in Soviet Army». New York Times. 2 de abril de 1982. Consultado em 22 de março de 2019 
  2. Chen, C. Peter (2013). «Pavel Rotmistrov». World War II Database. Consultado em 22 de março de 2019