Pórtico do Paraíso

O Pórtico do Paraíso da catedral de Ourense é o conjunto de esculturas que dá acesso, pela entrada principal, ao templo. Foi construído na primeira metade do século XIII, nos tempos do bispo Lourenço (1218-1248), que foi quem rematou as obras da catedral, em algum momento depois de 1230. Destaca-se a policromia que conserva, do século XVIII, e que foi restaurada em 2013, apesar de que a contra-portada carece de cor.[1][2]

Arco central do Pórtico do Paraíso, na catedral de Ourense

Ignora-se quem foi o autor ou autores do pórtico. Ángel del Castillo atribui-o a um mestre chamado Juan Evangelista:

Na realidade, esta inscrição, "Juan Evangelista fecit", figura num anjo trombeteiro hoje conservado no museu da catedral e que nada tem a ver com o pórtico, tal como acreditam especialistas como Serafín Moralejo, Ramón Yzquierdo Perrín, Xosé Carlos Valle Pérez e Eduardo Carrero Santamaría, pelo que já ninguém apoia essa atribuição.[3]

Conde Cid supõe a participação de dois grupos de escultores no processo de construção do tímpano. Fundamentalmente, uma primeira oficina, até 1230, que seria quem começaria as obras e esculpiu a parte inferior (bases, colunas e os profetas e apóstolos); e uma segunda oficina a partir de 1230, responsável pela parte dos arcos. Dentro dessa primeira oficina, distinguem-se quatro mãos diferentes, a julgar pelo trabalho dos rogues dos vestidos e a sensação de movimento que se consegue: um escultor dos profetas Oseias e Malaquias e os três apóstolos desconhecidos; outro escultor seria o autor das estátuas de Ezequiel, Habacuque, Jonas e Isaías e, provavelmente, dos apóstolos João e André; um terceiro escultor, dos profetas Daniel e Jeremias e dos apóstolos Santiago e Mateus; e um último escultor seria o responsável pelas figuras do profeta desconhecido e dos apóstolos Pedro e Paulo.

Os especialistas concordam que é muito provável que estes escultores tenham pertencido à oficina do Mestre Mateus ou, pelo menos, tenham sido influenciados por ele, pois reproduziram a disposição de apóstolos e profetas que este dispôs em Compostela e a técnica utilizada nas estátuas-coluna e na ornamentação do arco menor é também similar, mas, ainda assim e apesar do feito de que o pórtico de Ourense seja posterior ao de Santiago, a realidade é que o estilo do Pórtico do Paraíso é mais românico que o da Glória.

Outros autores vêem, ainda, a influência das oficinas de Amiens e Paris, que chegaram até aqui através da catedral de Burgos.

Ver tambémEditar

Referências

  1. «Pórtico del Paraíso | Turismo de Ourense». Turismo de Ourense (em espanhol) 
  2. «Catedral de San Martin. Portico del Paraiso. Orense». www.arquitecturapopular.es (em espanhol). Consultado em 26 de março de 2018 
  3. Fotografía do anxo trompeteiro

Ligações externasEditar

 
O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Pórtico do Paraíso