Públio Pasidieno Firmo

Públio Pasidieno Firmo (em latim: Publius Pasidienus Firmus) foi um senador romano nomeado cônsul sufecto em 65 no lugar de Marco Júlio Vestino Ático, executado acusado de participar da Conspiração Pisoniana. Serviu com Aulo Licínio Nerva Siliano de maio a junho.

Públio Pasidieno Firmo
Cônsul do Império Romano
Consulado 65 d.C.

Carreira e famíliaEditar

Seu primeiro cargo conhecido foi legado imperial propretor da Bitínia e Ponto entre 45 e 47, ainda na época de Cláudio. Depois, foi nomeado cônsul sufecto entre maio e junho de 65[1].

Lúcio Pasidieno Firmo, cônsul sufecto em 75, era seu filho.

Ver tambémEditar

Cônsul do Império Romano
 
Precedido por:
'Caio Lecânio Basso

com Marco Licínio Crasso Frúgio
com Caio Licínio Muciano I (suf.)
com Quinto Fábio Bárbaro Antônio Mácer (suf.)

Aulo Licínio Nerva Siliano
65

com Marco Júlio Vestino Ático
com Públio Pasidieno Firmo (suf.)
com Caio Pompônio Pio (suf.)
com Caio Anício Cerial (suf.)

Sucedido por:
'Caio Lúcio Telesino

com Caio Suetônio Paulino
com Marco Ânio Afrino (suf.)
com Caio Pácio Africano (suf.)
com Marco Arrúncio Áquila (suf.)
com Marco Vécio Bolano (suf.)


Referências

  1. AE 1946, 124 = InscrIt. 13-1, 29,2, Roma (Itália); AE 1989, 626 = RMD II, 79, Negoslavci (Croácia)

BibliografiaEditar

  • Der Neue Pauly, Stuttgardiae 1999, T. 9, c. 383-384
  • Werner Eck, "Pasidienus 2)" RE, sup. 14 vol. XIV, Stuttgart, 1974, cols. 367-368.