Abrir menu principal
Públio Vílio Tápulo
Cônsul da República Romana
Consulado 199 a.C.

Públio Vílio Tápulo (em latim: Publius Villius Tappulus) foi um político da gente Vília da República Romana eleito cônsul em 199 a.C. com Lúcio Cornélio Lêntulo.

Índice

Segunda Guerra PúnicaEditar

 Ver artigo principal: Segunda Guerra Púnica

Em 204 a.C., Tápulo foi nomeado edil[1] e, nos dois anos seguintes, foi primeiro pretor[2] e propretor na Sicília.[3] Depois do final da guerra, foi um dos decênviros nomeados para distribuir terras entre os veteranos de Cipião Africano em Sâmnio e na Apúlia.[4]

Consulado (199 a.C.)Editar

 Ver artigo principal: Segunda Guerra Macedônica

Foi nomeado cônsul em 199 a.C. com Lúcio Cornélio Lêntulo e foi imediatamente enviado para o Reino da Macedônia para assumir o comando do exército de Públio Sulpício Galba Máximo.[5] Durante seu mandato, não travou nenhuma batalha importante e foi substituído no ano seguinte por Tito Quíncio Flaminino.

Anos finaisEditar

No ano seguinte, foi legado de Flamínio juntamente com Galba Máximo.[6] Depois da derrota de Filipe, em 196 a.C., foi um dos dez enviados pelo Senado para determinar com Flamínio as condições de paz com rei da Macedônia. Depois de firmar a paz, Tápulo foi enviado à corte de Antíoco III, o Grande, na Síria selêucida.[7] Em 193 a.C., foi novamente até a corte de Antíoco e, finalmente, no ano seguinte, foi um dos embaixadores romanos enviados à Grécia.[8]

Ver tambémEditar

Referências

  1. Lívio, Ab Urbe Condita XXIX 38.
  2. Lívio, Ab Urbe Condita XXX 1.
  3. Lívio, Ab Urbe Condita XXXI 4, 49.
  4. Lívio, Ab Urbe Condita XXXII 3, 6, 28.
  5. Lívio, Ab Urbe Condita XXXIII 24, 35, 39, 40.
  6. Broughton, pg. 334
  7. Lívio, Ab Urbe Condita XXXIV 59.
  8. Lívio, Ab Urbe Condita XXXV 13-15, 23, 39.

BibliografiaEditar

Fontes primáriasEditar

Fontes secundáriasEditar