Abrir menu principal
Pătrașcu
Príncipe da Valáquia
Represntação de Pătrașcu, datada do século XIX
Reinado 26 de Fevereiro de 1554- 26 de Dezembro de 1557
Consorte Voica de Slătioare, Maria de Floresti
Antecessor(a) Mircea o Pastor
Sucessor(a) Mircea o Pastor
Dinastia Bassarabe
Nascimento Antes de 1545
  Valáquia
Morte 26 de Dezembro de 1557
  Bucareste
Enterro Mosteiro de Dealu
Filho(s)
legítimos
de Voica
Vintila
Maria
Pedro II
Pătrașcu
de Maria
Radu Florescu
ilegítimos
de Teodora Cantacuzena
Miguel, o Valente
Pai Radu VII Paisie
Mãe Stana de Oroboiești-Tăbărciani

Pătrașcu, cognominado O Bom (f. 26 de Dezembro de 1557), foi Príncipe da Valáquia entre 26 de Fevereiro de 1554 e 26 de Dezembro de 1557.

BiografiaEditar

Filho de Radu Paisie da Valáquia e da sua primeira esposa Stana, foi chamado para governar a 26 de Fevereiro de 1554, em particular devido à influência de Alexandre Lăpuşneanu, Príncipe da Moldávia. A sua política interna caracterizou-se pelo bom relacionamento que teve com os boiardos, extremamente oposta a Mircea o Pastor. Foi talvez por isso que foi cognominado o Bom, e também porque, segundo algumas crónicas, "governou o país bem e sem conflitos, ou boiardos mortos".[1]. Os boiardos foram reintegrados na corte e receberam de volta os direitos, propriedades e fileiras.

Ele tomou uma série de medidas para o crescimento económico do país. Culturalmente, apoiou o trabalho tipográfico do diácono Coresi, e construiu igrejas em Râmnic.

Em termos de política externa, em 1556, sob ordens da Sublime Porta, organizou, juntamente com Alexandre Lăpuşneanu, uma campanha contra as forças imperiais dos Habsburgos na Transilvânia. A expedição terminou de forma vitoriosa para Pătrașcu em Outubro de 1556, com a restauração da Rainha Isabel Jagelão e do seu filho João Sigismundo Zápolya, que prestaram vassalagem ao Sultão Solimão, o Magnífico.

Pătrașcu faleceu em Bucareste, a 26 de Dezembro de 1557, possivelmente envenenado por ordem do Grão-Vizir Rüstem Pacha, com quem tinha uma querela. Foi sepultado na Igreja do Mosteiro de Dealu.

Casamento e descendênciaEditar

Pătrașcu casou-se pela primeira vez com Voica de Slătioare, de quem teve:

Pătrașcu casou-se pela segunda vez com Maria de Floresti, de quem teve:

  • Radu Florescu (?)

Teve ainda uma relação extraconjugal com a grega Teodora Cantacuzena, supostamente uma descendente do imperador bizantino João VI Cantacuzeno, de quem teve;

Referências

BibliografiaEditar

  • (em romeno) Constantin C.Giurescu & Dinu C.Giurescu Istoria Romanilor volume II (1352-1606) . Editura Stcintifica si Enciclopedica Burarecsti (1976), p.245-246.

Ligações externasEditar