Paiol de pólvora

Um paiol de pólvora, por definição, era um tipo específico de paiol, projetado para armazenar pólvora,[1] normalmente em barris de madeira, por questão de segurança. A maioria dos paióis de pólvora eram puramente funcionais e normalmente ficavam em locais remotos e seguros. Eles são os sucessores das primeiras torres e casas de pólvora.

O paiol de pólvora de Rochefort.

Riscos e perigosEditar

 
Desenho de 1809 por Benjamin Henry Latrobe mostrando a elevação, seção transversal e planta de um paiol de pólvora.

A história dos paióis de pólvora foi marcada por inúmeros acidentes:

  • A explosão do paiol de pólvora em Delft, Holanda, causando a morte de cerca de cem habitantes e destruído alguns bairros da cidade (12 de outubro de 1654)
  • A explosão do paiol de pólvora em Grenelle perto de Paris, matando mil pessoas (setembro de 1794)
  • A explosão do paiol de pólvora na Ile du Ramier' em Toulouse (1840)[2]
  • A explosão do paiol das 18 pontes em Lille (1916)
  • A explosão do paiol de pólvora n° 4 no Vallée du Las em Toulon (21 de agosto de 1944)

Para evitar esses riscos, os paióis de pólvora foram construídos de acordo com certas regras: dimensões restritas, muitas vezes cavados no solo, paredes de pedra muito grossas e tetos abobadados, ou lauses cobertos com terra. As próprias paredes às vezes são reforçadas no exterior com um aterro. Os longos corredores em arco que levam aos depósitos podem ser usados ​​em caso de explosão como uma "câmara de descompressão" que, teoricamente, mitigará a potência da explosão. As brechas estreitas permitem a ventilação para evitar o excesso de umidade, que é prejudicial à pólvora. Para evitar faíscas, as peças metálicas não são de ferro, mas de bronze ou estanho.[3] Finalmente, mais tarde preferiram construir pequenas unidades separadas umas das outras, para que a eventual explosão de uma não provoque a explosão das outras. As paredes ainda eram muito grossas, mas os tetos são leves, de modo que os efeitos de uma possível explosão são direcionados para cima, não para os lados.

Segue uma lista da localização dos principais paióis de pólvora por país.

AustráliaEditar

CanadáEditar

 
Paiol de pólvora de Fort William.

HolandaEditar

Ainda existem três paióis de pólvora na Holanda:

IrlandaEditar

MaltaEditar

 
Paiol de pólvora de Fort Manoel.

Foram vários os paióis de pólvora construídos ao longo dos anos.[6]

SingapuraEditar

Reino UnidoEditar

 
Dois paióis de pólvora de Tilbury Fort.

Foram vários os paióis de pólvora construídos ao longo dos anos.[7]

Estados UnidosEditar

 
Paiol de pólvora de Camp Parapet.

Ver tambémEditar

Referências

  1. «POUDRIÈRE» (em francês). Centre National de Ressources Textuelles et Lexicales (CNRTL). Consultado em 20 de agosto de 2020 
  2. François Arago, Œuvres complètes: Notices scientifiques ; 3, Volume 6, 1856, p. 180 [1]
  3. http://www.isere-annuaire.com/monument/vauban-poudriere.htm Poudrière de la Bastille à Grenoble
  4. Webb, Jenny and Donaldson, Ann (2006). Ballincollig Royal Gunpowder Mills: a hidden history. Dublin: Nonsuch Publishing. ISBN 1-84588-540-6.
  5. «Welcome to the Island Crematorium». The Island Crematorium 
  6. Spiteri, Stephen C. (2 de maio de 2012). «Arx Occasional Papers – Hospitaller Gunpowder Magazines». MilitaryArchitecture.com. Consultado em 14 de março de 2015 
  7. Cocroft (2000). Chapter 4: "The demise of gunpowder".
  8. Parnell, Geoffrey (1993), The Tower of London, Batsford, ISBN 978-0-7134-6864-9
  9. [2]
  10. listed building report
  11. Historic England. «Details from listed building database (1378553)». National Heritage List for England. Consultado em 31 de agosto de 2016 
  12. English Heritage National Survey of Ordnance Yards and Magazine Depots, pp40-46
  13. Sadden, John (2001). Portsmouth: In Defence of the Realm. Chichester: Phillimore & Co. ISBN 1-86077-165-3.
  14. Historic England. «Details from listed building database (1276026)». National Heritage List for England. Consultado em 26 de junho de 2015 
  15. Historic England. «Details from listed building database (1393247)». National Heritage List for England. Consultado em 26 de junho de 2015 
  16. Semark, H. W. (1997). The Royal Naval Armaments Depots of Priddy's Hard, Elson, Frater and Bedenham (Gosport, Hampshire) 1768–1977. Winchester: Hampshire County Council. ISBN 1-85975-132-6.
  17. a b English Heritage National Survey of Ordnance Yards and Magazine Depots
  18. Historic England. «Details from listed building database (1393292)». National Heritage List for England. Consultado em 3 de setembro de 2016 
  19. Local authority report
  20. MacIvor, Iain (1981). Dumbarton Castle: Official Guide. Edinburgh: HMSO. ISBN 0-11-490830-3.
  21. MacIvor, Iain (1996). Fort George: The Official Souvenir Guide. Edinburgh: Historic Scotland. ISBN 0-7480-1078-5.

BibliografiaEditar

Ligações externasEditar

 
O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Paiol de pólvora