Palíndromo

Palíndromo é uma palavra, frase ou número que permanece igual quando lida de trás para diante. Por extensão, palíndromo é qualquer série de elementos com simetria linear, ou seja, que apresenta a mesma sequência de unidades nos dois sentidos.[1]

O Quadrado Sator é um dos exemplos mais conhecidos de palíndromos.

A palavra "palíndromo" vem do grego palin (πάλιν, "para trás, novamente") + dromos (δρόμος, "caminho, rua") - que corre em sentido inverso.[2] Mas o termo foi cunhado em inglês (palindrome), no século XVII, e os primeiros a utilizá-lo foram os escritores Henry Peacham.[3] e Ben Jonson [4]

Palavras palíndromasEditar

Uma palavra palíndroma é aquela cuja sequência de letras é simétrica, permitindo uma leitura idêntica da esquerda para a direita ou da direita para a esquerda: ovo, osso, reler, anilina.

Em geral, para identificar a palindromia, desconsideram-se os acentos e sinais gráficos, e por isso palavras como afã, aérea e somávamos também são consideradas palíndromos.

Além disso, também não é levada em conta a diferença entre maiúsculas e minúsculas, o que faz que com nomes próprios como Ana, Otto, Natan e Neuquén sejam palíndromos.

Malba Tahan, provavelmente o primeiro autor a escrever sobre o tema em português, listou 231 palavras palíndromas em língua portuguesa em seu livro "Matemática recreativa".[5]

Palíndromos silábicos e vocabularesEditar

Se, em vez da letra, considerarmos a sílaba como unidade, podemos obter palíndromos silábicos: coco, danada, cararaca, acidência.

Outra possibilidade é considerar como unidade a palavra, e então teremos palíndromos vocabulares como "Um por todos e todos por um".

Frases palíndromasEditar

Mas a forma mais conhecida de palíndromo é a frase simétrica, considerando como unidade a letra, e desconsiderando acentos, diacríticos (til, cedilha), sinais de pontuação e espaços entre as palavras. Nesta acepção, o palíndromo se tornou um popular jogo de palavras, um quebra-cabeças e até uma forma de expressão.

O palíndromo mais antigo conhecido em língua portuguesa é "Roma me tem amor", mencionado como único exemplo no verbete palíndromo do primeiro dicionário da língua portuguesa, de Antônio Morais da Silva, em 1789.[6]

O escritor Eno Teodoro Wanke, em seu "O livro dos palíndromos",[7] listou 3652 frases palíndromas de sua autoria.

Um pouco antes, o pioneiro palindromista brasileiro Rômulo Marinho propôs classificar os palíndromos em três categorias, de acordo com a qualidade do texto:[8]

  • Expliciti — trazem sempre uma mensagem direta, clara e inteligível, como "Socorram-me, subi no ônibus em Marrocos” (palíndromo de autoria anônima, provavelmente o mais conhecido em língua portuguesa).
  • Interpretabiles — têm coerência, mas requerem esforço intelectual do leitor para serem entendidos, como "A Rita, sobre vovô, verbos atira."
  • Insensati — cuidam apenas de juntar letras ou palavras sem se preocupar com o sentido, como "Olé! Maracujá, caju, caramelo."

As frases formando um palíndromo também são chamadas de anacíclicas, do grego anakúklein, significando que volta em sentido inverso, que refaz inversamente o ciclo.

Escrever literatura em palíndromos é um exemplo de escrita constrangida.

Números palíndromosEditar

Um número palíndromo, como 303, 1991 ou 123454321, é também chamado de capicua, do catalão cap i cua ("cabeça e rabo").

Em Matemática recreativa, estudam-se propriedades de determinados números relacionados a palíndromos, como por exemplo os primos palíndromos (191, 313, etc.) e os números de Lychrel, que, ao contrário da maioria dos números inteiros, não podem ser transformados em palíndromos através de um processo iterativo de soma com os dígitos invertidos.

Datas palíndromasEditar

Uma data é considerada palíndroma quando sua sequência de dígitos é simétrica, desconsiderados os espaços e sinais separadores. Ainda assim, é preciso levar a conta o sistema de notação utilizado.

O dia 10 de fevereiro de 2001, por exemplo, é um palíndromo no sistema de notação de datas mais usado no Brasil (10/02/2001), mas não no sistema estadunidense (02-10, 2001) nem no europeu (2001-02-10). 2 de janeiro de 2010 seria palíndromo apenas no sistema estadunidense (01-02, 2010), enquanto que 2 de dezembro de 2021 só é palíndromo na notação europeia (2021-12-02). Mas uma data como 2 de fevereiro de 2020 é palíndroma nas três notações: 02/02/2020; 02-02, 2020; 2020-02-02.

Já numa notação simplificada, que utilize apenas dois dígitos para o ano e um para os meses até setembro, a quantidade de datas palíndromas aumenta muito. Em 2021, por exemplo, os dias 12, de janeiro a setembro, seriam palíndromos: 12/1/21, 12/2/21, 12/3/21, etc.

Sequências palindrômicas naturaisEditar

Em genética molecular, existem estudos sobre sequências de DNA palindrômicas, inclusive sobre a possibilidade de elas aumentarem a tendência a determinadas doenças.[9]

 
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Palíndromo

Referências

  1. «Dicionário Priberam». Consultado em 15 de maio de 2021 
  2. HOUAISS, Antônio: Dicionário da Língua Portuguesa.
  3. PEACHAM, Henry: "The truth of our times", 1638, p. 123.
  4. JONSON, Ben: "Underwood", 1640, poema nº 43, "An execration upon Vulcan".
  5. TAHAN, Malba: "Matemática recreativa, 1º volume", ed. Saraiva, 1963, capítulo "A palindromia e seus segredos".
  6. MORAIS da Silva, Antônio: "Dicionário da língua portuguesa", Lisboa, 1789.
  7. WANKE, Eno Teodoro: "O livro dos palíndromos", ed. Plaquette, 1995.
  8. MARINHO, Rômulo: "Tucano na CUT", ed. LGE, 1988.
  9. «Pesquisadores descobrem ligação entre palíndromos de DNA e doenças». Consultado em 15 de maio de 2021