Palazzo Della Valle

Palazzo Della Valle ou Palazzo Valle é um palácio renascentista localizado na esquina do Corso Vittorio Emanuele II (nº 101) com a Piazza di Sant'Andrea della Valle, no rione Sant'Eustachio de Roma[1], mas com fachada também na Largo del Teatro Valle.

Vista do palácio na Piazza di Sant'Andrea della Valle realçando a ala mais antiga (à direita) e a mais nova.

HistóriaEditar

Este palácio foi construído entre 1517 e 1523 para o cardeal Andrea della Valle, arcebispo de Crotone e Mileto, cuja família já era proprietária de um conjunto de residências no local e emprestou seu nome à região[2]. As obras foram realizadas depois que o papa Sisto IV determinou, em 1484, a demolição destas residências após a derrota das famílias Della Valle e Colonna pelos Orsini num dos frequentes conflitos que afligiam a cidade na época[3]. O autor do edifício, que originalmente tinha dois pisos, é incerto: segundo alguns, foi Lorenzo Lotti (conhecido como Il Lorenzetto), mas segundo os estudiosos modernos, é mais provável que tenha sido Andrea Sansovino ou Antonio da Sangallo, o Jovem[4][3].

Morto o cardeal em 1534, seu palácio passou para o bispo Quintio dei Rustici, filho de sua irmã, e depois para as famílias Capranica através de Faustina della Valle, casada com Camillo Capranica[1]. Em 1584, o palácio foi vendido para Fernando I de Médici, que transferiu parte da coleção para a Villa Medici, no monte Píncio[1][3][4]. A propriedade retornou depois aos Della Valle (Pietro, 1586-1652), período no qual a ala de frente para a Piazza Della Valle (c. 1600)[3]. Em 1633, o edifício foi adquirido pela família Del Bufalo após o matrimônio de Romibera, filha de Pietro, com o marquês Benedetto Del Bufalo. O filho deles, Otavio Federico, realizou em 1711 uma reforma que se prolongou por cerca de dez anos: foi ele quem mandou mudar o portal da posição original, alinhada com o pátio interno, para a atual, mais à esquerda, e colocou no local uma placa relembrando a união das famílias Del Bufalo e Della Valle. Além disso, ele também mandou construir uma nova fachada posterior para os estábulos e regularizou a planta[3]. No interior, suas salas foram ricamente decoradas, como a que foi pintada em afresco por Cecchino Salviati; no salão maior está uma inscrição que recorda Della Valle como cardeal de Santa Prisca[4].

Em 1810, o marquês Rinaldo Del Bufalo-Della Valle, por conta de sua precária condição econômica, vendeu os últimos relevos antigos que ainda estavam no pátio do palácio e construiu no local um estábulo e um galpão emparedando dois arcos, liberados também na reforma de 1941. Com a morte do marquês (1828), a propriedade passou para seus filhos, que construíram, em 1845, um mezzanino acima do segundo piso e também um novo pilar na lógia sul do pátio[3]. Em 1941, o edifício foi vendido para a Confederação Fascista de Comerciantes e restaurado pelo arquiteto Carlo Forti. Esta intervenção, ditada também pelas precárias condições da estrutura, se concentrou no pátio, que recuperou sua aparência e decoração originais. Infelizmente, a prática, então usual, de remoção do gesso não poupou nem as fachadas do pátio, nem a esquina de frente para a igreja de Sant'Andrea della Valle e nem o último arco medieval ao lado da porta[3].

Em 1948, o Palazzo Della Valle se tornou a sede da Confederação Geral da Agricultura Italiana (em italiano: Confragricoltura), que, em 2002, restaurou a fachada[3].

DescriçãoEditar

O edifício foi construído na antiga Strada Papale em um trecho ligeiramente curvo, que acabou se refletindo na estrutura: este é o motivo pelo qual ainda hoje o edifício se projeta no Corso Vittorio Emanuele II com uma leve convexidade. Esta fachada se apresenta em três pisos separados por duas cornijas marcapiano, com janelas emolduradas e com mísulas no primeiro piso, sem mísulas no segundo e sem moldura no terceiro. O portal é muito belo e elegante, com arquitrave de mármore e a inscrição "ANDREAS CAR DE VALLE F" (em latim: "Andreas Cardinallis De Vallis F(ecit)")[4].

À direita deste portal está um arco de tijolos assentado sobre colunas de um antigo pórtico medieval, hoje murado e aberto numa janela antiga[4] e revelado durante uma reforma em 1941[3]. O palácio ficou famoso por causa da rica coleção de estátuas e relevos antigos dispostos no esplêndido pátio interno, caracterizado por amplos arcos retos apoiados em colunas dóricas e medalhões de mármore[4]. Em 1584, o cardeal Fernando I de Médici levou a coleção para decorar a sua própria villa, Villa Medici[2][5]. O edifício também conta com uma nova ala construída no século XVII de frente para a Piazza di Sant'Andrea della Valle e com uma terceira fachada no Largo del Teatro Valle[4].

Esta última apresenta uma bela fachada com um portal de silhares rusticados encimado pelo brasão dos Della Valle (dois leões rompantes, um de frente para o outro, acompanhados por cinco estrelas e uma águia coroada) e por um relevo com três bustos femininos da antiguidade romana. Dignas de nota são as janelas do primeiro piso, emolduradas e com mísulas, todas inscritas com o texto "ANDREAS CAR DE VALLE" com exceção da que fica acima do portal, cujo texto é "ANDREAS DE VALLE EPS MILETEN" (em italiano: "Andre Della Valle Episcopo di Mileto")[6].

Referências

  1. a b c «Palazzo Della Valle» (em italiano). InfoRoma 
  2. a b «Palazzo Della Valle» (em inglês). Rome Tour 
  3. a b c d e f g h i «La Sede» (em italiano). Site oficial da Confagricoltura 
  4. a b c d e f g «Corso Vittorio Emanuele II» (em italiano). Roma Segreta 
  5. «Chiesa di S. Andrea della Valle» (em inglês). Rome Art Lover 
  6. «Largo del Teatro Valle» (em italiano). Roma Segreta