Abrir menu principal

Paleogeno

(Redirecionado de Paleogénico)
Período Paleogeno
66–23.03 milhões de anos atrás


Teor médio de o2 atmosférico durante o período ca. 26 Vol %[1]
(130 % do nível atual)
Teor médio do CO2 atmosférico durante o período ca. 500 ppm[2]
(2 vezes o nível pré-industrial)
Temperatura média da superfície durante o período ca. 18 °C[3]
(4 °C acima do nível atual)



Na escala de tempo geológico, o Paleogeno ou Paleogénico é o período da era Cenozoica do éon Fanerozoico que está compreendido entre 65 milhões e 500 mil e 23 milhões e 30 mil anos atrás, aproximadamente. O período Paleogeno sucede ao período Cretáceo da era Mesozoica de seu éon e precede o período Neogeno de sua era. Divide-se nas épocas Paleocena, Eocena e Oligocena, da mais antiga para a mais recente.

Paleocénico (há 65-53 milhões de anos)Editar

 Ver artigo principal: Paleocénico

A primeira época do período foi a época em que a Terra se recuperou da catástrofe que extinguiu os dinossauros. Os pequenos mamíferos proliferaram e as aves assumiram o topo da cadeia alimentar. O clima ainda era bem quente, e o mundo, de uma forma geral, se assemelhava ao do final do Cretáceo.

Eocénico (há 53-35 milhões de anos)Editar

 Ver artigo principal: Eocénico

No início da época as aves ainda eram os predadores dominantes, porém com o tempo mamíferos carnívoros se desenvolveram e as substituíram. Também surgiram os primeiros grandes mamíferos. No início da época o clima tropical se espalhava até as regiões polares; porém, ao final dessa época, o clima começa a se esfriar, a vegetação próxima aos polos começa a se tornar semelhante às de tundra e taiga e tem início o processo de congelamento dos polos. Estas alterações causam uma considerável extinção, o que marcou o final desta época.

Oligocénico (há 36-23 milhões de anos)Editar

 Ver artigo principal: Oligocénico

O clima começa a se tornar mais semelhante ao atual, embora ainda seja, em geral, mais quente. O domínio dos mamíferos se confirma, com exceção das regiões mais isoladas. A flora já se torna bem semelhante à atual.

Fauna e flora do períodoEditar

A fauna do paleogénico se caracteriza pelos mamíferos primitivos (com parentesco distante aos atuais) e pelas aves do terror. Após o evento K-T, que viu o desaparecimento dos dinossauros não-aviários, os mamíferos se transformaram de algumas formas pequenas e generalizadas e começaram a evoluir para a maioria das variedades modernas que vemos hoje. Alguns desses mamíferos evoluiriam para grandes herbivoros e predadores destes herbívoros, enquanto outros se tornariam capazes de viver em ambientes marinho, aéreo especializado e terem um estilo de vida arbóreo.

As aves, que já estavam bem estabelecidas no final do Cretáceo, também experimentaram uma radiação adaptativa ao assumirem o céu deixado vazio pelos pterossauros agora extintos. As aves do terror foram as primeiras a ocupar o topo da cadeia alimentar após a extinção dos dinossauros, porém já no final do Paleogênico mamíferos primitivos carnívoros, como os mesoniquíos e os creodontes, já as haviam substituído na maior parte do mundo, exceto nas regiões mais isoladas do globo. No tocante a flora do paleogénico, esta era, ainda, bem semelhante à predominante no Cretáceo, embora se destaque um maior desenvolvimento das angiospermas. O resfriamento pronunciado no Oligoceno levou a uma mudança floral maciça e muitas plantas modernas existentes surgiram durante esse período. Gramíneas e ervas aromáticas, como a Artemísia, começaram a aparecer às custas das plantas tropicais, que começaram a declinar. Florestas de coníferas desenvolveram em áreas montanhosas. Essa tendência de resfriamento continuou, com grande flutuação, no período seguinte.

Ver tambémEditar

Referências