Abrir menu principal

Wikipédia β

Disambig grey.svg Nota: Não confundir com Panteísmo.

Panenteísmo (pan-en-teísmo), ou krausismo, é uma doutrina que diz que o universo está contido em Deus ou nos deuses, mas Deus ou os deuses é/são maior(es) do que o universo. É diferente do panteísmo, a crença de que Deus ou os deuses e o universo coincidem perfeitamente (ou seja, são o mesmo). O termo foi proposto por Karl Christian Friedrich Krause, na sua obra System des Philosophie (1828), para designar a sua própria doutrina teológica que pretendia servir de mediação entre o panteísmo e o teísmo. O termo passou a ser utilizado para designar múltiplas tentativas análogas, extravasando o sentido original que lhe fora atribuído por Karl Krause.[1]

Teólogos protestantes contribuíram para o desenvolvimento do Panenteísmo, continuando a tradição idealista alemã ou a tradição da filosofia do processo. Embora a maioria das expressões contemporâneas do panenteísmo envolvam cientistas e teólogos ou filósofos protestantes, articulações de formas de panenteísmo também se desenvolveram na tradição católica romana, na tradição ortodoxa e em outras religiões além do cristianismo.[2]

No panenteísmo, todas as coisas estão na divindade, são abarcadas por ela, identificam-se (ponto em comum com o panteísmo), mas a divindade é, além disso, algo além de todas as coisas, transcendente a elas, sem necessariamente perder sua unidade (ou seja, a mesma divindade é todas as coisas e algo a mais).

Alguns dos filósofos panenteístas foram Alfred North Whitehead e Schelling.[2]

Esta crença panenteísta pode ser identificada de forma bastante válida com a interpretação cabalística, especificamente a ideia de Tzimtzum.[carece de fontes?]

Notas

  1. Encyclopédie de la philosophie (ISBN 2253130125).
  2. a b «Panentheism» (em inglês). Stanford Encyclopedia of Philosophy 

Ver tambémEditar