Abrir menu principal

Panoias (Ourique)

localidade e antiga freguesia de Ourique, Portugal
Portugal Panoias 
  Freguesia portuguesa extinta  
Vista parcial da vila de Panoias.jpg
Gentílico Panoniano/Panoiense
Localização
Concelho primitivo Panoias
História
Fundação Antiga
Extinção 28 de janeiro de 2013
Características geográficas
Área total 110,35 km²
Outras informações
Orago São Pedro, o Príncipe dos Apóstolos

Panoias (pré-AO 1990: Panóias)[1][2] é uma antiga freguesia portuguesa do concelho de Ourique, com 110,35 km² de área e 496 habitantes (2011). A sua densidade populacional era 4,5 hab/km².

É vila e foi sede de concelho até 1836, quando foi anexada ao município de Messejana. Tinha, em 1801, 744 habitantes.
Foi extinta em 2013, no âmbito de uma reforma administrativa nacional para formar uma nova freguesia denominada União das Freguesias de Panoias e Conceição.[3]

HistóriaEditar

Foi nos seus campos que no ano de 1139 se travou a célebre Batalha de Ourique. Conquistada aos Mouros por Paio Peres Correia no ano de 1234, quando o seu território pertencia ao domínio do Castelo de Aljustrel. Foi doada à Ordem de Santiago pelo Rei D. Sancho II e confirmada pelo Rei D. Afonso III, elevada a Vila pela Ordem de Santiago e reconhecida pelo rei a sua representação nas Cortes desde o século XIII com assento no banco 14. A Vila de Panoias aparece como uma das vilas mais importantes do então chamado Campo d'Ourique se tivermos em consideração que as posições que tomavam os seus representantes nos respectivos bancos, obedeciam à importância das suas terras encontrava-se 1.º Beja no banco 3; 2.º Moura no banco 5; 3.º Alcácer do Sal no banco 7; 4.º Panoias e Garvão no banco 14 e Ourique vem a seguir no banco 15.No reinado de D. Dinis, este monarca, implementou e desenvolveu a agricultura nos territórios da Vila, tornando-a num grande centro de produção agrícola. Nos anos de 1288 e 1314 foram doadas terras pela Ordem de Santiago a D. Betaça de Láscaris, neta de Teodoro II Láscaris, Imperador de Niceia e aia da Rainha D. Isabel de Aragão, tendo pela última doação sido feita Comendadeira e Senhora de Panoias.

Teve carta de foral novo, dada por D. Manuel I em Lisboa no dia 1 de Julho de 1512.[4] No século XVI, D. Sebastião proviu a Vila de capitania mor de Ordenanças, foi sede da 1ª companhia do Regimento de Auxiliares e Milícias da antiga Comarca de Campo de Ourique. Foi também nesta vila e campos em redor que se travou no dia 14 de Agosto de 1833, a Batalha de Panoias,[5] entre Liberais e Miguelistas, vencida pelos Liberais, que na sequência desta batalha sofreram, no dia 2 de Novembro de 1833, duro revés na Batalha de Alcácer do Sal, tendo sido vários Liberais fuzilados no que ficou conhecido como o massacre de Algalé em represália do massacre perpetrado em Panoias. Na sequência da derrota miguelista a vila perdeu o seu concelho no ano de 1836, quando era seu administrador interino o capitão Joaquim Romão Louro Palmer, liberal da vila que tinha assegurado o governo do município até à sua extinção. Foi depois integrada no concelho de Messejana até à extinção deste no ano de 1855, tendo depois passado a pertencer ao município de Ourique onde actualmente pertence.[4]

PopulaçãoEditar

População da freguesia de Panoias (1864 – 2011) [6]
1864 1878 1890 1900 1911 1920 1930 1940 1950 1960 1970 1981 1991 2001 2011
839 970 974 963 1 334 1 556 1 900 2 092 2 095 1 921 1 356 976 728 634 496

FreguesiaEditar

É uma freguesia rural de 1ª. classe e nela se situam os lugares de S. Romão de Panoias, Torre Vã, Laborela, Conceição e Alcarias.

No território da freguesia fica situada a albufeira da Barragem do Monte da Rocha.

É freguesia administrativa desde 1836.Presentemente pertence à União das freguesias de Panoias e Conceição.

Pontos de interesse turísticoEditar

PersonalidadesEditar

  • Estêvão de Brito, cavaleiro, comendador e visitador da Ordem de Santiago da Espada
  • Aleixo de Sequeira, grande latinista e tradutor das "Odes" de Horácio
  • D. Maria Mendes da Gama, 14ª. condessa de Vidigueira e 9ª. marquesa de Nisa
  • D. José Xavier Teles da Gama,15º. conde da Vidigueira e 10º. marquês de Nisa[7]
  • José Francisco de Paula da Ressurreição Oliveira Maia Alcoforado, publicista, político e escritor

Referências

  1. Helena Figueira. «Castanheira de Pêra e outros topónimos depois do Acordo Ortográfico». FLiP 
  2. Diário da República Eletrónico. «Nova grafia dos topónimos». Imprensa Nacional-Casa da Moeda. Consultado em 26 de fevereiro de 2014 
  3. Diário da República, 1.ª Série, n.º 19, Lei n.º 11-A/2013 de 28 de janeiro (Reorganização administrativa do território das freguesias). Acedido a 20 de junho de 2016.
  4. a b Ferreira, José Maria Ferreira (2012). Foral da Vila de Panoias. [S.l.: s.n.] ISBN 978-989-8601-15-5 
  5. «viladepanoias». sites.google.com. Consultado em 30 de janeiro de 2016 
  6. Instituto Nacional de Estatística (Recenseamentos Gerais da População) - https://www.ine.pt/xportal/xmain?xpid=INE&xpgid=ine_publicacoes
  7. Ferreira, José Maria Ferreira (2015). Notáveis da Vila de Panoias. [S.l.: s.n.] 
  Este artigo sobre freguesias portuguesas é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.