Abrir menu principal
Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde junho de 2019). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Veve de Papa Legba

No Vodou haitiano, Papa Legba é o intermediário entre o loa e a humanidade. Ele está em uma encruzilhada espiritual e dá (ou nega) permissão para falar com os espíritos de Guinee, e acredita-se que fale todos os idiomas humanos. Ele é sempre o primeiro e o último espírito invocado em qualquer cerimônia[1], pois sua autorização é necessária para qualquer comunicação entre os mortais e os loa (ele abre e fecha as portas). No Haiti, ele é o grande elocução, a voz de Deus, como era o caso. Legba facilita a comunicação, a fala e a compreensão.

No panteão yoruba, homenageado na Nigéria, Cuba, Brasil, e no resto da diáspora yoruba, Ellegua é principalmente associado com Papa Legba, uma vez que ambos partilham o papel de ser o dono da encruzilhada. Ao contrário de Papa Legba, no entanto, Eleggua é um trickster malandro criança. Legba também partilha semelhanças com Orunmilá, o Orixá da profecia que ensinou à humanidade como usar o poderoso oráculo Ifá.

Ele costuma aparecer como um homem velho, com uma muleta ou uma bengala, vestindo um chapéu de palha de aba larga e fumar um cachimbo, ou aspersão da água[2]. O cachorro é sagrado a ele. Devido à sua posição como guardião do portão entre os mundos da vida e dos mistérios ele é frequentemente identificado como São Pedro, que detém uma posição comparável na tradição Católica. Mas ele também está representado no Haiti, como São Lázaro, ou Santo Antônio o Grande[3].

No Benin e Nigéria, Legba é visto como jovem e viril, é muitas vezes cornudo e fálico, e o seu relicário é normalmente localizado na porta da aldeia na zona rural.

Alternativo: Legba, Legba Atibon, Atibon Legba, Ati-Gbon Legba.


ReferênciasEditar