Abrir menu principal
Out of date clock icon.svg
Este artigo ou seção pode conter informações desatualizadas em seu conteúdo. Se sabe algo sobre o tema abordado, edite a página e inclua informações mais recentes, citando fontes fiáveis e independentes.
Disambig grey.svg Nota: Se procura outras acepções de Paradinha, veja Paradinha (desambiguação).
A partir de 2010, no momento do chute, não será mais permitido a paradinha

A Paradinha no futebol, é uma técnica efetuada ao bater um pênalti, em que o batedor simula o chute, mas não o conclui, enganando o goleiro e chutando em seguida.

HistóriaEditar

A paradinha foi criada no Brasil por Pelé, na década de 1960, enquanto observava alguns companheiros usando o artifício como brincadeira durante treinos do Santos e resolveu utiliza-lo na prática em um jogo oficial. Em um amistoso diante do argentino River Plate, em 1962, Pelé fez a paradinha em cobrança de pênalti, mas o árbitro Aurélio Bossolino invalidou o lance e marcou infração contra o time do Santos.[1] Na época, a FIFA condenou a atitude do juiz, e a manobra passou a valer. Como quase ninguém utilizava, não gerou polêmica.

Segundo Pelé, porém, o inventor da jogada foi o Didi: "Quem inventou foi mesmo o Didi. Eu apenas copiei."[2]

Retornou com força na década de 1990, quando alguns jogadores voltaram a aplicar a técnica na hora do pênalti. Em várias partes do mundo a técnica teve algum impacto, e a FIFA se pronunciou após a copa de 98, na França. O artifício foi permitido, porém o goleiro também estava liberado para se movimentar em cima da linha do gol, antes da cobrança da penalidade.

No início de 2000, o assunto caiu novamente no esquecimento, pois poucos cobradores tinham a destreza de o fazer. Em 2010, a paradinha voltou aos gramados brasileiros, quando a FIFA resolveu proibi-la.[3]

Proibição em 2010Editar

A paradinha deixou de ser permitida na Copa da África do Sul e em nenhum outro campeonato homologado pela FIFA a partir de 1 de junho de 2010. A nova regra da FIFA afirma que: ameaçar durante a corrida para cobrar um pênalti para confundir um oponente é permitido, mas ameaçar chutar a bola uma vez que o jogador completou a corrida é agora uma infração da lei número 14 e um ato antiesportivo pelo qual o jogador deve ser punido.[4]

Os jogadores que fizerem a paradinha ilegal devem ser punidos com cartão amarelo, e a cobrança será anulada, se tiver sido convertida.

Paradinhas FamosasEditar

Ver tambémEditar

Referências

Ligações externasEditar