Abrir menu principal

Parque Estadual Pico do Jabre

Parque Estadual Pico do Jabre
Localização Microrregião da Serra do Teixeira, Estado da Paraíba, Brasil
Dados
Área 851 ha[1]
Criação 19 de junho de 2002[1]
Gestão Sudema
Coordenadas 7° 15' 9.9" S 37° 23' 5.5" O
Parque Estadual Pico do Jabre está localizado em: Brasil
Parque Estadual Pico do Jabre

O Parque Estadual Pico do Jabre é uma unidade de conservação (UC) localizada no município brasileiro de Matureia, no estado da Paraíba. Toda a área do parque contém 851 hectares.[1]

HistóriaEditar

No livro Uma família na serra do Teixeira há a seguinte citação sobre a conquista da região:

Os irmãos Antônio e Francisco Pereira Monteiro, em 1761, subiram a serra do Teixeira em busca de escravos fugitivos. Não consta os terem encontrado, mas se deslumbraram com a mata virgem, o solo fértil e profundo, as léguas de baixios e a vista fascinante que se descortinava do pico do Jabre. Sendo essas terras devolutas, os dois apossaram-se delas, construíram benfeitorias e requereram ao governo a carta de doação, concedida com o nome de «Data de Santo Antônio».[2][nota 1]

Em 19 de junho de 2002, a unidade foi oficialmente reconhecida pelo decreto estadual nº 23.060.[1]

CaracterísticasEditar

Apesar de estar localizado em meio ao sertão semi-árido, região de caatinga, o clima é do tipo quente e úmido com chuvas de verão a outono. A temperatura média anual em torno de 21° C, e o período chuvoso, que vai de janeiro a maio, apresenta uma precipitação média em torno de 800 a 1.000 mm.

Apesar da relativa secura da região, o orvalho e os lençóis freáticos representam fontes de umidade vitais para a vegetação. Novas ou raras espécies da família Acanthaceae e Bromeliaceae foram motivos de estudo nas décadas de 1990 e 2000. [4]

Localizado na serra do Teixeira, o pico do Jabre, que dá nome à unidade e é o ponto culminante dos contrafortes da Borborema, com 1.197m. O pico é também um dos pontos mais elevados do Nordeste brasileiro.

GaleriaEditar

Notas

  1. Devoluto, segundo o Dicionário Aulete, significa «nunca ocupado, livre». O termo «data» é arcaísmo para doação.[3]

Referências

  1. a b c d Adm. do sítio (2007). «Áreas protegidas da Paraíba». Sudema. Consultado em 1 de abril de 2014. Arquivado do original em 3 de fevereiro de 2014 
  2. DANTAS, Fábio Lafaiete e DANTAS, Maria Leda de Resende (2008). Uma família na Sierra do Teixeira. [S.l.]: Liber. 402 páginas 
  3. Editores do Aulete (2013). «Verbetes devoluto e data». Dicionário Caldas Aulete. Consultado em 16 de julho de 2017 
  4. BARACHO, G.S.; SIQUEIRA J.A. (2003). Vidalia: revista da Unidade de Pesquisa e Conservação de Bromiliaceae, Volumes 1-2. [S.l.]: Universidade Federal de Viçosa 
  Este artigo sobre ambiente é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.