Parque Nacional Predelta

reserva natural educativa Colónia Benítez
Categoria III da IUCN (Monumento Natural)
Vista aérea do parque
Localização
Localização Provincia de Entre Ríos
País  Argentina
Localidades mais próximas Diamante
Dados
Área 2,458 ha
Criação 19 de dezembro de 1991
Gestão Administración de Parques Nacionales
Coordenadas 32° 09' S 60° 38' O

O parque nacional Predelta (ou Pré-delta) é uma área protegida da Argentina, localizada na província de Entre Ríos, 6 km a sul da localidade de Diamante, em La Azotea.

LocalizaçãoEditar

Localiza-se a centro oeste da província de Entre Ríos, sobre a margem do rio Paraná, aos 32º07’S 60º37’W. Está em um setor de ilha muito próximo do lugar denominado La Azotea, e a zona é o começo do que se conhece como Delta do Paraná.

À localidade de Diamante chega-se a partir da cidade de Paraná, localizada a 44 km de distância. A partir daí, toma-se um caminho de seis quilômetros de terra e até La Jaula e La Azotea, que se encontram nas proximidades do parque.[1][2][3]

CriaçãoEditar

Durante o governo de Humberto Ré (UCR), mediante a ordem 14/87, sancionada em 7 de maio de 1987, a municipalidade de Diamante doou 2.458 ha para a criação do parque nacional. Através da lei n° 8.491, sancionada em 23 de julho de 1991, a província de Entre Ríos convalidou a cessão das terras ao Estado nacional.[4]

O parque em si foi criado pela Lei nº 24.063 de 19 de dezembro de 1991, efetivamente promulgada em 13 de janeiro de 1992 e publicada no Boletim Oficial de 20 de janeiro de 1992.[5]

A finalidade do parque é de preservar uma parte dos ambientes do delta superior do rio Paraná.[1][2][3][6]

Segundo a resolução nº 122/98 de 20 de agosto, a Administração de Parques Nacionais da Argentina publicou a Lista de Vertebrados de Valor Especial do parque nacional Predelta, composta por 10 aves, 5 mamíferos, 3 répteis, e um anfíbio.[7]

Mediante a lei provincial N.° 10,196, sancionada em 20 de dezembro de 2012, foi desafetado de outros usos o chamado Campo Coronel Sarmiento, de 146 ha, pertencente ao Exército Argentino. Essa área deverá ser transferida ao domínio do Estado Nacional, que deverá incorpora-la ao parque nacional Predelta antes do 8 de janeiro de 2017.

GeografiaEditar

Os ambientes da área são: o albardón, que é a zona de maior altura, onde se encontra a floresta em galeria, a lagoa que é um espelho de água livre, e o banhado, que são zonas baixas e alagadiças. Este parque nacional é composto de terra firme, costa alagada e ilhas que possuem representantes doso sistemas de albardons, braços mortos e praias arenosas.

O parque é totalmente delimitado por cursos fluviais, e compreende um trecho do rio Paraná e três ilhas: "del Ceibo", "las Mangas" e "del Barro". Os cursos de água navegáveis, são os seguintes: Arroio La Azotea, Riacho Vapor Viejo (onde naufragou um barco britânico), e Arroio Las Mangas (desde seu nascimento até o Posto Operativo Las Mangas), Saca Calzones e La Azotea.

O pre-delta é o início de um conjunto de ilhas formadas pelos sedimentos que circulam no rio Paraná e em seus afluentes. O Delta do rio Paraná nasce ali e desemboca no Rio da Prata, possuindo cerca de 300 km de comprimento e até 40 km de largura, com superfície total de aproximadamente 1.200.000 ha.

O parque nacional Predelta compreende uma parte da ecorregião do delta e das ilhas do Rio Paraná por sua vez compreende uma zona de ilhas baixas e inundáveis, compreendidas dentro dos vales de inundação dos cursos médios dos rios Paraná e Paraguai.[6] Essas ilhas são albardons com montes, cujo interior é uma pequena depressão, na qual pode haver corpos de água e lagoas.[2]

O clima da região é húmido e subtropical, graças à influência moderadora do rio. A temperatura média anual é de 19 ºC.[1]

ClimaEditar

Mesmo que a área possua um clima temperado sub-húmido, as águas do rio Paraná e dos tributários do Rio da Prata produzem um efeito moderador que influi nas principais variáveis climáticas, convergindo para um clima de tipo subtropical húmido. Essa é uma das principais razões que fizeram da zona um oásis subtropical em latitudes propícias para outro tipo de flora, como a que aparece em zonas adjacentes.

Flora e faunaEditar

FaunaEditar

A fauna é composta principalmente por mamíferos e répteis aquáticos, e por aves. Entre os mamíferos destacam-se as capivaras (Hydrochoerus hydrochaeris), cujas pegadas podem ser observadas pelas trilhas do parque, as lontras (Lutrinae) e as Lontras-neotropicais (Lontra longicaudis). Entre os répteis destacam-se o Jacaré-de-papo-amarelo (espécie que se achava estava extinta na região), o Teiú-branco (Tupinambis teguixin) e o Cágado-cinza.[1]

As espécies de aves são muito variadas, destacando-se o João-de-pau (que constrói seus ninhos com palitos, que flutuam sobre a água), patos (Anatidae), carões(Aramus guarauna), Chaunas torquata (Chauna torquata), Ciconiiformes (Ciconiidae), Ardeidae (Ardeidae) e também Guarda-rios (Chloroceryle sp.), os quais abundam e são de fácil observação, motivo pelo qual se converteram na espécie mais representativa do parque.[1]

FloraEditar

O sector de ilhas tem florestas de Corticeira de Acacia multiflora. As partes baixas são cobertas por densas campinas de palha de techar e palha boba, existindo alguns espelhos de água.

AdministraçãoEditar

Segundo a resolução nº 126/2011 da Administração de Parques Nacionais da Argentina, datada de 19 de maio de 2011, dispôs-se que o parque fosse enquadrado na categoria III de áreas protegidas da UICN, e que fosse dirigido por um intendente, ao qual respondem quatro departamentos (Administração, Obras e Manutenção, Guarda-parques Nacionais e Conservação e Uso Público) e a Divisão "Despacho e Mesa de Entradas, Saídas, e Notificações".[9]

AtividadesEditar

Devido às características do parque, principalmente formado por ilhas, a maioria das atividades são realizadas em embarcações adequadas. No entanto, a Administração de Parques Nacionais criou no sítio La Jaula dois caminhos interpretativos e um acampamento, no qual há fogões que podem ser usados pelos visitantes.[1][10]

Área Recreativa Sítio "La Jaula"Editar

Combinação de ambientes aquáticos (lagoas, arroios, banhados) junto com os de barrancas, que juntos apresentam um elemento de grande beleza e conferem um atrativo cênico muito particular ao parque nacional. Nela são representados os ambientes característicos do resto do Parque Nacional. 

As atividades recreativas concentram-se nesta zona, já que por ser delimitada por cursos fluviais, são limitados os problemas de circulação e impede-se a mobilidade dos visitantes dentro do resto da área protegida. O sítio "La Jaula", distante 5 km da cidade de Diamante, é o único ponto pelo qual se pode ingressar por terra no parque. As principais atividades que desenvolve o visitante são: caminhadas por trilhas, pesca esportiva de costa, acampamento e observação de avifauna. Também podem ser observadas as Ilhas que compõem o Parque Nacional.

Zonas de lagoasEditar

Zona de barrancasEditar

Com características próprias diferenciadas das da área insular, de forte inclinação e sem inundações. A barranca forma um corredor para espécies vegetais subtropicais: MyrtaceaeCapororoca, Zanthoxylum, Nectandra, etc. É a zona procurada pelos carpinchos em épocas de inundações, possuindo também uma importante variedade de aves, com mais de 120 espécies catalogadas.

Ver tambémEditar

Referências

  1. a b c d e f Argentina Xplora.com. «Parque Nacional Pre-Delta» (em espanhol). Consultado em 7 de setembro de 2009 
  2. a b c Administración de Parques Nacionales. «PN Predelta» (em espanhol). Consultado em 7 de setembro de 2009. Arquivado do original em 3 de outubro de 2009  |urlarchivo= e |arquivourl= redundantes (ajuda)
  3. a b Patrimonio Natural.com. «Pre-Delta» (em espanhol). Consultado em 10 de setembro de 2009 
  4. «Lei N.° 8491». Consultado em 17 de fevereiro de 2016. Arquivado do original em 6 de março de 2016 
  5. Infoleg.
  6. a b Visiting Argentina.com. «Información sobre el Parque Nacional Predelta» (em espanhol). Consultado em 10 de setembro de 2009. Arquivado do original em 21 de julho de 2013  |urlarchivo= e |arquivourl= redundantes (ajuda)
  7. Infoleg.
  8. «Lei provincial N.° 10196». Consultado em 17 de fevereiro de 2016. Arquivado do original em 26 de setembro de 2013 
  9. Infoleg.
  10. Visiting Argentina.com. «Paseos en el Parque Nacional Predelta» (em espanhol). Consultado em 10 de setembro de 2009. Arquivado do original em 21 de maio de 2009  |urlarchivo= e |arquivourl= redundantes (ajuda)