Abrir menu principal

Parque Nacional do Pantanal Matogrossense

Parque Nacional do Pantanal Matogrossense
Categoria II da IUCN (Parque Nacional)
Paisagem do Pantanal
Localização
País  Brasil
Estados  Mato Grosso
 Mato Grosso do Sul
Mesorregião Centro-Sul Mato-Grossense
Microrregião Alto Pantanal
Localidades mais próximas Corumbá, Cáceres, Poconé
Dados
Área &0000000000135606.470000135 606,47 hectares (1 356 1 km2)[1]
Criação 24 de setembro de 1981 (37 anos)[2][3]
Visitantes Dados não disponíveis
Gestão ICMBio[1]
Coordenadas 17° 41' 25" S 57° 28' 36" O
Parque Nacional do Pantanal Matogrossense está localizado em: Brasil
Parque Nacional do Pantanal Matogrossense
Nome oficial: Área de Conservação do Pantanal
Tipo: Natural
Critérios: vii, ix, x
Data de registro: 2000 (24ª sessão)
Referência: 999
País: Brasil
Região: Américas
Nome oficial: Pantanal Matogrossense
Tipo: Lagos de água fresca permanentes
Critérios: 1c, 2b, 3b, 4a
Data de registro: 24 de maio de 1993
Referência: 602
País: Brasil
Subregião: América do Sul
Nome oficial: Reserva da Biosfera do Pantanal
Data de registro: 2000
Referência: BRA-03
País: Brasil
Região: América Latina e Caribe

O Parque Nacional do Pantanal Matogrossense é um parque nacional brasileiro situado entre os estados de Mato Grosso do Sul e Mato Grosso. Com 135 606,71 ha[1], tem o objetivo de proteger e preservar parte do bioma do Pantanal, bem como sua biodiversidade, mantendo o equilíbrio dinâmico e a integridade ecológica dos ecossistemas contidos no Parque. É administrado pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio). Considerado pela UNESCO Patrimônio Natural Mundial, Área Núcleo da Reserva da Biosfera do Pantanal e Sítio Ramsar, declarado pela Convenção sobre Zona Úmidas de Importância Internacional, Convenção de Ramsar.

Índice

HistóriaEditar

A criação do Parque Nacional atendeu à reivindicações da sociedade e comunidade científica, para criação de uma unidade de conservação que protegesse amostras significativas do ecossistema pantaneiro. O Parque Nacional incorporou a antiga Reserva Biológica do Caracará, criada na década de 70, somada à uma antiga fazenda de gado que teve sua área permanentemente alagada em consequência das mudanças ambientais no pantanal após a grande cheia de 1974. Na década de 1980 o parque nacional serviu de base de operações no combate aos caçadores de jacarés. O parque teve o seu Plano de Manejo aprovado em 2004.

ConservaçãoEditar

 
Área do bioma do Pantanal na América do Sul.
 
Vista do rio Píxaim.
 
Cervo-do-pantanal (Blastocerus dichotomus) dentro do parque.

O parque é classificado como categoria II da área protegida da IUCN (parque nacional). O objetivo básico do parque é a preservação de ecossistemas naturais de grande relevância ecológica e beleza cênica, possibilitando pesquisa científica, educação ambiental, recreação ao ar livre e turismo ecológico.[4] O parque foi listado como um "Pântano de Importância Internacional" sob a Convenção de Ramsar em 1993.[5]

Espécies protegidas incluem onça-pintada (Panthera onca), jaguatirica (Leopardus pardalis), cervo-do-pantanal (Blastocerus dichotomus), tamanduá-bandeira (Myrmecophaga tridactyla), tatu-canastra (Priodontes maximus), ariranha (Pteronura brasiliensis), jacu-de-barriga-castanha (Penelope ochrogaster), caboclinho-do-sertão (Sporophila nigrorufa) e mexilhão (Lamproscapha ensiformis).[6]

GeografiaEditar

O Parque Nacional Pantanal Matogrossense possui uma área de 135.606 hectares e está no bioma do Pantanal. O parque foi criado pelo decreto nº 86.392, de 24 de setembro de 1981 e é administrado pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio).[6] Abrange partes dos municípios de Corumbá, no Mato Grosso do Sul, e Cáceres e Poconé, no Mato Grosso.[4] Fica ao lado do Parque Estadual Guirá, ao norte. O rio Cuiabá atravessa o parque,[7] que faz parte da Reserva da Biosfera do Pantanal e também inclui os parques nacionais da Chapada dos Guimarães, Emas e Serra da Bodoquena, além dos parques estaduais da Serra de Santa Bárbara, das Nascentes do Rio Taquari e do Pantanal do Rio Negro.[8]

O pantanal como um todo, é caracterizado por uma enorme superfície de acumulação, de topografia bastante plana e freqüentemente sujeita a inundações, sendo a rede de drenagem comandada pelo rio Paraguai.

ClimaEditar

Com características tropicais continentais, a temperatura média varia de 23° a 25° C, com precipitação anual acima de 1.000 mm. O regime de chuvas é tropical, apresentando a época seca, de maio a setembro, e a chuvosa, de outubro a abril, sendo que em dezembro e fevereiro são considerados os meses mais chuvosos. A planície pantaneira facilita o pulso de frentes frias e fortes massas de ar polar para a região amazônica, podendo a temperatura chegar raramente, no pantanal, próximo a 0ºC; e com a atuação de massas de ar seco e quente alcançar até acima de 40ºC.

Fauna e floraEditar

O Pantanal Matogrossense é um dos ecossistemas mais produtivos do Brasil. As condições ambientais favorecem o estabelecimento de grande variedade de fauna. Pode-se observar fauna terrestre (capivara, lobo-guará, cervo-do-pantanal, jaguatirica, lontra, cutia, anta, onça-pintada, puma, veado campeiro, ema e etc...), aves (garça, arara, tucano, Tuiuiú) e répteis (cobras, jacarés), etc.[6]

A vegetação é caracterizada por uma área de tensão ecológica de contato entre as regiões fitoecológica da Savana ou Cerrado e da Floresta Estacional Semidecídua. A cobertura vegetal é classificada por Savana Gramíneo-Lenhosa, Floresta Semidecídua Aluvial e Floresta Semidecídua das Terras Baixas.

Ver tambémEditar

Referências

  1. a b c «PARQUE NACIONAL DO PANTANAL MATOGROSSENSE». Cadastro Nacional de Unidades de Conservacão da Natureza. 11 de abril de 2012. Consultado em 11 de abril de 2012 
  2. «Plano de Manejo Parque Nacional do Pantanal Matogrossense» (PDF). Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio). 2003. Consultado em 11 de abril de 2012 
  3. «Parna do Pantanal Matogrossense». Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio). Consultado em 11 de abril de 2012 
  4. a b Unidade de Conservação ... MMA.
  5. Ramsar List.
  6. a b c Parna do Pantanal Mato-grossense – Chico Mendes.
  7. PES do Guirá – ISA, Informações gerais (mapa).
  8. Carrijo & Torrecilha 2009, p. 2.

BibliografiaEditar

Ligações externasEditar