Partido Conservador (Noruega)

Partido Conservador
Høyre/Høgre
Líder Erna Solberg
Fundação 1884
Sede Oslo,  Noruega
Ideologia Conservadorismo
Conservadorismo liberal
Liberalismo económico
Europeísmo
Espectro político Centro-direita
Ala jovem Juventude Conservadora Norueguesa
Membros (2014) 33.000
Afiliação internacional União Internacional Democrata
Afiliação europeia Partido Popular Europeu (associado)
Storting
45 / 169
Condados
107 / 574
Comunas
1 488 / 9 344
Prefeitos
34 / 356
Parlamento Lapão
1 / 39
Cores Azul
Página oficial
www.hoyre.no

O Partido Conservador (em norueguês bokmål: Høyre; em nynorsk: Høgre, H, literalmente "Direita") é um partido político liberal-conservador[1] na Noruega.[2] É o maior partido da centro-direita norueguesa e o principal partido do gabinete da atual primeira-ministra Erna Solberg, que também acumula o cargo de líder do partido.

Nas eleições nacionais em setembro de 2013, o Partido Trabalhista terminou oito anos de governo. Uma coalizão do Partido Conservador e do Partido do Progresso entrou no cargo com base em promessas de cortes de impostos, melhores serviços e regras mais rígidas sobre imigração, com o apoio do Partido Liberal e do Partido Democrata Cristão. Depois de vencer as eleições, Solberg disse que sua vitória foi "uma vitória histórica nas eleições para os partidos de direita".[3]

O partido defende o liberalismo econômico, a redução de impostos e os direitos individuais, e se define como um "partido conservador do progresso".[4] Historicamente, foi o partido mais declaradamente pró-União Europeia na Noruega, apoiando a adesão da Noruega durante os referendos de 1972 e 1994.[5] O partido geralmente apoia a semi-privatização por meio de serviços privados financiados pelo Estado.[6]

Fundado em 1884, o Partido Conservador é o segundo partido político mais antigo da Noruega, depois do Partido Liberal.[7] No período entreguerras, um dos principais objetivos do partido era alcançar uma aliança de centro-direita contra o crescente movimento operário, quando o partido entrou em declínio. Do pós-Segunda Guerra até 2005, o partido esteve no governo por seis vezes.[6]

IdeologiaEditar

O Partido Conservador é considerado um partido de reformas que professa a tradição política moderadamente conservadora, aderindo aos pensamentos de Edmund Burke. O partido está comprometido com políticas fiscais de livre mercado, incluindo cortes de impostos e relativamente pouco envolvimento do governo na economia. No entanto, apoia a existência continuada do estado de bem-estar social norueguês e do modelo nórdico.

O Partido Conservador também é o único partido que propõe uma redução nos gastos públicos. O partido é frequentemente associado aos mais ricos e historicamente tem sido criticado pela oposição por defender os mais ricos do país, embora esse argumento raramente seja mais apresentado.[carece de fontes?]

As políticas sociais do Partido Conservador são socialmente liberais e o partido votou em 2008 por uma lei que reconhecesse o casamento entre pessoas do mesmo sexo.[8]

É também a favor da adesão da Noruega à União Europeia, embora afirme que isso não é uma prioridade, nem realista a curto prazo, pois a população norueguesa rejeitou a adesão do país em dois referendos e pesquisas de opinião mostram que 66% dos noruegueses se opõem à adesão completa.[9][10]

O Partido Conservador apresenta-se como um partido de reforma social que trabalha dentro da estrutura constitucional de uma democracia parlamentar, integrado numa tradição conservadora relativamente liberal na Noruega, ao contrário de conservadores com orientação nacional ou religiosa na Europa Ocidental. Há muito que o partido acomoda alas conservadoras e mais liberais conservadoras. A partir da década de 1960, os elementos conservadores liberais tornaram-se mais proeminentes.

A plataforma política do partido enfatiza os seguintes princípios, entre outros[11]:

  • Garantir condições estruturais estáveis ​​e favoráveis ​​para uma comunidade empresarial livre e inovadora[11];
  • Impostos e taxas mais baixos[11];
  • Maior foco no transporte[11];
  • Maior foco na pesquisa[11];
  • Maior foco no conhecimento e aprendizado na escola[11];
  • Uma defesa forte e eficaz[11];
  • Aplicação eficaz da lei e da ordem[11];
  • Maior foco na qualidade e competência nos serviços de assistência[11];
  • Reduzir a intervenção pública na vida e no trabalho dos indivíduos[11];
  • Promover o respeito, abertura e tolerância na sociedade[11];
  • Proteger o clima e o meio ambiente[11];
  • Igualar prestadores de serviços públicos e privados através da escolha de usuários com financiamento público gratuito[11];
  • Estabeleça limites para a política e dê prioridade às tarefas principais[11].

MembrosEditar

O partido tem cerca de 30.000 membros registados, segundo dados de 2018.[12] O Conselho Central do Partido Conservador se reúne sete vezes por ano para discutir assuntos importantes como orçamento, trabalho organizacional, planos, plataformas partidárias e elaboração de linhas políticas.[carece de fontes?]

Resultados eleitoraisEditar

Eleições legislativasEditar

Data CI. Votos % +/- Deputados +/- Status Aliança
1885 2.º 33 284
36,6 / 100,0
30 / 114
Oposição
1888 2.º 37 320
38,7 / 100,0
 2,1
51 / 114
 21 Governo
1891 2.º 50 059
49,2 / 100,0
 10,5
35 / 114
 16 Oposição Aliança com MV
1894 2.º 81 462
49,3 / 100,0
 0,1
40 / 114
 5 Oposição Aliança com MV
1897 2.º 77 682
46,7 / 100,0
 2,6
25 / 114
 15 Oposição Aliança com MV
1900 2.º 96 092
40,8 / 100,0
 5,9
31 / 114
 6 Oposição Aliança com MV
1903 1.º 106 042
44,8 / 100,0
 4,0
47 / 117
 16 Governo Aliança com MV
1906 Partido da Coligação Oposição
1909 1.º 175 388
41,5 / 100,0
41 / 123
Governo Aliança com FV
1912 2.º 162 074
33,2 / 100,0
 8,3
20 / 123
 21 Oposição Aliança com FV
1915 3.º 179 028
29,0 / 100,0
 4,2
20 / 123
  Oposição Aliança com FV
1918 2.º 201 325
30,4 / 100,0
 1,4
40 / 126
 20 Oposição Aliança com FV
1921 1.º 301 372
33,3 / 100,0
 2,9
42 / 150
 2 Governo Aliança com FV
1924 1.º 316 846
32,5 / 100,0
 0,8
43 / 150
 1 Governo Aliança com FV
1927 2.º 240 091
24,0 / 100,0
 8,5
29 / 150
 14 Governo Aliança com FV
1930 2.º 327 731
27,4 / 100,0
 3,4
39 / 150
 10 Governo Aliança com FV
1933 2.º 252 506
20,2 / 100,0
 7,2
30 / 169
 9 Oposição Aliança com FV
1936 2.º 310 324
21,3 / 100,0
 1,1
36 / 150
 6 Oposição Aliança com FV
1945 2.º 252 608
17,0 / 100,0
 4,3
25 / 150
 11 Oposição
1949 2.º 279 790
15,9 / 100,0
 1,1
23 / 150
 2 Oposição
1953 2.º 327 971
18,4 / 100,0
 2,5
27 / 150
 4 Oposição
1957 2.º 301 395
16,8 / 100,0
 1,6
29 / 150
 2 Oposição
1961 2.º 354 369
19,3 / 100,0
 2,5
29 / 150
  Oposição
1965 2.º 415 612
20,3 / 100,0
 1,0
31 / 150
 2 Governo
1969 2.º 406 209
18,2 / 100,0
 2,1
29 / 150
 2 Governo
1973 2.º 370 370
17,2 / 100,0
 1,0
29 / 155
  Oposição
1977 2.º 563 783
24,5 / 100,0
 7,3
41 / 155
 12 Oposição
1981 2.º 780 372
31,7 / 100,0
 7,2
53 / 155
 12 Governo
1985 2.º 791 537
30,4 / 100,0
 1,3
50 / 157
 3 Governo
1989 2.º 588 682
22,2 / 100,0
 8,2
37 / 165
 13 Governo
1993 3.º 419 373
17,0 / 100,0
 5,2
28 / 165
 9 Oposição
1997 3.º 370 441
14,3 / 100,0
 2,7
23 / 165
 5 Apoio parlamentar
2001 2.º 534 852
21,2 / 100,0
 6,9
38 / 165
 15 Governo
2005 3.º 371 948
14,1 / 100,0
 7,1
23 / 169
 15 Oposição
2009 3.º 462 458
17,2 / 100,0
 3,1
30 / 169
 7 Oposição
2013 2.º 760 232
26,8 / 100,0
 9,6
48 / 169
 18 Governo
2017 2.º 731 962
25,0 / 100,0
 1,8
45 / 169
 3 Governo

Referências

  1. «European Election Database (EED)». nsd.no. Consultado em 18 de outubro de 2020 
  2. «Valgomaten: Riksdekkende 2007». Aftenposten. Consultado em 31 de outubro de 2019. Cópia arquivada em 27 de junho de 2011 
  3. «Centre-right wins Norway election». BBC News (em inglês). 10 de setembro de 2013. Consultado em 31 de outubro de 2019 
  4. Thompson, Wayne C. (2012). Nordic, Central and Southeastern Europe 2012 (em inglês). [S.l.]: Rowman & Littlefield. ISBN 9781610488914 
  5. Tvedt, Knut Are; Notaker, Hallvard; Garvik, Olav (17 de outubro de 2019). «Høyre». Store norske leksikon (em norueguês) 
  6. a b Helljesen, Vilde (24 de julho de 2009). «Høyre - skatter, skole og frihet». NRK (em norueguês). Consultado em 1 de novembro de 2019 
  7. «Partienes Historie». Eidsvoll 1814 (em norueguês). Consultado em 31 de outubro de 2019. Cópia arquivada em 21 de abril de 2014 
  8. Bjerkan, Jon Kaare (11 de junho de 2008). «Historisk vedtak». NRK (em norueguês). Consultado em 1 de novembro de 2019 
  9. Taylor, Gerard (28 de novembro de 2017). «Opinion poll shows continued majority support for EEA membership». Norway Today (em inglês). Consultado em 1 de novembro de 2019 
  10. «Brexit exposes 'wishful thinking' of Norway's EEA foes - foreign minister». Reuters (em inglês). 22 de maio de 2018 
  11. a b c d e f g h i j k l m n «Vår politikk». hoyre.no (em norueguês bokmål). Consultado em 7 de julho de 2020 
  12. «Meir gøy på ytre fløy». Bergens Tidende (em norueguês). Consultado em 1 de novembro de 2019 

Ver tambémEditar

Ligações externasEditar