Abrir menu principal

Partido Socialista Unificado da Catalunha

Partido Socialista Unificado da Catalunha
Partit Socialista Unificat de Catalunya
Fundação 23 de Julho de 1936
Dissolução 1997
Ideologia Comunismo
Catalanismo
Republicanismo
Espetro político Extrema-esquerda
Ala jovem Juventude Socialista Unificada (1936-1970)
Juventude Comunista da Catalunha (1971-1992)
Ala feminina Movimento Democrático das Mulheres
Sucessor Partido Socialista Unificado Vivo da Catalunha
Fusão Federação Catalã do PSOE
Partido Comunista da Catalunha
União Socialista da Catalunha
Partido Proletário Catalão
Afiliação internacional Comintern (1936-1943)
Política da Catalunha

Partidos Políticos

Eleições

O Partido Socialista Unificado da Catalunha (Catalão: Partit Socialista Unificat de Catalunya, PSUC) foi um partido político comunista ativo na Catalunha entre 1936 e 1997. Era o referente Catalão do Partido Comunista de Espanha e o único partido não de um estado soberano a ser um membro pleno da Terceira Internacional.

HistóriaEditar

O PSUC foi formado em 23 de Julho de 1936 através da unificação de quatro grupos de esquerda; a Federação Catalã do Partido Socialista Operário Espanhol (PSOE), o Partit Comunista de Catalunya (Partido Comunista da Catalunha, o ramo catalão do Partido Comunista de Espanha, PCE), a Unió Socialista de Catalunya (União Socialista da Catalunha) eo Partit Català Proletari (Partido Proletário Catalão). Burnett Bolloten estima que na unificação, o partido contava com cerca de 2.500 membros.[1] Nove meses depois, as fileiras do partido haviam crescido para 50.000 membros.[2]

O PSUC desempenhou um papel importante durante os dias da Segunda República Espanhola e da Guerra Civil Espanhola, e foi o único partido regional afiliado ao Comintern. O PCE não se organizou na Catalunha, mas viu o PSUC como seu referente Catalão. Esta configuração foi replicada por outros grupos comunistas Catalães. A configuração é um pouco semelhante à relação entre a União Democrata Cristã da Alemanha e a União Social Cristã da Baviera.

O PSUC tornou-se o principal defensor das classes médias Catalãs contra as apreensões de terras defendidas pela rival Confederação Nacional do Trabalho e pelo Partido Operário de Unificação Marxista, organizando 18.000 comerciantes e artesãos na Federação Catalã de Pequenos Empresários e Fabricantes (GEPCI).[3]

Na Espanha Franquista, o PSUC foi banido e permaneceu ativo clandestinamente e no exílio. O PSUC foi o maior partido da oposição na Catalunha e após a transformação da Espanha num estado democrático e numa monarquia constitucional, tornou-se um partido de massas.

Em 1977, durante a transição Espanhola para a democracia, o PSUC foi legalizado. Gradualmente, o PCE e o PSUC começaram a ir em direções diferentes: o PSUC envolveu-se na Iniciativa pela Catalunha (IC), e gradualmente deixou de funcionar como uma parte separada. Quando o PSUC foi completamente absorvido pela IC em 1997, um grupo dissidente refundou o partido como PSUC viu (PSUC vivo). O PSUC viu tornou-se o novo referente do PCE na Catalunha.

Desempenho eleitoralEditar

Parlamento da CatalunhaEditar

Data Votos Assentos Status Tamanho
# % ±pp # ±
1980 507,753 18.8%
25 / 135
Oposição
1984 160,581 5.6% –13.2
6 / 135
 19 Oposição
1988 209,211 7.8% +2.2
6 / 135
 0 Oposição *
1992 171,794 6.5% –1.3
6 / 135
 0 Oposição *
1995 313,092 9.7% +2.8
9 / 135
 3 Oposição **

Cortes GeraisEditar

Eleição Líder Votos % # Assentos[4] Resultado Notas
Congresso Senado
1977 Antoni Gutiérrez Díaz 558,132 18.31 #2
8 / 47
0 / 16
Minoria UCD
1979 Antoni Gutiérrez Díaz 512,792 17.38 #3
8 / 47
0 / 16
Minoria UCD
1982 Francisco Frutos 158.553 4.61 #4
1 / 47
0 / 16
Maioria PSOE
1986 Antoni Gutiérrez Díaz 123,912 3.91 #4
1 / 47
0 / 16
Maioria PSOE Dentro da União da Esquerda Catalã (UEC)

Veja tambémEditar

ReferênciasEditar

  1. Bolloten, Burnett (1991). The Spanish Civil war: Revolution and counterrrevolution. [S.l.]: University of North Carolina Press. p. 397 
  2. Bolloten 1991, p. 399
  3. Bolloten 1991, p. 396
  4. Catalan seats only.