Abrir menu principal

Wikipédia β

Património Mundial

(Redirecionado de Património da Humanidade)
Logo do Património Mundial

Património Mundial (português europeu) ou Patrimônio Mundial (português brasileiro), ou ainda Património da Humanidade é uma região ou área (denominadas "sítios") que vem a ser considerado pela comunidade científica de inigualável e fundamental importância para a humanidade. Pode vir a ser um único monumento ou construção, ou o conjunto arquitetônico delimitado em uma cidade, vila ou região, ou toda a área, pode ser uma unica caverna, ou vale, ou toda a região devido ao seu valor histórico, arqueológico, natural, ambiental, ou um conjunto desses fatores e vem a ser reconhecida pela UNESCO fazer parte da Lista do Patrimônio Mundial, também se inclui na lista, pela importância e singularidade, manifestações e rituais, como outros, reconhecendo sua dimensão histórica, praticado por algumas comunidades ou povos.

Esses locais ou manifestações culturais são avaliados e definidos pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura-UNESCO (acrônimo de United Nations Educational, Scientific and Cultural Organization(órgão executivo da ONU), de fundamental importância e relevância, tanto, histórico, cultural e natural para humanidade, proporcionando, ao ser reconhecido e classificado como Patrimônio Mundial, o status e reconhecimento oficial para lhe garantir maior conservação, preservação e segurança. Vários sítios são classificados como mistos (reúnem a classificação de culturais e naturais) e alguns sítios são transfronteiriços (sua área ou região se distribui por dois ou mais países).[1] A lista é divulgada e atualizada após as sessões anuais da UNESCO, quando são expostos, debatidos, promulgados ou não, junto a todos os atuais países-membros,[2] as solicitações de novas inclusões à Lista do Patrimônio Mundial, que é gerenciado pelo Comitê do Patrimônio Mundial, composto por 21, dentre os atuais 191 países-membros que assinaram e ratificaram a Convenção para a Proteção do Patrimônio Mundial, Cultural e Natural[3] que são eleitos para compor o comitê por dois anos.

O programa anualmente recebe novas inscrições de sítios, requeridas pelos países-membros, para integrarem a Lista do Patrimônio Mundial. Esta nova propositura é discriminada por extensos dossiês, com vários itens pré-obrigatórios no seu contexto, e são analisados, pesquisados e inspecionados (todo um processo que pode demorar anos) e sendo ele ao fim referendado e incluído na Lista do Patrimônio Mundial, é catalogado, nomeado, passando a UNESCO a salvaguardar internacionalmente a sua conservação, por sua excepcional importância cultural e/ou natural como patrimônio comum da humanidade. Sob certas condições, determinados sítios que integram a Lista do Patrimônio Mundial, obtêm recursos do Fundo do Patrimônio Mundial.[4] O programa foi criado pela Convenção para a Proteção do Patrimônio Mundial, Cultural e Natural, homologada em 23 de Novembro de 1972 na Conferência Geral da UNESCO realizada em Paris, França. Desde então, 191 países ratificaram a Convenção, tornando-se um dos mais respeitados organismos internacionais. Atualmente só Liechtenstein, Nauru, Somália, Sudão do Sul, Timor-Leste e Tuvalu não ratificaram a Convenção.

Em 2015, 1 031 sítios, localizados em 163 países, integravam a Lista do Patrimônio Mundial da UNESCO-WHC (World Heritage Convention) (Convenção do Patrimônio Mundial),[5] assim distribuídos, conforme foram reconhecidos, classificados e homologados: 802 culturais,[6] 197 naturais[7] e 32 mistos(*).[8] Do total 31 sítios são transfronteiriços(**)[9] e 48 estão seriamente ameaçados e foram incluídos na Lista do Patrimônio Mundial em Perigo[10] conforme decisão do Comitê do Patrimônio Mundial. A Itália é o país com o maior número de sítios que integram a Lista do Patrimônio Mundial, com 51, seguida pela China com 48, Espanha com 44, França com 41 e Alemanha com 40. Cada sítio que integra a ista do Patrimônio Mundial tem um número próprio de identificação, mas é recorrente que algumas novas candidaturas de sítios pelos países membros, resultantes de pesquisas históricas e arqueológicas, e após avaliação pelo Comitê do Patrimônio Mundial e homologação e inclusão na lista, englobam, ou são adjacentes, ou contínuos à sítios que já constavam de listas anteriores, sendo estes sítios, listados como integrantes de descrições maiores. Como resultado, os números de identificação excedem 1 300, embora a listagem divulgue menos locais.

Índice

HistóriaEditar

 
Sítio #86: Mênfis e sua Necrópole, incluindo as Pirâmides de Gizé (Egipto).
 
Sítio #307: A Estátua da Liberdade, Nova York, (Estados Unidos).
 
Sítio #419: Colônia Viking L'Anse aux Meadows (Canadá).
 
Sítio #438: A Muralha da China (China).
 
Sítio #445: Brasília, (Brasil).

Pré-convençãoEditar

Em 1959, o governo do Egito decidiu construir a Represa de Assuão, um evento que inundaria um vale que contém tesouros da civilização antiga tais como os templos do Abu Simbel. A UNESCO lançou, então, uma campanha mundial de proteção ao lugar contra a construção, apesar das apelações dos governos do Egito e do Sudão. Os templos de Abu Simbel e de Philae foram desmontados e movidos para uma posição mais elevada onde foram novamente montados peça a peça.[11]

O custo do projeto era de aproximadamente oitenta milhões de dólares, onde cerca de metade da quantia foi arrecadada de cinquenta países diferentes. O projeto teve sucesso total, e isso incentivou outras campanhas de proteção. Então, a UNESCO iniciou, com o Conselho Internacional de Monumentos e Sítios (ICOMOS), uma convenção para proteger o Património Mundial da humanidade.[11]

Convenção e bastidoresEditar

Os Estados Unidos criaram a ideia de combinar a conservação da cultura com a conservação da natureza. Uma conferência na Casa Branca, em 1965, pedia por uma "Entidade pelo Património Mundial" para preservar "as áreas cénicas e naturais magníficas e sítios históricos do mundo para o presente e o futuro de toda a humanidade." A União Internacional para a Conservação da Natureza (IUCN) desenvolveu, em 1968, propostas similares, que em 1972, foram apresentadas na conferência da ONU sobre Ambiente Humano em Estocolmo, Suécia.[11]

Um único texto foi aceito por todas as partes envolvidas, e a Convenção para a Proteção do Patrimônio Mundial, Cultural e Natural foi promulgada pela Conferência Geral da UNESCO em 23 de Novembro de 1972.

Estados signatáriosEditar

Atualmente 191 Estados (países) - denominados, em inglês, 'States Parties' - são signatários da Convenção do Patrimônio Mundial.[12] Todos os países da CPLP, menos Timor-Leste, subscreveram a Convenção, sendo São Tomé e Príncipe o 183.º signatário, ao depositar oficialmente o seu instrumento de ratificação a 25 de Julho de 2006, e em 25 de outubro de 2006 passou a vigorar oficialmente no país.[13]

Distribuição dos sítios no mundoEditar

Distribuição (em regiões, de acordo com a UNESCO)[14]

Região Nº de países Culturais Naturais Mistos(*) Total Transfronteiriços(**) Em Perigo % no total da lista
África[15] 33 48 37 4 89 5 16 9%
América Latina e o Caribe[16] 27 93 36 5 134 3 7 14%
Ásia e Pacífico[17] 35 168 59 11 238 2 4 22%
Estados Árabes[18] 18 73 4 2 79 16 7%
Europa e América do Norte[19] 50 420 62 10 492 22 5 48%
Total[20] 163 802 197 32 1031 31 48 100%

(*) Sítios Mistos - Determinado Sítio, dentro dos critérios que a Convenção do Patrimônio Mundial da UNESCO homologa, enquadra-se tanto no critério Cultural como no Natural.

(**) Transfronteiriço - Determinado Sítio abrange área que se distribui por 2 ou mais países.

Lista dos países com 10 ou mais sítios incluídos como Patrimônio MundialEditar

Países BaixosArgentinaSuíçaPeruCoreia do SulRepública ChecaBélgicaPolôniaSuéciaPortugalTurquiaCanadáGréciaAustráliaJapãoBrasilIrãEstados UnidosRússiaReino UnidoMéxicoÍndiaAlemanhaFrançaEspanhaRepública Popular da ChinaItália 

Lista do Patrimônio Mundial da UNESCO (por regiões)Editar

Património Mundial em perigoEditar

A conservação e proteção de cada sítio, já reconhecido e declarado Patrimônio Mundial, é um processo contínuo é de responsabilidade do país ou países (caso seja transfronteiriço) onde estão localizados . Se um país não protege os locais inscritos, corre o risco de que esses locais sejam retirados da Lista do Patrimônio Mundial. Os países devem informar periodicamente ao Comitê do Patrimônio Mundial sobre o seu estado de conservação e preservação. Quando o Comitê do Patrimônio Mundial é avisado sobre possíveis perigos a um sítio, ele é incluído na Lista do Patrimônio Mundial em Perigo, informando e chamando à atenção mundial de sua precariedade, e de suas condições preocupantes, devido a circunstâncias naturais ou criadas pelo homem, ameaçando, severamente, suas características, que o levou a ser inscrito sítio na Lista do Patrimônio Mundial em Perigo.[21]

Ver tambémEditar

Referências

  1. UNESCO-WHC (World Heritage Convention) - Página oficial - ('em inglês') ; ('em francês'). Visitados em 10 de março de 2016
  2. UNESCO-WHC - Países Integrantes - lista - ('em inglês') ; ('em francês'). Visitados em 10 de março de 2016
  3. UNESCO-WHC - Convenção para a Proteção do Patrimônio Mundial, Cultural e Natural - declaração Paris - França em 23 de novembro de 1972 - ('em inglês') ; ('em francês') ; ('em português-pdf'). Visitados em 10 de março de 2016
  4. UNESCO-WHC - Fundo do Patrimônio Mundial - Página oficial - ('em inglês') ; ('em francês'). Visitados em 10 de março de 2016
  5. UNESCO-WHC - Patrimônio Mundial - lista - ('em inglês') ; ('em francês'). Visitados em 10 de março de 2016
  6. Culturais - UNESCO-WHC. Lista dos sítios - ('em inglês') ; ('em francês'). Visitadas em 10 de março de 2016
  7. Naturais - UNESCO-WHC. Lista dos sítios - ('em inglês') ; ('em francês'). Visitadas em 10 de março de 2016
  8. Mistos - UNESCO-WHC. Lista dos sítios - ('em inglês') ; ('em francês'). Visitadas em 10 de março de 2016
  9. Transfronteiriços - UNESCO-WHC. Lista dos sítios - ('em inglês') ; ('em francês'). Visitadas em 4 de abril de 2016
  10. UNESCO-WHC - Patrimônio Mundial em Perigo - lista - ('em inglês') ; ('em francês'). Visitadas em 4 de abril de 2016
  11. a b c Deutsche Welle, ed. (12 de fevereiro de 2012). «Convenção da Unesco sobre Patrimônio da Humanidade completa 40 anos». Consultado em 30 de dezembro de 2015 
  12. UNESCO-WHC - estados signatários - ('em inglês') ; ('em francês'). Visitadas em 4 de abril de 2016
  13. UNESCO-WHC - São Tomé e Princípe - ratificação ("em inglês'). Visitada em 4 de abril de 2016
  14. "UNESCO". «World Heritage List Statistics» (em inglês). UNESCO (2009). Consultado em 1 de julho de 2011 
  15. «Região África - Lista do Patrimônio Mundial - UNESCO-WHC} ('em inglês')». UNESCO - WHC. Consultado em 20 de fevereiro de 2016 
  16. «Região América Latina e o Caribe - Lista do Patrimônio Mundial - UNESCO-WHC ('em inglês')». UNESCO - WHC. Consultado em 20 de fevereiro de 2016 
  17. «Região Ásia e Pacífico - Lista do Patrimônio Mundial - UNESCO-WHC ('em inglês')». UNESCO - WHC. Consultado em 20 de fevereiro de 2016 
  18. «Região Estados Árabes - Lista do Patrimônio Mundial - UNESCO-WHC ('em inglês')». UNESCO - WHC. Consultado em 20 de fevereiro de 2016 
  19. «Região Europa e América do Norte - Lista do Patrimônio Mundial - UNESCO-WHC (em inglês)». UNESCO - WHC. Consultado em 20 de fevereiro de 2016 
  20. «Lista do Patrimônio Mundial - UNESCO-WHC». UNESCO - WHC. Consultado em 20 de fevereiro de 2016 
  21. UNESCO-WHC - Patrimônio Mundial em Perigo - lista - ('em inglês') ; ('em francês'). Visitados em 10 de março de 2016

Ligações externasEditar

 
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Património Mundial