Abrir menu principal

Wikipédia β

Paulo Alexandre Nascimento Cafôfo (Funchal, Santa Luzia, 18 de maio de 1971) é professor de carreira. Desde 29 de setembro de 2013, é Presidente da Câmara Municipal do Funchal, eleito pela Coligação Mudança. Em 2017, candidata-se novamente à presidência do Funchal através da Coligação Confiança.

Paulo Cafôfo
Paulo Alexandre Nascimento Cafôfo
Paulo Cafôfo
Presidente da Câmara Municipal do Funchal FNC.png
Período Setembro de 2013
até à actualidade
Antecessor(a) Miguel Albuquerque
Dados pessoais
Nascimento
Santa Luzia, Funchal
 Madeira
Nacionalidade Portugal português
Partido Coligação Confiança
Profissão Professor

Índice

BiografiaEditar

Paulo Cafôfo nasceu no Funchal em Maio de 1971, na Freguesia de Santa Luzia. Tem dois filhos.

Formação AcadémicaEditar

Paulo Cafôfo iniciou o seu percurso académico no Convento de Santa Clara, passando depois pelo colégio de Santa Teresinha, Salesianos e APEL[1]. Seguiu as pisadas da mãe, professora, e licenciou-se em História pela Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra. Tornou-se professor de História e exerceu docência em várias escolas da Região Autónoma da Madeira, a par de diversos cargos de direcção nos Conselhos Executivos e Pedagógicos.

Percurso ProfissionalEditar

O seu conceito de cidadania participativa fê-lo intervir ativamente e assumir vários cargos em diversas organizações. Foi dirigente do Sindicato dos Professores da Madeira e foi aí que se tornou conhecido no meio político[2]. Foi Secretário-Nacional e Conselheiro-Nacional da FENPROF. Pertenceu aos órgãos sociais da ARCHAIS (Associação de Arqueologia e Defesa do Património da Madeira), nomeadamente enquanto membro da Direcção e Presidente do Conselho Fiscal. Mais recentemente, foi vice-presidente e coordenador da área de Política do Laboratório de Ideias da Madeira, estrutura que desenvolveu uma série de debates com diversas personalidades, tendo em vista as várias áreas da governação Regional e Local.

Percurso PolíticoEditar

Foi eleito Presidente da Câmara Municipal do Funchal no dia 29 de Setembro de 2013, pela Coligação Mudança, formada pelo Partido Socialista, Bloco de Esquerda, Partido da Nova Democracia, Partido da Terra - MPT, Partido Trabalhista Português e PAN Pessoas-Animais-Natureza. Foi esta coligação que pôs fim a quase 40 anos de maiorias absolutas do PSD na câmara do Funchal. Um feito histórico: nunca em democracia o Funchal tinha tido outra cor que não o Partido Social Democrata a liderar o município[3].

O seu mandato foi marcado pela redução da dívida da Câmara – a mais baixa dos últimos 15 anos – e pela devolução de IRS às famílias, sendo que o Funchal será, em 2017, a quinta cidade do país que mais IRS devolve às famílias[4]. Destacam-se também a aplicação no concelho da taxa mínima de IMI permitida por lei[5], a realização do primeiro Orçamento Participativo na Região Autónoma da Madeira[6], a criação da Loja do Munícipe do Funchal[7], a reabertura do Complexo Balnear do Lido[8], que é o mais importante da Região e tinha sido destruído na aluvião de 20 de fevereiro de 2010[9], e a definição da Reabilitação Urbana como o desafio da década para a cidade[10].

Em 2017, candidata-se novamente à presidência do Funchal através da Coligação Confiança, formada pelo Partido Socialista, Bloco de Esquerda, Juntos Pelo Povo, Partido Democrático Republicano e Nós, Cidadãos![11].

No decurso da sua actividade política, preside igualmente à AMRAM - Associação de Municípios da Região Autónoma da Madeira e à CMU - Confederação dos Municípios Ultraperiféricos.

Referências