Abrir menu principal

Pedranópolis

município brasileiro do estado de São Paulo

Pedranópolis é um município brasileiro do estado de São Paulo. Localiza-se a uma latitude 20º14'51" sul e a uma longitude 50º06'37" oeste, estando a uma altitude de 475 metros. A cidade tem uma população de 2.558 habitantes (IBGE/2010) e área de 260,2 km².[2] O município é formado pela sede e pelo distrito de Santa Isabel do Marinheiro[5][6].

Município de Pedranópolis
Bandeira de Pedranópolis
Brasão de Pedranópolis
Bandeira Brasão
Hino
Aniversário 6 de agosto
Fundação 6 de agosto de 1937 (81 anos)
Gentílico pedranopolense
Prefeito(a) Marcos Adriano da Silva (PTB)
(2017 – 2020)
Localização
Localização de Pedranópolis
Localização de Pedranópolis em São Paulo
Pedranópolis está localizado em: Brasil
Pedranópolis
Localização de Pedranópolis no Brasil
20° 14' 52" S 50° 06' 36" O20° 14' 52" S 50° 06' 36" O
Unidade federativa São Paulo
Mesorregião São José do Rio Preto IBGE/2008[1]
Microrregião Fernandópolis IBGE/2008[1]
Municípios limítrofes Parisi, Cardoso, Macedônia, Fernandópolis e Valentim Gentil
Distância até a capital Não disponível
Características geográficas
Área 260,2 km² [2]
População 2 558 hab. Censo IBGE/2010[2]
Densidade 9,83 hab./km²
Altitude 475 m
Clima Não disponível
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,778 alto PNUD/2000[3]
PIB R$ 31 104 mil IBGE/2009[4]
PIB per capita R$ 10 975,16 IBGE/2009[4]

Índice

HistóriaEditar

No ano de 1936, os primeiros habitantes chegaram e se instalaram em suas propriedades agrícolas, situadas entre as vertentes do Córrego das Pedras e do Ribeirão do Marinheiro. Essas primeiras fazendas foram compradas por Victor Garbarino. Toda essa região era chamada pelos antigos moradores de “Sertão do Marinheiro”.

No dia 6 de agosto de 1937, dia de Bom Jesus, foi fundada uma pequena vila, por João Gonçales Leite, auxiliado por José Pagne, que recebeu a denominação "Pedranópolis" que se originou do Córrego das Pedras que corta o Patrimônio, com o sufixo grego -″pólis″ que significa ″cidade″, portanto, ″cidade das pedras″. 

Em 13 de junho de 1938 foi celebrada a primeira missa, fincando o cruzeiro numa clareira da mata, onde fora construído uma capela, que posteriormente daria lugar à Igreja Matriz de Pedranópolis, em louvor a seu padroeiro “Bom Jesus”.

O distrito de paz foi criado em 3 de agosto de 1945 e o município em 31 de dezembro de 1958 pela Lei nº 5.121. O município foi, porém, instalado somente em 28 de fevereiro de 1964 pela lei nº 8.092, deixando de ser distrito de Fernandópolis.

No dia 21 de março de 1965, tomou posse o primeiro prefeito, o Jerônimo Fuzita, bem como o primeiro presidente da Câmara, o Joaquim Pio dos Santos.

Dentre as primeiras famílias que habitaram a cidade estão João Gonçalves Leite e José Pagne. Outras famílias também logo chegaram e se instalaram. São eles José Gonçalves Leite, Augusto Lacerda, Manuel Alves, Paulo Brianti, Sabino Brianti, Antonio Barbuio, Família Vissoti, Família Desan, Beppino Pagne, Hemíinio Zampier, Joaquim Sartin, Antonio Bala, Gregório Bala, Leopoldo Grozza, Luís Anselmo de Sousa, Arlindo Coelho, Caetano Maia (que se candidatou muitas vezes para prefeito), Jerônimo Faria (pai do empresário Walter Faria), família Campoi, Reinaldo Mantovani, Francisco Castilho Padilha, Luís Barufi, Romão Godoi, Familia Mariani entre outros.

GeografiaEditar

Possui uma área de 260,2 km².

DemografiaEditar

Dados do Censo - 2010[2]

População Total: 2.558

  • Urbana: 1.591
  • Rural: 967
  • Homens: 1.314[7]
  • Mulheres: 1.244

Densidade demográfica (hab./km²): 9,83

Dados do Censo - 2000

Mortalidade infantil até 1 ano (por mil): 10,43

Expectativa de vida (anos): 74,42

Taxa de fecundidade (filhos por mulher): 1,91

Taxa de Alfabetização: 86,14%

Índice de Desenvolvimento Humano (IDH-M): 0,778

  • IDH-M Renda: 0,661
  • IDH-M Longevidade: 0,824
  • IDH-M Educação: 0,848

(Fonte: IPEADATA)

HidrografiaEditar

  • Ribeirão do Marinheiro
  • Córrego das Pedras

RodoviasEditar

ComunicaçõesEditar

A cidade foi atendida pela Companhia de Telecomunicações do Estado de São Paulo (COTESP) até 1973, quando passou a ser atendida pela Telecomunicações de São Paulo (TELESP)[8], que construiu em 1985 a central telefônica utilizada até os dias atuais. Em 1998 esta empresa foi privatizada e vendida para a Telefônica, sendo que em 2012 a empresa adotou a marca Vivo para suas operações de telefonia fixa[9][10][11].

AdministraçãoEditar

Referências

  1. a b «Divisão Territorial do Brasil». Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 1 de julho de 2008. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  2. a b c d «Censo Populacional 2010 - IBGE» (PDF). IBGE.gov.br. Consultado em 1 de setembro de 2011 
  3. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2000. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  4. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2005-2009» (PDF). Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 29 dez. 2011. Arquivado do original (PDF) em 5 de agosto de 2012 
  5. «Municípios e Distritos do Estado de São Paulo» (PDF). IGC - Instituto Geográfico e Cartográfico 
  6. «Divisão Territorial do Brasil». IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística 
  7. «SIDRA IBGE, Tabela 608, População residente, por situação do domicílio e sexo». IBGE. Consultado em 1 de setembro de 2011 
  8. «Área de atuação da Telesp em São Paulo». Página Oficial da Telesp (arquivada) 
  9. «Convênio de incorporação da COTESP pela TELESP em 25 de outubro de 1973». Portal da Câmara dos Deputados 
  10. «Nossa História». Telefônica / VIVO 
  11. GASPARIN, Gabriela (12 de abril de 2012). «Telefônica conclui troca da marca por Vivo». G1 

Ligações externasEditar