Abrir menu principal

Pedro Maciel Vidigal nasceu no interior de Minas Gerais, em Calambau, atual Presidente Bernardes em 18 de janeiro de 1909 — Presidente Bernardes, 2006, formou-se no Seminário de Mariana em 30 de novembro de 1931, foi um político e padre católico brasileiro, escritor, historiador, genealogista, pesquisador, político. Homem de vasta cultura. Foi deputado estadual e federal. Muito fez por sua Terra Natal e outras cidades do interior mineiro como Nova Era, São joão Del Rey, Ipatinga. Grande parte dos melhoramentos de vulto, nestas cidades, foram por ele conseguidos, junto aos Governos, Estadual e Federal. Publicou vários livros e trabalhos, sendo os mais importantes: “OS ANTEPASSADOS VOL. I: A SUA TERRA” (onde conta a história de Calambau), “A DESCENDÊNCIA DE AMADOR BUENO NO VALE DO RIO DOCE”, “AS LIÇÕES DA SABEDORIA GREGA”,“RETRATOS LITERÁRIOS” e “NO HORIZONTE DA IMORTALIDADE”. Padre Pedro, como era conhecido, era amigo íntimo do Presidente Juscelino Kubstchek de Oliveira. Padre Pedro faleceu em 2004, aos 95 anos.

Tendo sido pároco no município de Nova Era . Eleito deputado federal em sucessivos mandatos pelo PSD, Partido Social Democrático.

Em 1965, solicitou autorização do Vaticano para se casar. Obtido o rescrito papal casou-se em Mariana, no dia 12 de janeiro de 1966,com Ruth Guerra. O casal não teve filhos.[1]

Foi também genealogista, tendo publicado diversos estudos, entre eles Os Antepassados (1980), em dois volumes (v I A Sua Terra; v. II A sua gente) e Amador Bueno, o Aclamado, na familia lagoana (Rio de Janeiro:Imprensa Nacional, 1945).

Como político, preocupou-se com as áreas de saúde e educação, defendendo a instalação de maternidades e hospitais, e o abastecimento de água potável para a população das cidades mineiras. Na área de educação, foi responsável pela implantação de instituições de ensino, inclusive de educação profissional, além de creches e bibliotecas. Na sua atuação parlamentar, apoiou a construção de 24 estabelecimentos de ensino, 17 escolas rurais e inúmeras salas de aulas em orfanatos e patronatos, quatro hospitais e uma maternidade. Esses equipamentos distribuíram-se entre várias cidades de Minas Gerais, tais como Nova Era (Maternidade Nossa Senhora das Graças, Hospital São José , Escola Estadual Nossa Senhora de Fátima e Grupo Escolar Desembargador Drummond), Abre Campo, Caratinga, Conceição do Mato Dentro, Córrego Novo, Guaraciaba, Governador Valadares, Itambacuri, Mantena, Ponte Nova, Rio Espera, Itabira, São Domingos do Prata e Presidente Bernardes. [carece de fontes?]

Deputado pelo antigo PSD de Minas Gerais, pregou a reação armada dos proprietários rurais à reforma agrária. A ele é atribuída a seguinte exortação, pronunciada alguns meses antes do golpe militar de 1964, em seu discurso, na Convenção Rural de Curvelo:

"Do que nós estamos precisando no Brasil é substituir a norma evangélica 'amai-vos uns aos outros' por outra: 'armai-vos uns aos outros' ". [2][3][4]

Referências

  1. «Pedro Maciel Vidigal, Deputado, Padre». Consultado em 12 de julho de 2014. Arquivado do original em 14 de julho de 2014 
  2. GASPARI, Elio. As ilusões armadas: a ditadura escancarada,, v.2. Parte 3 "A vitória." 3.1. "Uma elite aniquilada".
  3. 61 dias em 1964. Manaus: Mídia Ponto Comm, 2014.
  4. ALVES, Márcio Moreira. O Cristo Do Povo. Ed. Sabiá, 1968.
  Este artigo sobre um político é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.